12 de ago de 2013

Surpreendente: Oprah Winfrey, apresentadora de TV dos EUA, é vítima de racismo na Suíça

ESTADOS UNIDOS – SUIÇA - Racismo
Surpreendente: Oprah Winfrey, apresentadora
de TV dos EUA, é vítima de racismo na Suíça
A vendedora de uma sofisticada loja de Zurique, sem reconhecer a bilionária estrelha de TV e empresária Oprah Winfrey, não quis mostrar uma bolsa de couro de crocodilo, solicitada pela apresentadora, sob o argumento de que o produto, caro demais, estava acima das posses da afro-decendente americana. Depois que o incidente foi noticiado o governo suíço pediu desculpas, embora a dona da loja, tenha afirmado que tudo não passou de um mal entendido e que não demitiu e nem vai demitir a vendedora.

Foto: Captura imagem/"thepassiranews"

Oprah fala do desagradável incidente ao jornalista Larry King

Postado por Toinho de Passira
Fontes: Huffington Post, The Local, The Daily Mail, Miami News Day, Reuters, Tages-Anzeiger

A notícia de que a bilionária e famosa afrodescendente americana Oprah Winfrey, 59, apresentadora e empresária de TV, proclamada pela revista "Forbes”, como a celebridade mais poderosa do mundo", foi vítima de um ato de racismo na Suíça surpreende e por vários aspectos.

Primeiro por envolver uma das mulheres mais populares do mundo, depois por ter acontecido num país tido e havido como um dos mais civilizados do planeta.

Oprah só tornou público o incidente, quase um mês depois, numa entrevista ao lendário jornalista a Larry King, no "CBS" dos Estados Unidos.

Oprah Winfrey estava hospedada no luxuoso hotel Dolder Grand, em Zurique, Suíça, no final de julho, onde fora, para assistir a cerimônia de casamento da cantora Tina Turner, com o produtor musical Erwin Bach. Os hotéis cinco estrelas da região foram invadidos por famosos de todas as partes do mundo, atraídos pelo acontecimento.

O desagradável incidente com Oprah aconteceu num dos dias que em que antecederam a cerimônia: a apresentadora passeava pelas ruas da cidade quando foi atraída por uma bolsa exposta numa vitrine blindada. Tratava-se de uma autentica Jennifer Bag, um assessório criado pelo estilista Tom Ford, em homenagem a atriz americana Aniston Jennifer, amiga de Oprah, feita com pele de crocodilo.

Foto: EPA

Essa é a loja, a filial suíça da "Trois Pommes" uma rede de boutiques entre as mais sofisticadas e glamorosas da Europa, frequentada apenas por famosos e endinheirados

Oprah contou que entrou na loja e pediu para ver a bolsa exposta na vitrine.

Certamente sem reconhecer Oprah à funcionária respondeu: "Não, essa é cara demais".

Oprah, dona de uma fortuna avaliada em mais de US$ 2,5 bilhões (R$ 5,7 bilhões), afirmou que insistiu e obteve uma resposta ainda pior: "Não, a senhora não pode pagar por esta bolsa, é melhor dar uma olhada nesta", teria dito a vendedora, mostrando um acessório de menor valor.

A bolsa realmente é cara demais, custa atualmente, na mesma loja, 28 mil euros (cerca de R$ 86 mil), não o suficientemente cara para Oprah.

Indignada com o tratamento, certamente por ela ser negra e não está vestida sofisticadamente, a estrela americana costuma trajar-se discretamente fora das câmeras, disse na entrevista que chegou a pensar em comprar a loja inteira:

"Eu queria criar um momento Pretty Woman, pelo gosto de dizer a vendedora, “Grande erro”! Mas então pensei que com essa atitude poderia beneficiá-la com uma fortuna em comissão, o que seria um prêmio, pela grosseria, por isso desisti", acrescentou bem humorada.

Referia-se a uma cena clássica do filme Uma Linda Mulher, estrelado por Julia Roberts e Richard Gere.

Foto: Divulgação

A fonte da discórdia: a bolsa Jennifer Bag, projetada pelo estilista Tom Ford,
ao preço de R$ 86 mil, a unidade

Após a divulgação da história, o Suisse Turisme, órgão do governo que promove o turismo na Suíça, pediu oficialmente desculpas a apresentadora. A porta-voz do órgão, Daniela Bar, disse: "Estamos muito envergonhados e pedimos desculpas, em nome do turismo suíço pelo que aconteceu” – e acrescentou – “Esta vendedora agiu de forma inadequada.“

A mídia local, repercutiu e condenou com estardalhaço o fato e lamentou, a impressão que Winfrey acabou levou da Suíça.

Foto: Fame Flay UK

A empresária, Trudie Gotz, proprietária da loja, diz que tudo não passou de um mal entendido.

A proprietária da cadeia de lojas, "Trois Pommes", a famosa empresária Trudie Goetz, uma das convidadas presentes ao casamento de Tina Turner, também se desculpou, pelo comportamento de sua funcionária, embora tenha garantido que toda esta polêmica não passou de "um mal-entendido".

Diz que a funcionária na verdade queria mostrar outras opções do mesmo produto que estaria num andar superior da loja e por falha de comunicação, do inglês da vendedora, acabou sendo interpretada erroneamente pela apresentadora.

Segundo ela, qualquer vendedora quer vender uma bolsa naquele valor, que conhece a moça de longa data, sabe que ela não é racista, a tem como excelente profissional e que não viu motivo, no incidente para que ela fosse demitida.

A vendedora foi apenas transferida para outra filial, para evitar assédio da imprensa e curiosos.

Não é a primeira vez que Oprah Winfrey foi discriminada em uma dessas lojas sofisticadas: em 2005, a rede Hermes teve que lhe pedir desculpas por ela ter sido convidada a se retirar de uma de suas lojas em Paris, sem nenhuma explicação.

O incidente na loja desencadeou uma saraivada de críticas à Suíça, onde a mídia noticiou nesta semana que os imigrantes que estão no país na condição de asilados, estão, bem ao estilo 'apartheid', proibidos de frequentar alguns espaços públicos como piscinas municipais, estádios e bibliotecas, gerando críticas do grupo “Human Rights Watch”.

Foto: Divulgação

SUIÇA: cartaz racista contra imigrantes

A Suíça claramente tem atitudes contraditórias em relação aos emigrantes: por um lado, emprega um grande número de profissionais estrangeiros, por outro lado, o Partido Popular, o maior no parlamento, faz longa oposição à imigração bandeira que é um elemento-chave de seu apelo eleitoral. O partido já foi acusado de racismo por suas campanhas contra imigrantes, a mais conhecida foi um cartaz de uma ovelha branca chutando uma negra, expulsando-a do espaço de uma bandeira suíça.

Com última curiosidade desta história o jornal inglês Daily Mail destaca que é no mínimo estranho que Oprah Winfrey tivesse sido flagrada, interessada em comprar uma bolsa feita de couro de crocodilo, já que é fervorosa defensora dos animais e lidera campanhas radicais contra o uso de roupas e assessórios feitos de pele de animais e chegou a ser nomeada, em 2009, personalidade do ano, pelo grupo de direitos dos animais PETA.

Nenhum comentário: