29 de abr de 2013

Jacarés invadiram praia repleta de banhistas, as margens do Rio Negro, em Manaus

BRASIL – Meio Ambiente
Jacarés invadiram praia repleta de banhistas,
as margens do Rio Negro, em Manaus
Assim que alguns dos cerca de 15 mil banhistas que frequentam a badalada praia, da Ponta Negra, as margens do Rio Negro, avistaram jacarés, rondando nas partes rasas do balneário, próximo às crianças, houve correria e pânico. Os bombeiros foram chamados, houve captura de animais, mas a praia, que foi reaberta recentemente - estava interditada por índices alarmantes de afogamentos - foi novamente fechada ao público, agora por causa dos jacarés

Foto: Alberto César Araújo/Em Tempo


Foto: Alberto César Araújo/Folha Press
Foto: Divulagação


Os jacarés deram muito trabalho e exigiram muita paciência dos bombeiros, para serem capturados, até porque havia o cuidado para que a pesca não causasse danos físicos aos animais

Postado por Toinho de Passira
Fontes: Correio da Amazônia, A Crítica, G1, Folha de São Paulo, A D24 Amazônia

Dois jacarés Açu de aproximadamente dois metros e meio foram capturados neste domingo, 28, na Praia da Ponta Negra, as margens do Rio Negro, em Manaus. Os répteis foram resgatados pelo Corpo de Bombeiros, nove horas após a primeira aparição dos animais na praia. O balneário, que foi reaberto recentemente, foi novamente interditado se seguir às recomendações dos bombeiros.

Após retirarem todos os banhistas da água, por volta das 14h30, a equipe do Corpo de Bombeiros instalou uma rede para fazer a captura dos animais. Durante a tarde, duas vezes os jacarés foram cercados, mas conseguiram sair por baixo da rede. Próximo ao fechamento da praia, as 16h20, um dos animais, de quase dois metros e meio, caiu na armadilha e mais tarde outro, foram arrastado até a margem pela equipe dos bombeiros e em seguida foram levados para a Reserva Sauim Castanheira, no Distrito Industrial II, zona sul de Manaus.

Segundo o tenente Marco Antônio Gama, comandante do batalhão fluvial do Corpo de Bombeiros, a praia deve ficar interditada enquanto não houver explicações para a presença dos animais à praia e enquanto pelo menos outro jacaré que foi visto não for capturado.

Foto: Nathane Dovale

Os animais capturados foram levados para a Reserva Sauim Castanheira, no Distrito Industrial II, zona sul de Manaus

Essa não foi a primeira vez que jacarés são vistos pela Ponta Negra. O tenente Marco Gama informou que em outros anos os répteis apareceram pela praia, mas não tão próximos. “Eles estavam na parte rasa da praia quando foram vistos próximo à área das crianças. Foi preciso um trabalho de paciência para não machucar o bicho. Mas vamos firmar o monitoramento até que os outros animais sejam encontrados”, declarou o comandante do batalhão fluvial, que vai solicitar estudos dos órgãos que cuidam do meio ambiente, e biólogos, procurando explicação da presença dos animais no balneário.

Foto: Antonio Lima

Botos nadam na praia de Ponta Negra, neste domingo,sob os olhares dos banhistas

Além de jacarés, os banhistas viram botos nos arredores da praia da Ponta Negra neste domingo. No entanto, segundo o tenente Gama, o aparecimento desses outros animais, inclusive cobra d’água, é comum na área. "Boto aparece muito, mas não oferecem risco à população", acrescentou.

Nos fins de semana de sol, cerca de 15 mil pessoas frequentam a praia. Alguns banhistas mesmo com a ordem dos bombeiros, interditando a praia, e com a presença dos jacarés, insistiam temerariamente em continuar mergulhando nas águas.

Foto: Antonio Lima

Banhistas aventurando-se na água, mesmo após a ordem de interdição do Corpo de Bombeiros

A praia da Ponta Negra, ponto turístico badalado, de uma área nobre de Manaus, foi reaberta aos banhistas no dia 10 de abril após um termo de ajustamento de conduta do Ministério Público Estadual, que determinou o aumentou do número de bombeiros e policias na área de lazer. A praia ficou interditada por cinco meses após o afogamento de 13 pessoas.

Um laudo do Serviço Geológico do Brasil apontou que as mortes têm ligação com uma obra de aterro da prefeitura.

O aterro provocou bancos de areia e buracos com profundidade superior a seis metros. Não será surpresa que o desequilíbrio ecológico, dessa obra, também seja a explicação para o aparecimento inédito, dos jacarés tão próximo da praia, junto aos banhistas.


Nenhum comentário: