16 de nov de 2011

IRLANDA: Prostituas irlandesas exigem respeito

09/09/2011

IRLANDA
Prostituas irlandesas exigem respeito
Uma serie de cartazes, com mulheres aparentemente comuns e sorridentes, estão sendo distribuídos por toda a Irlanda, fazendo parte de uma campanha que diz: “I chose the job that suits my needs” (escolhi o emprego que se adapta às minhas necessidades), revelando-se ao fim que se trata de uma profissional do sexo. A campanha defende a ideia de que quem vende o corpo, são pessoas comuns, com obrigações, responsabilidades, sonhos e ambições e não merecem ser discriminadas.


“Eu me sustento enquanto estudo
Estou orgulhosa de minhas realizações na vida
Tenho esperanças e sonhos para meu futuro
e eu sou um profissional do sexo”
– Mensagem do poster da campanha do “Turn Off The Blue Light.

Postado por Toinho de Passira
Fontes: Turn Off The Blue Light, Turn Off The Red Light, BBC Brasil, Portugal Diário

Um grupo de prostitutas irlandesas está fazendo uma campanha para combater preconceitos em relação à profissão.

Os idealizadores da campanha criaram pôsteres que mostram modelos sorrindo acompanhadas pela frase "I chose the job that suits my needs" ("Escolhi o emprego que se adapta às minhas necessidades").

A ideia, segundo o site do movimento, é apresentar uma versão mais equilibrada e realista da profissão, sem vitimizar ou glamourisar homens e mulheres que optam pela atividade.

A campanha foi intitulada Turn Off the Blue Light (Apague a Luz Azul) e é uma reação a uma outra, intitulada Turn Off the Red Light (Apague a Luz Vermelha), que pedia a criminalização para acabar com o tráfico de mulheres no país.

Segundo as organizadoras da campanha, tanto as representações negativas da prostituição quanto as positivas são nocivas.

"Por um lado, existe a imagem dos trabalhadores da indústria do sexo como mulheres abusadas, controladas por cafetões, vítimas de tráfico, desamparadas e escravizadas", diz o site.

"Esta é uma visão incrivelmente negativa do trabalho e não é realista".

Segundo o grupo, esse tipo de imagem é usado por entidades que fazem campanhas contra a prostituição para chocar o público.

"Isso diminui a autoconfiança das profissionais, encoraja o ódio à indústria do sexo e, o que é mais sério, passa uma mensagem para o público de que profissionais do sexo estão ali para ser abusadas".

No outro extremo está a imagem da "prostituta feliz", mostrando a profissão como uma forma glamorosa de ganhar muito dinheiro. Esta não é a experiência vivida pela grande maioria dos profissionais da área, diz o site.

Os pôsteres estão sendo oferecidos ao público em geral. A ideia é que simpatizantes da campanha distribuam os cartazes pelo país para informar a população.

Todos os cartazes tem textos que descrevem atividades cotidianas realizadas por uma mulher que, ao final, se revela como prostituta. Em um deles, é possível ler: "Eu preciso deixar meu filho no treino de futebol, pegar minha filha na aula de dança irlandesa, pagar minha hipoteca e minhas contas, e eu sou uma profissional do sexo."

..
A coleção de posters da campanha


Nenhum comentário: