21 de mai de 2013

Candidatura de Eduardo Campos é fato consumado, alguém tem dúvidas?

BRASIL – Eleição 2014
Candidatura de Eduardo Campos é fato consumado, alguém tem dúvidas?
Cada vez mais o governador de Pernambuco é menos veemente em negar que é candidato a Presidente do Brasil, na eleição de 2014. O Partido dos Trabalhadores, capitaneado por Lula, tenta minar a sua pretensão, por implicância ou por achá-lo potencialmente mais perigos que Aécio. Mais depois de colocar o bloco na rua, Eduardo não tem mais, nem se quisesse, como voltar atrás e ele não quer.

Foto: Flickr/Eduardo Campos

Eduardo Campos para Presidente do Brasil, prego batido, ponta virada

Postado por Toinho de Passira
Fontes: G1, Blog do Jamildo, Blog do Camarotti, Correio Braziliense

A candidatura de Eduardo Campos a presidente do Brasil, começou a semana com uma surpreendente revelação do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB), que numa entrevista a agência Reuters disse sem rodeios que o governador de Pernambuco, havia lhe confirmado que deverá ser candidato à Presidência em 2014.

O que surpreendeu é a que a noticia não teve nenhum impacto. Era uma confirmação de uma fonte importante e colocava Campos definitivamente no palanque de 2014, sem nenhuma dúvida. Mas, ao que parece, todo mundo já sabia, tinha tanta certeza, que nem registrou a revelação como uma novidade surpreendente.

O Partido dos Trabalhadores, por exemplo, não tem mais nenhuma dúvida, e já combate a candidatura de Campos com todas as forças e veemência.

O comentarista político da Globo News em Brasília, o pernambucano, Gerson Camarotti, postou nos seu blog hoje, que por determinação de Lula, o PT tentará asfixiar a candidatura de Campos.

O jornalista diz que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, determinou a cúpula petista que deflagrasse “uma estratégia para tentar asfixiar a pré-candidatura do governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), à Presidência da República”. “A ordem, segundo Camarotti, é tentar inviabilizar a candidatura de Campos nos próprios diretórios estaduais do PSB”.

Até janeiro Lula vinha enviando emissários com propostas para que Campos fosse vice de Dilma em 2014. Com as várias negativas do governador, o ex-presidente ficou contrariado e desde então passou a articular pessoalmente o esvaziamento da candidatura de Campos.

Entre as ações, o PT tem pressionado governadores do PSB, como Camilo Capiberibe (AP), Renato Casagrande (ES) e Wilson Martins (PI). Além disso, aposta na parceria com os irmãos Cid e Ciro Gomes no Ceará. Assim, os petistas procuram isolar Eduardo Campos dentro do seu partido.

Por outro lado, continua Gerson Camarotti, em conversas reservadas com interlocutores próximos, Eduardo Campos deixou claro que não vai se intimidar com a estratégia petista para tentar tirá-lo do jogo em 2014. Nessas conversas, Campos tem afirmado que não adianta o PT “tentar tirar oxigênio” dele e que o importante é ver se há espaço político ou não para a sua candidatura. Ele tem dito que não se sente intimidado com esses movimentos por parte dos petistas.

Para quem questiona o governador sobre sua ausência no cenário nacional nas últimas semanas, Campos tem sido enfático em dizer que não houve recuo em relação à sua disposição de lançar candidatura própria, mas que não pode descuidar da administração estadual. Ele não esconde o incômodo com o fato de o PT ter decretad0 que ele é o único nome que não pode ser candidato em 2014. “Estão jogando pesado”, desabafou para um interlocutor. Em seguida, acrescentou: “Consegui terminar o primeiro semestre, agora só falta a metade de 2013.”

Para outro interlocutor, Campos ainda lembrou de um acordo feito com a presidente Dilma Rousseff em janeiro, de que o importante para os dois era “ganhar” o ano de 2013. Campos fez referência a uma conversa com Dilma em que ambos decidiram deixar só para 2014 a definição sobre candidaturas às eleições e priorizar, no ano de 2013, o enfrentamento do cenário econômico adverso. “Para mim nada mudou”, disse Campos para um integrante do PSB.

Para tanto, neste fim de semana Eduardo Campos lançou um novo slogan de campanha, "Fazer mais e bem feito", segundo o Blog do Jamildo, nas inserções do PSB, em Goiás.

No material exibido, Eduardo Campos destaca para os goianos, os desequilíbrios regionais e afirma que "Goiás e o Centro-Oeste, como o Nordeste e o Norte, não podem abrir mão de terem políticas de incentivo fiscal". Ele também fala de geração de empregos, desenvolvimento.

O slogan anterior de Eduardo Campos, lançado nacionalmente desde abril, dizia que "É possível fazer mais e melhor". Duas semanas depois, a inserção do PT trazia Lula e Dilma pregando que "É possível fazer cada vez melhor” . Plagiou o slogan eduardista dando um tom de continuidade.

Eduardo não se fez de rogado, renovou o slogan e continuou. Aguardemos os próximos capítulos.

Nenhum comentário: