11 de set de 2012

Pernambuco perde Alcir Lacerda o mago da fotografia

BRASIL – PERNAMBUCO - Luto
Pernambuco perde Alcir Lacerda o mago da fotografia
O fotografo Alcir descobriu uma linguagem própria para reveler o mundo ao seu redor. Foi fotografo publicitário, jornalista, artista e historiador de imagem. São famosas suas fotos em preto e branco e sua paixão por imagens feitas com lentes olho e peixe.


Foto: Felipe Malta/Acervo pessoal
Postado por Toinho de Passira
Fontes: JC Online, Diario de Pernambuco, NE10, G1, UOL, Coleção Pirelli Masp

O lendário fotógrafo pernambucano Alcir Lacerda, faleceu aos 84 anos na madrugada desta segunda, por conta de uma parada cardiorrespiratória. Considerado um dos maiores profissionais da área em Pernambuco, O fotógrafo, que registrou importantes fatos históricos do estado, deixou esposa, quatro filhos, onze netos, sete bisnetos, e um precioso e grande acervo de imagens.

Lacerda fundou a Acê Filmes e trabalhou a fotografia em diversas áreas, da publicidade ao jornalismo, além de fotos artísticas, em que retratou paisagens do interior e do literal pernambucano.

Nascido em um engenho na cidade de São Lourenço da Mata, no Grande Recife, em 20 de setembro de 1927, ele participou da cobertura fotográfica de fatos como o golpe militar em Pernambuco, em 1964, e a abertura da Avenida Dantas Barreto e a derrubada da Igreja dos Martírios, no centro do Recife, em 1972.

Foi requisitado por empresas de publicidade como a Italo Bianchi Publicidade, Aliança Publicitária e Alcântara Publicidade e para grandes órgãos de imprensa, locais, nacionais e internacional, entre elas, o Diario de Pernambuco, o Jornal do Commercio, O Estado de São Paulo, as revistas Manchete, Fatos e Fotos, O Cruzeiro, Veja, Placar e Time Life.

Fotos: Alcir Lacerda


Prestes a completar 85 anos, ele ainda trabalhava em sua empresa e mantinha seu laboratório de revelação em preto e branco, o único ainda ativo no Recife.

Na arte, na técnica, no profissionalismo e na vida, Alcir Lacerda foi pioneiro em vários sentidos para a fotografia pernambucana. Descobridor de linguagens, o fotógrafo passou a segunda metade do século 20 à frente do desenvolvimento de seu ofício nos meios jornalísticos, artísticos e publicitários.

Foto: Alcir Lacerda

No mês passado o fotógrafo ganhou uma homenagem promovida pelo curso de fotografia da Universidade Católica de Pernambuco. Suas fotos foram projetadas no auditório da Livraria Cultura.

Além de ter sido o primeiro pernambucano a testar diversas experiências em fotografia, ele sempre foi conhecido como um professor e articulador, a quem o sentimento de gratidão é sempre revelado pelos colegas mais jovens e mais experientes. Ele desenvolveu como ninguém, por exemplo, a fotografia publicitária no Recife, além de ter se especializado em fotos para a medicina, em imagens aéreas e em equipamentos como a lente ollho-de-peixe.

No interior e no litoral nordestino, Alcir abriu sua lente para aspectos naturais e sociais, capturando imagens com dedicação para encontrar a forma ideal de aproveitar a luz natural da região, extinguir preconceitos na escolha de seus personagens e abrir uma janela para um mundo de possibilidades. Ele confirma que a fotografia (não só a sua) é ao mesmo tempo antropológica, política, técnica e estética, sem perder de vista a poesia.

Fotos: Alcir Lacerda



O registro de Arraes depondo para o inquérito militar em 1964.
Detalhe para o elaborado cabelo da escrivã


Nenhum comentário: