10 de out de 2010

Jogadora Marta vira embaixadora da ONU

BRASIL
Jogadora Marta vira embaixadora da ONU
A alagoana Marta, que há duas semanas conquistou o título da liga americana de futebol feminino com a equipe do Gold Pride, se juntará a outros embaixadores das Nações Unidas, como Angelina Jolie, Gisele Bündchen, Maria Sharapova, Antonio Banderas, George Clooney, Didier Drogba, Ronaldo e Zidane. Ela também fará parte do “Women's Empowerment”, programa da ONU que luta pelos direitos das mulheres.

Foto: Reuters

Marta, considerada a maior jogadora de futebol feminino de todos os tempos, foi escolhida pela ONU, devido a sua história de superação e triunfo na vida e no esporte.

Postado por Toinho de Passira
Fontes: Estadão, Globo Esporte, Abril Esporte, Womens Prosoccer

A alagoana de Dois Riachos, Marta Vieira da Silva, 24 anos, continua desfilando o seu futebol com competência pelo mundo. Domingo passado, a camisa 10 da seleção brasileira brilhou na decisão da WPS (Women's Professional Soccer), a liga norte-americana de futebol feminino. Ela fez o primeiro dos quatro gols da goleada do FC Gold Pride sobre o Philadelphia Independence por 4 a 0.

Quatro vezes considerada a melhor do mundo pela Fifa, a brasileira ainda foi consagrada pela organização do torneio. Com 19 gols, Marta foi considerada a jogador mais valiosa (MVP) da WPS.

Vencedora de todos os prêmios individuais possíveis, Marta acaba de ser escolhida para ser a primeira esportista brasileira a ser embaixadora da ONU. Ela é ainda a primeira jogadora de futebol a ganhar o título da Organização das Nações Unidas e, na prática, substituirá de forma progressiva a imagem emprestada por Ronaldo, o fenômeno.

Marta receberá o título nesta segunda-feira numa cerimônia que ocorrerá no fim da manhã em Estocolmo. A jogadora terá sob sua responsabilidade a função de promover programas sociais da ONU, com viagens já programadas para trabalhos na África. Outro foco da campanha com Marta será a redução da pobreza e conscientização de governos sobre a necessidade de cumprir as metas do milênio da ONU, o que inclui cortar o número de famintos pela metade até 2015.

As Nações Unidas afirmam que a escolha de uma mulher para o cargo pode estimular meninas de todo o mundo. Marta, assim como muitas jogadoras, vem de família modesta. A ONU também constata que o sucesso feminino em uma sociedade é termômetro do desenvolvimento de um país. Para a jogadora, a aliança com a ONU é positiva. Marta ganha uma nova plataforma para expor sua imagem, para além do futebol, e segue os mesmos passos de Ronaldo e Kaká, que também moldaram sua popularidade com ações sociais.

A ONU, porém, indica ainda que Marta deve ser uma das últimas embaixadoras escolhidas no futebol para promover campanhas de combate à pobreza. A partir de 2011, a entidade se voltará para outras áreas e também para outros esportes.

Nenhum comentário: