23 de set de 2012

Casal russo descobre que bebê deficiente, dado à adoção, virou campeã paraolímpica USA

ESTADOS UNIDOS - RÚSSIA
Casal russo descobre que bebê deficiente
dado à adoção virou campeã paraolímpica USA
Pais biológicos assistiram aos Jogos Paraolímpicos sem saber que nadadora supercampeã americana era sua filha. Foram localizados por jornalista do jornal russo Siberian Times. Sua família americana é de Baltimore, Maryland

Foto: Reuters

Jessica Long, a para-atleta russo-americana, 12 medalhas de ouro em três olimpíadas

Postado por Toinho de Passira
Fontes: Red Hot Russia, BBC Brasil, Siberian Times, The Daily Mail

Um casal russo que deu sua filha portadora de deficiência para adoção descobriu que a menina é a nadadora americana Jessica Long, medalhista de ouro na Paraolimpíada de Londres 2012.

Os pais biológicos dizem querer conhecer a para-atleta, que foi adotada por um casal americano.

Natalya e Oleg Valtyshev, que deixaram a menina em um orfanato na Sibéria pouco depois do seu nascimento, chegaram a assistir às competições de Jessica Long pela televisão sem saber quem ela era.

Fotos: Siberian Times

Os pais biológicos, os russos Oleg Valtyshev e Natalya

Em entrevista a um canal de TV russo, eles dizem estarem orgulhosos da garota.

Long já disse em entrevistas que gostaria de ir à Rússia após os Jogos Paraolímpicos para encontrar a família, mas ainda não se pronunciou sobre a aparição dos pais.

Jessica Long, que foi chamada de Tatiana ao nascer, foi adotada por um casal americano quando tinha um ano de idade. Ela vivia em um orfanato na cidade de Bratsk, na Sibéria, há cerca de 3,7 mil quilômetros de Moscou.

Foto: Reprodução

Os pais americanos adotivos, Steve e Jessica Long

A menina, que cresceu em Baltimore, nos Estados Unidos, nasceu sem tornozelos, joelhos e sem a maior parte dos ossos dos pés.

Ainda antes de deixar a Rússia, ela teve a parte inferior das pernas amputadas para conseguir usar próteses e aprender a andar.

Anos depois, Jessica se tornou atleta paraolímpica e ganhou 12 medalhas de ouro em três edições dos Jogos.

Foto: Reuters

Jessica Long, retirando as próteses para entrar na piscina, em Londres

Após a paraolimpíada de Londres 2012, seus pais biológicos foram encontrados por jornalistas russos e se emocionaram ao falar da menina.

Segundo o jornal Siberian Times, a mãe da para-atleta disse "sentir muito" por tê-la dado para a adoção.

"Na época eu tive medo. Tive que deixá-la para trás. Mas eu cheguei a pensar em pegá-la de volta", afirmou.

"Eu estava sozinha na Sibéria, sem minha mãe e meu pai. Para onde eu iria com ela? Os médicos disseram para eu deixá-la, disseram que eu não podia ajudá-la. Eu a chamei de Tatiana, como minha irmã mais velha."


A pequena Jessica “engatinhando” na piscina em Baltimore, Maryland, EUA

O pai, Oleg Valtyshev, que tinha 17 anos à época do nascimento da menina, disse que o casal foi pressionado pelos médicos para deixar a menina.

"O que eu poderia ter dito? Eu não poderia ter dito nada porque não estava preparado para isso. Eu fiquei muito chocado com a coisa toda", disse ele.

"Mas não quero falar contra os médicos. Eles disseram: 'A garota tem deformidades e vocês são jovens, vai ser difícil'."

Desde então, o casal teve três outras filhas incluindo outra menina portadora de deficiência. Dasha, de 13 anos, tem características semelhantes às de Jessica e vive com os pais.

Natalya e Oleg afirmaram ao canal de TV que tinham a intenção de buscar a filha quando pudessem, mas que ela foi adotada antes.

"As crianças geralmente são mantidas no orfanato até os três anos, e eu tinha certeza de que ninguém iria adotá-la. Eu me informava sobre ela, sabia que ela estava linda, que todos a amavam", disse a mãe.

Foto: Reprodução

Jessica e sua irmã russa Anastácia

"No dia 6 de julho de 1993 eu dei à luz minha segunda filha Nastya (Anastácia) e no dia 9 de julho soube que um casal de americanos a adotou."

Nastya descobriu aos 19 anos que tinha uma irmã. Ao canal russo, ela disse que sua mãe confessou que deu Tatiana para a adoção, mas que parecia traumatizada demais para falar a respeito.

Natalya escreveu uma mensagem manuscrita para a filha


Detalhe da mensagem escrita, por sugestão de um jornalista

Caro Tanechka!

Eu me sinto muito culpada.

Todos esses anos sempre pensei em você, imaginando com você estava vivendo.

Sabia que você havia sido adotado, eu não tive a oportunidade de buscá-la de volta.

Estou muito feliz que sua vida tenha dado uma reviravolta. Eu não poderia ter lhe dado tudo isso.

Quero realmente pedir perdão a você pessoalmente, olhando em seus olhos.

Tomara que eu tenha essa oportunidade. Enquanto isso, eu estou pedindo o seu perdão no papel...

Sou muito grato a seus pais. Eu ficaria de joelhos diante dessas pessoas, por lhe terem ajudado a se tornar uma pessoa completa.

Eu sonho encontrar você, sua mãe e seu pai.

Abraço-vos com amor e espero vê-los em breve.

Beijo! Te amo! Sinto sua falta!

Mama Natasha!


Nenhum comentário: