9 de out de 2010

Marco Maciel se despede do Senado

BRASÍLIA
Marco Maciel se despede do Senado
Emocionado e digno, o senador pernambucano agradece o privilégio de ter representado Pernambuco, durante quarenta anos da vida nacional e agradece a Deus por ter humildade e resignação. Disse que mesmo fora da vida pública representativa vai continuar trabalhando por Pernambuco

Foto: Roosevelt Pinheiro/Abr

“Pernambuco e os pernambucanos são a razão de minha total dedicação. Mais do que uma vocação, a vida pública que abracei há quase meio século é um compromisso com o nosso povo e suas instituições”. – Marco Maciel

Postado por Toinho de Passira
Fontes: O Globo , Congresso em Foco

Emocionado, mas com a mesma serenidade que o caracterizou ao longo da vida política, o senador Marco Maciel (DEM-PE) despediu-se nesta terça-feira do Senado e dos demais senadores, já que não conseguiu se reeleger no domingo . Referindo-se aos 40 anos de vida pública, o político de perfil longilíneo e fervor católico disse aceitar com resignação e humildade os "elevados desígnios de Deus", a quem agradeceu por sua trajetória. Também se disse grato ao povo pernambucano pelo privilégio de representá-lo.

- Decidiram os eleitores não renovar o mandato que pleiteei. Isso não significa que deixarei de lutar por seus direitos, propugnar por sua ampliação e combater violações. Pernambuco e os pernambucanos são a razão de minha total dedicação. Mais do que uma vocação, a vida pública que abracei há quase meio século é um compromisso com o nosso povo e suas instituições - afirmou

Depois de 43 anos ininterruptos de atividade política, o senador Marco Maciel (DEM-PE), que tentava a reeleição para o quarto mandato não consecutivo, mas não conseguiu se reeleger relembrou momentos de sua trajetória pública em Pernambuco.

Marco Maciel chegou a se emocionar a certa altura do discurso, diante de senadores do governo e oposição que se revezaram nos apartes elogiosos. A intervenção do congressista pernambucano tomou cerca de uma hora da sessão não deliberativa, na tarde desta terça-feira.

Revezaram-se em manifestações carinhosas a Marco Maciel os senadores Antônio Carlos Júnior (DEM-BA), Roberto Cavalcanti (PRB-PB), Papaléo Paes (PSDB-AP), Eduardo Suplicy (PT-SP), Neuto de Conto (PMDB-SC), Demóstenes Torres (DEM-GO), Marisa Serrano (PSDB-MS) e Alvaro Dias (PSDB-PR).

“Desejo iniciar minhas palavras expressando o meu agradecimento a Deus, que me permitiu, com resignação e humildade, aceitar os seus elevados desígnios. E ao povo pernambucano, igualmente agradeço o privilégio de, nos últimos 40 anos, tê-lo representado nos mais altos fóruns do País”, discursou o senador, que ainda terá a tribuna do plenário à disposição até 31 de dezembro, quando encerra o mandato.

Ex-vice-presidente da República nos dois mandatos do tucano Fernando Henrique Cardoso (1995-2002), Marco Maciel foi aparteado pelo colega de estado e geração política Jarbas Vasconcelos, um dos fundadores do PMDB.

Foi um dos momentos mais emocionados da sessão – Jarbas defendeu o colega das palavras do presidente Lula, que, para eleger candidatos aliados ao Senado e preparar o terreno para Dilma Rousseff na Casa, disse mais de uma vez que Marco Maciel transcorreu décadas como protagonista político em Pernambuco, sem reverter essa experiência em benefício dos pernambucanos.

“Quem o agrediu foi nada mais nada menos que o presidente da República – que, na maioria das vezes, se torna uma figura pequena, tacanha. E foi assim que ele se comportou no centro do Recife antigo quando o agrediu, dirigindo-lhe palavras grosseiras, chulas, impróprias, sem o mínimo de respeito a um parlamentar, ex-governador, ex-ministro, ex-vice-presidente da República, presidente da República – pois vossa excelência tantas vezes ocupou a Presidência”, protestou Jarbas.

Marco Maciel durante todos esses anos de vida pública nunca esteve envolvido em um escândalo, numa falcatrua, numa tramóia política. Essa é a obrigação de qualquer político, mas diante da fauna política atual, o seu nome emerge como uma destacada exceção.

Marco fez muito por Pernambuco, por exemplo, toda a base do Porto de Suape, que serve para alavancar a economia pernambucana, e que Lula transformou em local de palanque, foi inicialmente estruturada no Governo Marco Maciel.

Quando vice-presidente da república deu apoio e incentivo as empresas pernambucanas, o que fez aumentar consideravelmente o nosso parque industrial, o agronegócio e o comercio varejista, no estado.

Marco Maciel não é católico de última hora, sempre foi e sempre será um fervoroso cristão, e enquanto legislador se posicionou contra essas heresias abortivas e aberrações legais, que tentaram nos últimos anos impor a sociedade brasileira, através do parlamento.

O mais lamentável é que Marco Maciel foi substituído por duas figuras sombrias, canhestras, suspeitas e comprovadamente despreparadas.

Ainda muitas vitórias políticas esperam Marco Maciel em Pernambuco, assim que os eleitores pernambucanos conscientizarem-se das más escolhas que fizerem.


Nossa participação na campanha de Maciel.

O senador Demóstenes Torres (DEM-GO) disse que Marco Maciel incomoda os maus políticos:
- “Essas pessoas não conseguem aguentar, não suportam o exemplo de dignidade que é vossa excelência!”


Nenhum comentário: