4 de set de 2012

Humberto culpa Supremo por rejeição dos recifenses

BRASIL – Recife – Eleições 2012
Humberto culpa Supremo por rejeição dos recifenses
Diante da possível condenação massiva dos petistas integrantes da quadrilha do mensalão, o Partido dos Trabalhadores monta um discurso de perseguição judicial “daselites” para justificar a provável derrota constrangedora que sofrerá nas eleições municipais desse ano. Humberto Costa pega carona justificando sua derrocada e rejeição como fruto do julgamento do mensalão, como se sua biografia de administrador e a forma como foi impostos, como candidato biônico, não tivesse nada a ver com o seu fiasco eleitoral.

Foto: Sergio Figueiredo/Flickr

Humberto Costa, 28% dos recifenses não votam nele de jeito nenhum

Postado por Toinho de Passira
Fontes: Folha de Pernambuco, O Globo

O Partido dos Trabalhadores une o discurso para justificar a derrota nas urnas e o encarceramento dos seus mensaleiros, dizendo que está sofrendo um ataque “daselites”, como se o Supremo Tribunal Federal, fosse um grupo de opositores que estariam condenando inocentes petista à cadeia.

O candidato petista a prefeito do Recife, Humberto Costa, diante dos números do IBOPE que o apresenta como um dos candidatos mais rejeitados pelos eleitores - 28% dos eleitores, dizem que não votam nele em nenhuma hipótese - atribui esta ojeriza eleitoral ao julgamento do mensalão.

Para ele, o período escolhido para o julgamento foi para pode atrapalhar os candidatos do PT durante as eleições:

“Há neste momento uma situação de exposição do partido. Existe um julgamento, e de alguma forma se reflete na rejeição. Não é por acaso que o mensalão foi marcado para o período eleitoral. Atrapalha, mas ele termina, não é? Não vai durar… acho que no segundo turno deve já ter terminado esse julgamento”, afirmou o petista.

O presidente nacional do PT, Rui Falcão, afirmou na noite desta segunda-feira, em Osasco, que o partido foi vítima de um “golpe” de setores conservadores da sociedade com a condenação do deputado federal João Paulo Cunha no julgamento do mensalão no Supremo Tribunal Federal (STF). Sem citar o nome do deputado, ele disse que o “golpe” ocorre porque seus adversários não conseguem ter sucesso nas urnas.

- “Essa elite suja, reacionária, não tolera que um operário tenha mudado o país. Não tolera que uma mulher dê continuidade a esse projeto (...) E isso, para quem mantinha o povo subjulgado, é inaceitável. E quando eles são derrotados nas urnas, eles lançam mão dos instrumentos de poder que ainda dispõe, desde a mídia conservadora, passando pelo Judiciário, para tentar nos derrotar”.

Os petistas querem fazer os brasileiros eleitores acreditarem que eles estão sendo vítimas de uma perseguição injusta pelos ministros do Supremo Tribunal Federal.

Fingem não saber que seus companheiros, liderados pelo quadrilheiro José Dirceu, sacavam nas bocas dos caixas dos bancos milhões, originários dos cofres públicos, dinheiros em espécie, tão volumosos que eram até transportados em carros fortes, no maior show de corrupção partidária, jamais vista na história desse país.

O escândalo e a corrupção é tão evidente e grosseira, fruto da certeza da impunidade, que um tribunal que tem 70% dos seus integrantes, nomeado pelos governos de Lula e Dilma Rousseff, não vacila em condenar, por corrupção e lavagem de dinheiro, os acusados do mensalão, os marginais integrantes do Partido dos Trabalhadores.

No caso do Recife, Humberto Costa, está sendo rejeitado porque sua história, como administrador público é sombria e suspeita.

Quando Ministro da Saúde do governo Lula, a pasta se transformou num centro de corrupção, disputando com o mensalão a sangria do dinheiro público . Foi tenebrosamente histórico o caos que a saúde brasileira enfrentou nesse período, tanto que na reforma ministerial, no começo do segundo ano de mandato, o presidente Lula, livrou-se de Humberto, que saiu do ministério com o rabo entre as pernas.

Humberto é rejeitado, de forma recorde, porque além dos recifenses que não o suportam, inúmeras facções do seu próprio partido, não aceitam a sua forma prepotente de tentar exercer liderança, inspirado no seu guru e protetor o companheiro mensaleiro José Dirceu.

Humberto vai perder a eleição porque é um candidato biônico e incompetente. Apesar de senador da república, recém-eleito, debaixo do manto protetor de Eduardo Campos, está levando uma rasteira eleitoral, de um candidato desconhecido e pouco carismático.

O povo recifense está votando no poste de Eduardo Campos, o candidato virtual, que nunca ninguém tinha visto antes, porque aceita qualquer coisa, menos Humberto Costa e seu partido, prosseguirem no comando da prefeitura do Recife.

Ele devia ficar quieto e respeitoso com o Supremo, pois se alguém reabre as investigações dos vampiros ...(?)


Nenhum comentário: