16 de nov de 2011

Morreu Muammar Kadhafi, o ditador líbio

20/10/2011

LIBIA
Morreu Muammar Kadhafi, o ditador líbio
Kadhafifoi encontrado escondido num esgoto, encurralado após um ataque aéreo da OTHAN, a um comboio onde ele se encontrava. Capturado vivo, acabou morto com um tiro na cabeça, segundo a versão do governo interino da Líbia, atingido por uma bala anônima, num fogo cruzado(?)

Fotos: Ben-Curtis/Associated Press e Mahmud Turkia/AFP/Getty Images



GLÓRIA E MORTE - As imagens mostram dois momentos do ditador Gadhafi: trajando um vistoso uniforme de Comandante em Chefe das Forças Líbia e sem vida, alvejado após ter se escondido, como um rato, num esgoto da sua cidade Natal, Sirte.

Postado por Toinho de Passira
Fontes:Reuters , Al Jazeera, The New York Times, BBC Brasil, Washington Post, G1

Muammar Kadhafiestá morto, anunciaram os novos líderes da Líbia. O antigo líder foi morto por combatentes que invadiram a cidade natal dele e seu último bastião nesta quinta-feira. Seu corpo ensanguentado foi exibido ao redor do mundo a partir de uma imagem de celular.

Autoridades seniores do governo interino, que colocou fim ao governo de 42 anos há dois meses, afirmaram que a morte dele permitirá uma declaração de "libertação" após oito meses de derramamento de sangue. O atual governo enfrenta dificuldades para subjugar milhares de homens leais ao antigo líder.

Foto: Reprodução TV

O primeiro-ministro líbio Mahmoud Jibril, do governo provisório, confirmando a morte de Kadhafi

"Nós confirmamos que todos os males, mais Gaddafi, desapareceram deste querido país", disse o primeiro-ministro Mahmoud Jibril em Trípoli, enquanto o corpo era levado como um prêmio de guerra a Misrata, a cidade cujo cerco e sofrimento sob as mãos das forças de Kadhafia tornaram um símbolo da causa rebelde.

"É o momento de dar início a uma nova Líbia, a uma Líbia unida", acrescentou Jibril. "Um povo, um futuro." Uma declaração formal de libertação, que dará início a uma contagem regressiva para uma eleição, será feita na sexta-feira, disse ele mais tarde.

Há poucos detalhes da operação que teria resultado na morte de Khadafi. A Otan (aliança militar ocidental) afirmou que bombardeou dois veículos com forças leais ao líder deposto na manhã desta quinta-feira, perto de Sirte, mas não ficou claro se o bombardeio matou o coronel. Chegaram a circular informações de que Khadafi teria sido capturado com vida. Logo em seguida, entretanto, a TV árabe Al-Jazeera exibiu imagens do que dizia ser o corpo de Khadafi.

Outro vídeo, com imagens granuladas, que circulava entre combatentes do CNT, mostrava o que seria o cadáver de Khadafi.

As imagens mostram vários combatentes aparecem comemorando, com gritos de júbilo, ao redor de um corpo vestido com uma roupa cáqui - semelhante a vestes usadas pelo ex-líder líbio. O cadáver tem o rosto manchado de sangue, e uma aparente ferida de bala do lado da cabeça.

Um combatente do CNT disse à BBC que encontrou Khadafi "escondido em um buraco em Sirte", e que ele teria implorado para não ser morto a tiros. O combatente mostrou aos jornalistas da BBC uma pistola dourada, que segundo ele teria sido tomada de Khadafi.

Canais de TV árabes também mostraram imagens de tropas cercando duas grandes tubulações, onde, segundo repórteres, Khadafi teria sido encontrado.

Líderes ocidentais, que tiveram a cautela de não se pronunciarem antes da declaração de Jibril, ecoaram seus sentimentos agora que Gaddafi, autoproclamado "rei dos reis" na África, morreu aos 69 anos.

O primeiro-ministro britânico, David Cameron, que, ao lado do presidente francês, Nicolas Sarkozy, foi um dos primeiros defensores da revolta de fevereiro em Benghazi, afirmou:

"O povo da Líbia hoje tem uma chance ainda maior depois dessa notícia de construir um futuro democrático e forte."

Foto: Mahmud Turkia/AFP

A nova bandeira nacional, retomada pelos rebeldes que forçaram Kadhafi a fugir da capital Trípoli em agosto, tomava as ruas e praças, enquanto a multidão festejava e disparava para o alto.

Em Sirte, que já foi um vilarejo de pescadores e como cidade natal de Kadhafi ganhou esquemas grandiosos e se tornou uma nova "capital da África", os combatentes dançavam e exibiam uma pistola dourada, que, segundo eles, foi retirada de Gaddafi.

Os relatos sobre as horas finais do ex-líder foram confusos. Aparentemente, elas custaram a vida de assessores importantes. Mas as principais autoridades do Conselho Nacional de Transição, incluindo Abdel Majid Mlegta, afirmaram que ele morreu em decorrência dos ferimentos que sofreu em confrontos.

Fotos: Mauricio Lima/ The New York Times e Esam Al-Fetori/Reuters





A comemoração das tropas rebeldes

Uma descrição possível, feita a partir de várias fontes, sugere que Kadhafipode ter tentado sair de seu último reduto ao alvorecer em um comboio de veículos após semanas de resistência.

Entretanto, ele foi detido por um ataque aéreo da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) e capturado, possivelmente três ou quatro horas depois, após tiroteios com combatentes do CNT, que o encontraram escondido em uma galeria pluvial.

A Otan informou que seus caças dispararam contra um comboio perto de Sirte por volta das 8h30 (4h30 no horário de Brasília), atingindo dois veículos militares do grupo, mas não pôde confirmar se Kadhafi estava em algum deles.

Os relatos de seus inimigos sugerem que a captura e a morte logo depois decorrente dos ferimentos podem ter ocorrido por volta do meio-dia.

Foto: Mahmud Turkia/AFP/Getty Images

O corpo sem vida de Mo'tassim Kadhafi, o filho do ditador

Um dos filhos de Kadhafi, Saif al-Islam, continuava solto, acreditam eles. Mlegta, do CNT, disse à Reuters que ele foi cercado depois de também tentar fugir de Sirte. Um outro filho, Mo'tassim, cuja prisão foi anunciada no começo do dia, foi morto ao resistir à prisão, acrescentou Mlegta.

Ele disse que Kadhafi foi ferido em ambas as pernas no começo da manhã enquanto tentava fugir em um comboio que foi atacado por caças da Otan. "Ele também foi atingido na cabeça", disse ele. "Houve muitos disparos contra o grupo dele e ele morreu."

Não foram poucos os combatentes do CNT em Sirte que disseram ter visto o ex-líder morrer, mas muitos relatos eram conflitantes.

Fotos: Philippe Desmazes/AFP e Mauricio Lima/ The New York Times



O esgoto onde o ditador estava escondido.

A televisão líbia exibiu um vídeo de duas galerias pluviais, de cerca de 1 metro, onde afirmou que os combatentes encurralaram o homem que por muito tempo inspirou temor e admiração ao redor do mundo.

Na versão oficial dada pelo premiê líbio, Mahmoud Jibril, citando um laudo pericial, diz que Kadhafi morreu vítima de uma bala na cabeça, durante o fogo cruzado.

"Kadhafi foi tirado de uma tubulação", na qual tentou se esconder, descreveu Jibril. "Ele não mostrou resistência. Quando começamos a andar com ele, ele foi atingido por uma bala em seu braço direito, e quando o colocamos na caminhonete ele não tinha outros ferimentos."

"Quando o carro se moveu, ele foi atingido no fogo cruzado entre os revolucionários e forças de Kadhafi", continuou Jibril.

O coronel estava vivo quando foi tirado do local, mas morreu minutos antes de chegar ao hospital para o qual seria levado na cidade de Misrata, sempre segundo o laudo citado por Jibril.

Foto: Mahmud Turkia/AFP

As mulheres comemoram nas ruas de Trípoli

Depois do levante em fevereiro no leste do país ao redor de Benghazi, inspirado pelos movimentos da Primavera Árabe que derrubaram os líderes da Tunísia e do Egito, a revolta contra Kadhafi cresceu lentamente em todo o país até a queda dramática de Trípoli, em agosto.

Foto: Philippe Desmazes/AFP

Um combatente exibe uma pistola dourada, supostamente uma arma encontrada com Kadhafi, quando da sua captura

Esperava-se o anúncio da liberação final, enquanto o presidente do CNT preparava-se para falar à nação de 6 milhões de habitantes. Agora, eles enfrentam o desafio de transformar o país rico em petróleo em uma democracia que possa acabar com as divisões tribais, étnicas e regionais exploradas por Kadhafie seu clã.

O período de dois meses desde a queda de Trípoli representou um teste de paciência para a aliança de forças anti-Kadhafi e seus apoiadores árabes e ocidentais, que começaram a questionar a capacidade das forças do CNT de acabar com a resistências dos homens leais a Kadhafi em Sirte e em outras duas cidades.

Procurado pelo Tribunal Penal Internacional (TPI) sob a acusação de ordenar a morte de civis, Kadhafi foi derrubado pelas forças rebeldes em 23 de agosto, uma semana antes do 42o aniversário do golpe militar que o conduziu ao poder em 1969. Os combatentes do CNT hastearam a bandeira nacional vermelha, preta e verde acima de um grande edifício no centro de um bairro de Sirte e os tiros de comemoração ecoaram entre os camaradas extasiados.

Centenas de soldados do CNT cercavam a cidade costeira no Mediterrâneo há semanas em uma luta caótica que matou e feriu muitos homens de ambos os lados.

Foto: Manu Braboi/Associated Press e Ismail Zitouni/Reuters -





A explosão de felicidade.

Os combatentes do CNT afirmaram que havia um grande número de corpos dentro do último reduto das tropas de Gaddafi. Não foi possível verificar imediatamente essa informação.

Foto: Abdel Meguid Al-Fergany / Associated Press

Kadhafi em prece durante um cerimonia religiosa em Trípoli.


*Utilizamos como base o texto de Rania El Gamal e Tim Gaynor da Reuters
**Alteramos título e acrescentamos subtítulo, comentários, informações de outras fontes, fotos e legendas ao texto original.

Nenhum comentário: