3 de ago de 2012

JULGAMENTO DO MENSALÃO: Toffoli fica?

BRASIL – Julgamento do Mensalão
Toffoli fica?
O Ministro Dias Toffoli, com a cara lisa de petista, demonstrou claramente que vai participar do julgamento dos companheiros. O procurador Geral da República disse que não vai pedir sua suspeição, disse que não quer atrazar julgamento (?) Agora só Roberto Jefferson pode tirá-lo

Charge : Sponhlz

Postado por Toinho de Passira
Fontes: Reuters, Blog do Noblat

Como o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, disse após a primeira sessão do julgamento do mensalão que não pedirá o impedimento ou suspeição do ministro José Antonio Dias Toffoli para julgar o processo, só o próprio Ministro ou um advogado da defesa pode retirá-lo do processo.

Toffoli já demonstrou claramente que não se sente impedido, para tanto declarou que já tinha o voto pronto e votou no primeiro ato da sessão, quando se decidia se o processo seria desmembrado ou não.

No seu blog Ricardo Noblat analista e conclui que Gurgel prevaricou em não pedir o impedimento de Dias Toffoli.

Noblat lembra que Dias Toffoli foi advogado do PT, assessor do ex-ministro José Dirceu e Advogado Geral da União nomeado por Lula. Em 2006, depois de os réus do mensalão terem sido denunciados, ele escreveu em petição à Justiça Eleitoral que o mensalão não fôra comprovado.

”Gurgel poderia também não ter arguido a suspeição de Toffoli por não ver motivo para fazê-lo”. – afirma Noblat, “O que ele não poderia era dizer, como disse ontem a um grupo de jornalistas:

”- Se tivesse pedido o afastamento dele atrasaria o julgamento”.

”Quer dizer: o que pesou para evitar o que muitos esperavam de Gurgel foi a preocupação dele em não atrasar o julgamento”.

”Para não atrasar, Gurgel concorda com a participação de um ministro que ele indiretamente admite considerar suspeito”.

Noblat conclui:”Prevaricou!"

A princípio pode-se concordar com Noblat, mas também se pode imaginar que Gurgel, tem informações que nós pobres mortais não temos. Por exemplo, ele pode ter feita uma informal pesquisa pessoal e descoberto que a maioria dos ministros não veria com bons olhos, uma proposição como essa. Propor e perder seria um desastre para a acusação.

Noutro ponto, constata-se que mais um questão de ordem, faria o tribunal perder outro dia discutindo uma questão paralela, fora do cronograma antes acertado. Mais uma sessão perdida impediria fatalmente que o Ministro Cesar Peluso, fosse impedido de votar, por completar a idade limite. Seria o caso de trocar o forte voto de um respeitado ministro linha dura, que por certo tende a condenar os réus, por uma arriscada tentativa de tirar Toffoli.

Do jeito em que está Dias Toffoli, vai votar sob os refletores da suspeita. Caso seja reconhecidamente posto como insuspeito pelos outros Ministro, numa derrota de proposta de suspeição, ficaria livre para votar sem estribeiras.

Resta agora à expectativa do advogado de defesa do deputado Roberto Jefferson,Luiz Francisco Corrêa Barbosa, pedir a suspeição de Dias Toffoli. Entre os acusados, o delator do mensalão é o único réu que pode temer o voto do ex-petista transvestido de Ministro do Supremo Tribunal Federal.


Nenhum comentário: