15 de nov de 2011

LIBIA: Talitha, a amante do filho de Gaddafi, no fogo cruzado

29/08/2011

LIBIA
Talitha, a amante do filho de Gaddafi, no fogo cruzado
A modelo holandesa, capa da Playboy, foi a Tripoli encontrar com o ex-amante, o quinto filho de Gaddafi, Moatassem, as vésperas dos rebeldes invadirem Trípoli. Acabou ilhada num hotel, cercada de inimigos do ex-namorado que segundo seu entendimento, pretendiam incendiá-la, com gasolina. Escapou com ferimentos leves, e contou a um jornalista, os momentos de aflição e os tempos de glamour que passou ao lado do filho do ditador líbio.


Talitha van Zon, modelo holandesa, nos tempos em que estrelava as páginas da Playboy do seu país.

Postado por Toinho de Passira
Fontes: The Daily Mail , The Sunday Telegraph , The Sydney Morning Herald, Volkskrant, Newshopper Sulekha , Sol

O jornalista do jornal inglês The Sunday Telegraph encontrou a modelo Talitha van Zon, capa da Playboy holandesa, edição de dezembro de 2000, sozinha e assustada numa enfermaria de um hospital de Trípoli, onde ela estava sendo tratada dos ferimentos, após se atirar da sacada de um hotel de luxo, quebrou um braço, machucou as costas e sofreu escoriações, fugindo de um grupo de rebeldes, que segundo ela estavam a ponto de "queimá-la viva".

Foto: Reuters

Moatassem Gaddafi, o quinto filho do ditador, atual candidato a sucedê-lo, gosta de gastar, cercar-se de lindas mulheres e tomar uísque Jack Daniels com Coca-Cola.

Talitha conhecida como ex-namorada do quinto filho do coronel Gaddafi, Moatassem Gaddafi, 35 anos, Conselheiro de Segurança Nacional da Líbia, havia ido ao Líbano encontrá-lo, em Trípoli, pela segunda vez neste ano, segundo ela, para buscar ajuda para pagar o tratamento de saúde do seu pai, que sofre do mal de Alzheimer.

A modelo disse ao jornalista que se encontrará com o ex-namorado na Líbia, em fevereiro, deste ano, pouco antes do levante, e lembra que Moatassem havia reclamado do "povo ingrato", relatando inquietações de populares, no leste do país.

Nesse final de agosto, ela fez o que chamou de "grande erro", retornando para a Líbia. Mutassim, que a convidou, assegurava que a situação estava sob controle e que o regime mantinha-se vitorioso nos enfrentamentos com os rebeldes.

A encontrá-lo, numa única vez, na sexta-feira que antecedeu o ataque dos rebeldes a Trípoli, Talitha disse que durante o encontro ele bebeu calmamente fartas doses do uísque americano Jack Daniels, com Coca-Cola, brindando uma vitória sobre os rebeldes. Era servido por garçons filipinos, que vestiam impecáveis jaquetas brancas, em pleno cenário da guerra, num hotel da capital.

Mutassim Gaddafi, na ocasião, exibia um exagerado otimismo, até porque seu prestígio havia crescido, dentro do regime. Sob seu comando estivera às tropas de elite do governo, que enfrentaram os rebeldes em torno das cidades de Benghazi e Misurata, e apesar de seu desempenho questionável, ganhara a imagem do filho guerreiro do coronel Gaddafi, o herdeiro eficaz.

"Fiquei chocado quando me reencontrei com Mutassim. Ele havia mudado- disse Talitha ao Sunday Telegraph.

"Foi à primeira vez que eu o tinha visto desde um pouco antes do levante de fevereiro. Ele estava de barba, sentado em um sofá repleto de armas automáticas, e ele era escoltado por sisudos guardas costas, muito jovens, pareciam ter 16 anos, armados com submetralhadoras.

Talitha na Playboy holandesa
A imagem de Mutassim sentado debaixo de um retrato de seu pai, planejando a guerra contra os rebeldes estava muito longe do divertido playboy, com quem ela tinha tido um relacionamento, depois de conhecê-lo numa boate na Itália, em 2004.

Seu romance durou apenas três meses, até que Talitha descobriu que havia "outras mulheres" na vida Mutassim. Mesmo assim a dupla manteve um relacionamento íntimo, descompromissado, desde então.

A ex-coelhinha da Playboy foi atraído para o mundo do luxo que o clã Gaddafi, ostentação e glamour regado a caríssimos presentes.

Ela conta que o acompanhou em viagens deslumbrantes ao redor do mundo. Em Mônaco, Talitha disse que além de ter assistido o Grand Prix, de formula um, compareceu, à noite, a um jantar, para convidados VIPs, onde a princesa Caroline de Mônaco era uma das comensais.

No natal desfrutou das férias na ilha caribenha de Saint Barts, juntos com outras dezenas de convidados de Mutassim, que foram levados ao paraíso tropical, num Boeing especialmente fretado.

De acordo com Talita, quando Mutassim estava em Paris ou Londres, ocupava vários andares dos hotéis mais caros. Enchia-os com amigos, cabeleireiros italiano, gente vinda de todas as partes do mundo.

"Perguntei-lhe uma vez o quanto ele gastava, e ele levou um minuto para responder: ''cerca de US $ 2 milhões”! Eu disse ''você quer dizer um ano? Ele disse: ''não – em um mês''.

Cercada de coleções de bolsas Louis Vuitton e relógios caros, Talitha disse que permaneceu em uma “gaiola dourada" e tinha pouca ideia sobre a vida dos líbios que parecia "bastante felizes".

Foto: Reuters

Em 2009, Moatassem reuniu-se com a secretária Hillary Clinton. Na viagem demonstrou interesse em modernizar as forças armadas líbia. Disse que apesar de ter ofertas de vendas da Rússia e da China, prefeira comprar armas aos EUA. Não conseguiu convencer os amerincanos.

Das vezes que visitou Trípoli, ficou em casas de Mutassim, em praias, fazendas e vilas do seu país, sempre decorados com exageradas aplicações de ouro e lustres gigantescos, caros, mas de gosto duvidoso.

Talitha disse que Mutassim negava que o povo líbio passasse dificuldades. Dizia que eles, além de assistência hospitalar e escolar gratuitas, dispunham de programas que forneciam alimentos mais baratos.

A jovem disse que o filho de Gaddafi confessava idolatrar Adolf Hitler, Hugo Chávez e Fidel Castro e ansiava ter o tipo de sucesso que eles desfrutaram.

Sabe-se que durante muito tempo, ele passou na sobra do seu irmão mais velho, Saif al-Gaddafi, até então considerado como o verdadeiro herdeiro político de Gaddafi. Sabe-se que Mutassim, teria tentado derrubar seu pai, do poder, e isso lhe custou anos de exílio, no Egito, só tendo regressado recentemente, quando depois de conseguir readquirir a confiança do pai, foi investido no importa cargo de Conselheiro de Segurança Nacional da Líbia.

Talitha disse que certa vez ele confirmou a participação do governo líbio no atentado Lockerbie, que parecem ter sido feito por vingança.

O atentado de Lockerbie foi um ataque terrorista ao voo 103 da Pan Am em 21 de dezembro de 1988. O avião Boeing 747-121 que partira de Londres com destino a Nova Iorque, explodiu no ar logo acima da cidade escocesa de Lockerbie, matando 270 pessoas (259 no avião e 11 na terra) de 21 nacionalidades diferentes. Deste total, 189 vítimas eram cidadãos dos Estados Unidos da América.

Talitha disse: 'Eu disse a ele que as vítimas eram civis, não militares, e ele disse: ''Talitha, os americanos atacaram a nossa casa na Líbia e meu pai perdeu um filho (uma referência ao bombardeio dos EUA de Trípoli em 1986)''.

Naquela sexta-feira, no hotel, em certo momento, disse ela, Mutassim ergueu a taça e brindou a vitória que ele tinha certeza estava próxima.

Mas no dia seguinte os rebeldes apoiados por ataques aéreos da OTAN lançaram um ataque surpresa em Trípoli e Mutassim partiu sem se despedir, para se juntar aos combatentes a deixando para trás.

Talitha, então, foi posta, por pessoas do governo, num comboio que partia de Trípoli, em direção à Tunísia. A viagem não prosseguiu, pois foram emboscados pelos rebeldes. Com tiroteios eclodindo pela cidade, ele foi levada de volta e colocada sob os cuidados de uma funcionaria do hotel.

"À medida que a batalha estava acontecendo, conversando com o pessoal do hotel, fui tomando conhecimento, pela primeira vez, o que realmente pensava líbios, a respeito de Muammar Gaddafi.- disse a jovem.

”As pessoas disseram que odiavam e que ele havia arruinado sua vida."

Quando os rebeldes chegaram ao hotel, quando ela foi pedir ajuda a funcionária que ficara responsável pela sua proteção, foi por ela arrastada para fora do quarto, e exibida aos rebeldes, possivelmente como amante do filho de Gaddafi.

Talitha disse que não entendia o que estava sendo dito em árabe, mas detectou a palavra "benzeno" (gasolina) que era repetida várias vezes. Convenceu-se de que eles estavam dispostos a “queimá-la viva”.

Sozinha, apavorada, escapou das mãos da mulher e se jogou da sacada de um hotel. Quebrou um braço, sofreu lesões nas costas e inúmeras escoriações. Depois disso outros funcionários do hotel a socorreram, correndo risco de vida, levando-a para o hospital através de ruas onde ainda havia combates.

Agora ela está a caminho de casa.

"Vir para a Líbia, no meio de uma guerra foi o maior erro da minha vida", disse ela.

O paradeiro de Moatassem Gaddafi é desconhecido enquanto os rebeldes estão entusiasticamente saqueando suas casas luxuosas.

Ele foi visto pela última vez, na resistência do complexo Bab al-Azizia, invadida na semana passada por rebeldes. A qualquer momento saberemos da sua morte. Se é que ele ainda está vivo.

Foto: Lino Azzopardi/Associated Press

TRIPOLÍ NUNCA MAIS - A Associated Press, mostrou, agora a tarde, Talitha van Zon, chegando com outros refugiados, sã e salva, ao porto de La Valetta, Malta, nesta segunda-feira 29 agosto, após uma viagem de 35 horas no mar agitado.


Nenhum comentário: