15 de ago de 2013

Autoridades ordenam demolição de "montanha" construída numa cobertura de luxo, em Pequim

CHINA - Bizarro
Autoridades ordenam demolição de "montanha" construída numa cobertura de luxo, em Pequim
Um médico milionário chinês exagerou na criatividade e nos limites do que se pode fazer no topo dos arranha-céus. Depois de comprar a cobertura de um prédio de 26 andares no centro de Pequim, deu início à construção de uma exótica vila escondida sob jardins ornamentais em estilo oriental que imitam uma montanha de rochedos. Após muitas brigas, com vizinhos e autoridades o dono da cobertura duplex, vai ter de derrubar a bizarra construção.

Foto: How Hwee Young / EPA

A conversão de um apartamento no último andar, numa montanhosa encantada, com pedras, jardins e árvores, atraiu a ira de alguns vizinhos.

Postado por Toinho de Passira
Fontes: New York Daily, SCMP, Estadão , Folha de S. Paulo, NBC News, Welt

Um médico chinês que passou seis anos e gastou US$ 130 mil dólares na reforma do seu apartamento de cobertura duplex, transformando-o em uma bucólica montanha cenográfica, está sendo intimado pela justiça a derrubar a estrutura, por ter feito a obra sem autorização e sem levar em conta que o acréscimo poderia abalar a estrutura do edifício.

Zhang Biqing, o médico proprietário do imóvel, é dono de uma cadeia de clínicas de medicina chinesa que oferecem acupuntura. O apartamento motivo da polêmica fica no topo de um prédio de 26 andares, numa importante área residencial no distrito de Chaoyang, em Pequim. Durante os últimos seis anos, sob os protestos dos vizinhos o irredutível morador, usou o elevador de serviço para levar ao topo rochas, painéis de madeira, arbusto e mudas de árvores.

Foto: How Hwee Young / EPA

Segundo vizinhos a obra já dura seis anos

Os vizinhos dos andares de baixo e das construções próximas, que há muito se queixam, temem que o que foi acrescido na estrutura de dois andares tenha danificado tubulação e fundações interna do edifício.

O governo distrital nesta segunda-feira emitiu uma ordem de demolição compulsória após a constatação de que Zhang não ter solicitado uma aprovação prévia para a obra.

Segundo os regulamentos, o governo distrital tem o poder de mandar demolir irrecorrivelmente qualquer construção tão logo seja identificada como ilegal.

A menos que Zhang possa comprovar que a construção não afeta a estrutura e consiga uma autorização para continuar o apartamento terá que ser demolido no prazo máximo de 15 dias.

Foto: Tian Li / NBC News

Detalhe de parte da estrutura

Zhang, porém, parece resignado: falando ao jornal Beijing Times, nesta terça-feira, disse que iria demolir as alterações caso fosse determinado. Disse ao jornal que os custos da obra ultrapassaram os US$ 130 mil na obra, e estava próxima de ser concluída e que o aspecto final seria deslumbrante. Comentou ainda que o projeto começou com um pequeno número de plantas e alguns de bambu, o resto das estruturas de madeira e rocha foram para dá sustentação as plantas.

Foto: Mark Ralston / AFP - Getty Images

Os outros moradores temem que a esquisitice arquitetônica, de mais de 10.000 m², desabe sobre eles

No entanto, o Beijing Morning Post disse que os vizinhos se queixaram danos estruturais e rachaduras nas paredes, devido a construção do último piso. Uma moradora do 20 º andar, disse: "O nosso elevador de serviço está sempre imundo e cheio de materiais de construção"

Li, um homem de quarenta anos que mora no prédio, disse: "Ele joga com a sorte das pessoas que vivem abaixo dele."

Um apartamento semelhante à propriedade original inalterada, de Zhang, está atualmente avaliada em US$ 3,6 milhões.

Foto: How Hwee Young / EPA

Um jornalista chinês, diante da porta de entrada do apartamento, relata que o proprietário Zhang Biqing, não quis falar com a imprensa

Há muitas estruturas ilegais, anexos, acréscimos, paredes posteriores, cercas adicionais e invasão de espações públicos na China, informa Hong Kong South China Morning Post, enquanto comentava a notícia.

Nenhum comentário: