22 de mai de 2013

Cabral nega apoio a Dilma em 2014 se PT lançar candidato próprio no Rio

BRASIL -
Cabral nega apoio a Dilma em 2014
se PT lançar candidato próprio no Rio
Com Pezão e Paes, ele participou de encontro com Michel Temer para debater aliança; Dilma quando soube do assunto que seria tratado cancelou participação. Não se sabe quanto tempo ela terá para empurrar o problema com a barriga.

Foto: Roberto Stuckert Filho/Divulgação

Cabral nos tempos em que era um apoiador incondicional de Dilma e do PT. Põe agora, em cheque, a aliação do PMDB-PT no Rio.

Postado por Toinho de Passira
Fontes: O Globo

O governador do Rio, Sérgio Cabral, o vice-governador do estado fluminense, Luiz Fernando Pezão, e o prefeito do Rio, Eduardo Paes, se reuniram na noite desta terça-feira, na residencia oficial do vice-presidente da República, Michel Temer, para o encontro dos governadores do PMDB.

Cabral, como previsto, deixou clara a posição de que o apoio à candidatura presidencial da presidente Dilma Rousseff nas eleições de 2014 depende de o PT não lançar candidato ao governo fluminense. O princípio defendido por Cabral é de que o PT tem a obrigação de apoiar o candidato do PMDB no estado caso queira contar com a retribuição.

O assunto principal da noite foi a eleição de 2014. A situação eleitoral do Rio é uma das mais complexas para a aliança nacional PT/PMDB. Mais cedo, havia expectativa de que Dilma comparecesse ao encontro, mas a ida foi cancelada no final da tarde. Provavelmente a presidenta soube que seria posta contra a parede pelos pmdebistas de Cabral e resolveu adiar o confronto para adiante.

No final de semana, o senador Lindbergh Farias (PT) pôs fim à trégua dada a Cabral e Pezão. Após evitar confrontos públicos com os peemedebistas, a pedido do ex-presidente Lula, o potencial candidato do PT ao governo do Rio voltou a atacar os adversários em evento no último sábado, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense.

Os governadores começaram o encontro descrevendo para o comando nacional da legenda a situação do partido nos seus estados. Além de Cabral, outra a relatar problemas na relação federal e estadual foi a governadora Roseana Sarney, do Maranhão, que chegou ao encontro acompanhada do pai, senador José Sarney. Roseana fez questão de lembrar que o principal adversário de seu grupo político nas eleições, o ex-deputado Flávio Dino, foi nomeado por Dilma para presidência da Embratur, o que o teria fortalecido.

Também participaram da reunião os cinco ministros do partido: Edison Lobão (Minas e Energia); Moreira Franco (Aviação Civil); Antônio Andrade (Agricultura); Garibaldi Alves (Previdência) e Gastão Vieira (Turismo).

Será que Cabral está mesmo disposto a encarrar Dilma, Lula e Cia. Conseguirá Lula demover o senador Lindbergh Farias e seu grupo das pretenções de concorrer na eleição de governador do Rio de Janeiro? Fortes emoções nos próximos capítulos dessa novela carioca.

Foto: Givaldo Barbosa / O Globo

REUNIÃO NO JABURU - Temer ao lado de Sérgio Cabral, Roseana Sarney, José Sarney e os Ministros do PMDB durante reunião (conspiração) no Palácio do vice-presidente


Nenhum comentário: