20 de abr de 2013

Boston; A prisão do segundo terrorista não encerra o caso

ESTADOS UNIDOS – Atentado de Boston
A prisão do segundo terrorista não encerra o caso
o segundo terrorista Dzhokhar Tsarnaev, de 19 anos, foi capturado no final da noite de sexta-feira depois de uma troca de tiros com a polícia. Está internado com ferimentos à bala na perna e no pescoço. O irmão dele, Tamerlan, de 26 anos, havia sido morto na quinta-feira em um tiroteio com a polícia. Essa é apenas a primeira parte da operação. Agora chegou a hora de procurar respostas para as perguntas.

Foto: Associated Press


Foto: Associated Press


Foto: Associated Press

Os dois terrista, flagrados por câmeras circulado no local do atentado

Postado por Toinho de Passira
Fontes: Reuters, Terra, G1, The Daily Mail, Gazeta do Povo, O Globo, The Boston Globe

Concluída da cinematográfica caçada humana que acabou por prender, um dos suspeitos das explosões da maratona de Boston, que, devido a ferimentos graves, está sendo tratado no centro médico, Beth Israel Deaconess, em Boston, no mesmo hospital onde foram atendidas e estão ainda internadas, muitas das suas vítimas, os investigadores trabalharam agora para encontrar o motivo e descobrir se os irmão de etnia chechena acusados do ataque agiram sozinhos.

Dzhokhar Tsarnaev, capturado pela polícia com dois ferimentos a bala, recebendo primeiros socorros.
Dzhokhar Tsarnaev, de 19 anos, foi capturado após ter sido descoberto escondido em um barco estacionado no quintal de uma casa no subúrbio de Watertown, comunidade vizinha a Boston. O terrorista não esboçou reação, havia perdido muito sangue e estava motivado por ferimento à bala, no pescoço e na perna, que fora produzido no confronto, que matou seu irmão, Tamerlan Tsarnaev, de 26 anos, na quinta-feira em um tiroteio com a polícia.

Há informações que, a pedido do governo russo, o FBI interrogou o irmão mais velho, Tamerlan, em 2011, mas não encontrou evidências de comportamento perigoso ou mesmo suspeito e arquivou o caso, achando que não procedia as informações que ele teria se ligado a grupos extremistas chechenos, quando de uma sua viagem a Rússia.

Testemunhas confirmaram que, Djokhar, o último capturado, não alterou sua rotina após o atentado, e participou de uma festa duas noites após os ataques possivelmente, para não despertar suspeitas.

Segundo informações do jornal The Boston Globe, Djokhar não alterou o seu convívio social após o atentado. “Ele estava bem tranquilo”, disse um estudante da University of Massachusetts Amherst (Umass), que viu o suspeito misturando-se com os amigos de futebol.

Vários estudantes foram entrevistados pela polícia e a maioria não acreditou na participação de Djokhar Tsarnaev nos ataques da maratona. A universitária Pamala Rolon, 22 anos, disse que, quando viu as imagens dos suspeitos pela primeira vez na mídia, viu os estudantes fazendo piadas sobre a semelhança da pessoa com Tsarnaev. “Então pensamos que não podia ser ele. Dzhokhar? Nunca”, disse.

Ao que parece, ingenuamente, os terroristas imaginavam que não seriam descobertos pelas forças de segurança. Não levaram em conta que o cenário do ato terrorista, o fim de uma importante maratona estava repleto de câmaras fotográficas, filmadores, e equipes de TVs.

Tamerlan Tsarnaev com uma namorada
Pelo que se sabe até agora os irmãos chechenos Tsarnaev, cresceram no Quirguistão, e viviam há anos nos Estados Unidos, em Cambridge - cidade vizinha a Boston e conhecida por sua prestigiosa Universidade de Harvard.

A família teria escapado da Chechênia nos anos 90 em função do sangrento conflito nesta república russa rebelde do Cáucaso, que travou duas guerras com Moscou.

Antes de chegar aos Estados Unidos, onde se encontram há mais de cinco anos, também teriam vivido no Cazaquistão.

Tamerlan, o mais velho, estudava Engenharia no Bunker Hill Community College de Boston. Em 2009 foi preso por violência doméstica depois de ter agredido a namorada. Praticava boxe no Wai Kru Mixed Martial Arts Center. Recentemente casou com uma companheira praticante de boxe, e convertida ao islamismo, uma jovem de origem ítalo-portuguesa, Katherine Russell, com quem tem uma filha de três anos.

O irmão mais novo, Dzhokhar Tsarnaev, de apenas 19 anos, era naturalizado americano, estudou entre 1999 e 2001 na escola primária de Majachkala, a capital do Daguestão, república vizinha da Chechênia, segundo seu perfil no VKontakte, a versão russa do Facebook.

Depois, nos Estados Unidos, frequentou a Cambridge Ringe & Latin School, um colégio secundário onde estudam muitos estrangeiros e que é conhecido por sua diversidade. Graduou-se em 2011, depois de obter uma bolsa universitária por seu excelente desempenho escolar. Atualmente cursava o 2º ano de medicina na University of Massachusetts.

O presidente norte-americano, após receber a informação do diretor do FBI, Robert Mueller, da prisão de Dzhokhar Tsarnaev comentou:

"Obviamente, nesta noite ainda temos muitas perguntas sem resposta. Entre elas: por que dois jovens que cresceram e estudaram aqui, como parte de nossas comunidades e país, recorrem a tal violência? Como eles planejaram e realizaram esses ataques? E, finalmente, receberam alguma ajuda?", questionou Obama.

"Vamos determinar o que aconteceu. Vamos investigar qualquer associação que esses terroristas possam ter e continuaremos a fazer o que temos de fazer para manter o nosso povo a salvo", afirmou Obama sobre as duas explosões que mataram três pessoas e deixaram 176 feridos.

Obama pediu para que os norte-americanos evitem julgamentos, dizendo que o povo deve permanecer com a "unidade e diversidade que nos fazem fortes".

"É por isso que temos tribunais", disse.

Nenhum comentário: