6 de set de 2012

JULGAMENTO MENSALÃO: Banco Rural põe nos autos do mensalão certidão que cita Ministro Toffoli como delegado do PT

BRASIL – Julgamento do Mensalão
Banco Rural põe nos autos do mensalão certidão que cita Ministro Toffoli como delegado do PT
Como ficará a reputação do Ministro José Antônio Dias Toffoli depois do julgamento do mensalão?

Imagem: Revista Época

DESCARAMENTO - CONSTRANGIMENTO: - Ministro Toffoli e a certidão da ata como seu nome como representante do Partido dos Trabalhadores, na condição de delegado

Postado por Toinho de Passira
Fonte: Blog do Felipe Patury - Revista Época

Uma certidão da comissão executiva do PT se destaca entre os documentos apresentados ao Banco Rural para compor o cadastro que o partido fez para obter o empréstimo de R$ 3 milhões, sob análise do Supremo Tribunal Federal.

Na ata, constam nomes de dirigentes do partido que se tornaram réus no mensalão: José Dirceu, José Genoino e Delúbio Soares. Aparece também, na condição de delegado do PT, o então advogado da legenda, José Antônio Dias Toffoli.

O Rural inseriu a certidão nos autos do mensalão, analisados por Toffoli, agora na condição de juiz do Supremo Tribunal Federal.

O ministro não se manifestou. Seus auxiliares dizem que a certidão foi expedida dois anos antes do empréstimo e que o fato de ele ter sido delegado do PT é conhecido.

Resumindo: o atual Ministro, Dias Toffoli, ombreava-se com os quadrilheiros do mensalão, nos velhos tempos e agora se considera insuspeito para julgar os companheiros de partido, com serenidade, imparcialidade e honestidade.

O fato dele ter sido delegado do Partido, não o impede de ser ministro do Supremo Tribunal Federal, mas o põe sobre suspeição para julgar atos supostamente criminosos de integrantes do Partido do qual fez parte, e que de alguma forma o sentou na cadeira da Suprema Corte.

Na falta de autocritica, compostura, ou o menor resquício de vergonha na cara, por parte do Ministro Dias Toffoli, não dá para compreender por que o Procurador Geral da República, a Ordem dos Advogados do Brasil ou algum partido de Oposição, não pediu formalmente a suspeição dele, para participar do julgamento do mensalão?

Usando uma metáfora lulista: alguém deixaria o preparador físico do time adversário ser o árbitro da partida final do campeonato?


Nenhum comentário: