7 de out de 2010

A prova viva que o PT e Dilma são a favor do aborto

ELEIÇÕES 2010
A prova viva que o PT e Dilma são a favor do aborto
Em setembro do ano passado, o deputado federal Luiz Bassuma teve suspensos seus direitos partidários dentro do PT pelo prazo de um ano por decisão da direção nacional da legenda. O motivo: era contra a orientação do partido a favor da legalização do aborto. Integrante da Frente Parlamentar em Defesa da Vida, Bassuma preferiu pedir sua desfiliação do PT, entrando no PV de Marina Silva e disputando o governo da Bahia pelo partido.

Foto: Divulgação

Foto oficial de Luiz Bassuma, como candidato ao governo da Bahia pelo PV. Ele enquanto deputado do PT foi punido pelo partido por ser contra o aborto

Postado por Toinho de Passira
Fontes: Estado de São Paulo

Com a questão do aborto tirando muitos votos de Dilma Rousseff, enquanto o Partido dos Trabalhadores está providenciando a retirada da proposta de defender a interrupção da gravidez das metas partidárias aprovada em convenção, a candidata Dilma transformou-se em ardorosa cristã e defensora de fetos em geral.

Estão aprontando para enganar o povo, como aquelas histórias de mocinhas que se apresentam dóceis e puras diante do noivo, até que o casamento se concretize.

A prova viva de como o Partido dos Trabalhadores e sua candidata realmente pensam sobre o aborto é o deputado federal e ex-petista Luiz Bassuma, que em setembro do ano passado foi punido duramente por ter mantido coerentemente sua opinião contraria a interrupção da gravidez, até porque era Integrante da “Frente Parlamentar em Defesa da Vida”, no Congresso Brasileiro.

A direção nacional do Partido dos Trabalhadores o puniu inapelavelmente com a suspensão dos direitos partidários dentro do PT pelo prazo de um ano, por ser contra a orientação do partido que pleiteia ferreamente a legalização do aborto.

O fato foi tão marcante, antidemocrático que o deputado Bassuma preferiu pedir sua desfiliação do PT, entrando no PV de Marina Silva e disputando o governo da Bahia pelo novo partido.

Falando ao Estado de São Paulo, o ex-petista Luiz Bassuma comentou:

“Cumpri quatro mandatos pelo PT e um dos motivos que me fizeram ser filiado ao partido era justamente o artigo interno que permitia aos integrantes terem direito à liberdade de opinião, de religião, de pensamento. Comigo não valeu.”“Fui punido quase por unanimidade pela direção do partido por ser contra a proposta (de legalização do aborto). Dilma era a ministra chefe da Casa Civil na ocasião. Durante a análise do meu caso, o PT deixou claro que é a favor da legalização e não concordo.”

Respondendo ao jornalista que perguntou que se não seria o caso do Partido punir também Dilma, pois ultimamente ela vem negando publicamente ser a favor do aborto, Bassuma disse:

“Acho que eles têm que assumir a verdade e dizer o que pensam sobre o assunto. Vai piorar a situação dela se mentir sobre o aborto por questões eleitoreiras. Vai ser um tiro no próprio pé. Na minha opinião, ela é materialista.”

“Eu me sinto honrado por ter sido suspenso pelo PT por ter defendido a vida. Essa é a bandeira da minha vida. Minha principal causa política. E o PT não respeitou esse meu direito. Envergonhado eu estaria se tivesse defendido o mensalão. Eu acho que o aborto significa matar uma vida.”

“O PV e Marina ainda vão definir suas posições sobre a sucessão presidencial. Mas eu vou votar e fazer campanha por José Serra em Salvador. Já estou anunciando esse meu apoio publicamente.” - concluiu Bassuma


Nenhum comentário: