17 de out de 2010

Franceses protestam contra alteração na previdência

FRANÇA
Franceses protestam contra alteração na previdência
Os principais sindicatos da França medem uma queda de braço monumental com o presidente Nicolai Sarkozy, para evitar que o senado Frances, aprove a reforma da previdência, que entre outras coisas altera a idade de aposentadoria dos 60 para os 62 anos. Estão ameaçando com o desabastecimento de combustível e colapso no transporte rodoviário enquanto multidões, em protesto, ocupam as principais cidade do país. O governo francês alega que a medida visa desafogar o déficit previdenciário.

Foto: Le Figaro

Neste sábado três milhões de manifestantes, segundo os sindicatos, estiveram nas ruas da França, para protestar. As manifestações atingem as maiores cidades do país, na foto um ato público em Lillie.

Postado por Toinho de Passira
Fontes: Folha de São Paulo, Reuters, Le Monde, Le Figaro, Le JDD

O presidente francês Nicolas Sarkozy enfrenta uma semana de tudo ou nada para a impopular reforma da previdência que ele tenta aprovar.

Sindicatos dos ferroviários, dos caminhoneiros, dos trabalhadores de refinarias e manifestantes no país todo estão aumentando a pressão para que o presidente desista da idéia de alterar o sistema de aposentadoria francesa, tendo como um dos pontos mais polêmicos, o aumento da idade dos futuros aposentados que passariam de 60 para 62 anos, que está programada para ser votada no senado, nesta semana.

Foto: Reuters

Gente de todas as idades invade as ruas de Paris para demonstrar seu descontentamento contra as reformas

O presidente Sarkozy aparece irredutível afirmando que a medida visa reduzir o déficit público Frances e prometeu não ceder aos poderosos sindicatos do país.

Os sindicatos têm um histórico de impedir reformas e já prometeram que serão tão teimosos quanto Sarkozy.

Esta semana a determinação do presidente será testada de verdade em meio ao risco desabastecimento de gasolina nos postos do país, paralisando o transporte rodoviário, inclusive o de caminhões e de mais manifestantes tomarem as ruas da França.

Foto: Getty Images

Trabalhadores das refinarias em greve

Trabalhadores em todas as 12 refinarias francesas estão em greve. Se eles continuarem parados, os postos vão começar a ficar sem combustível pelo meio da semana, segundo a indústria petrolífera local. Nesse caso, o governo terá de começar a utilizar suas reservas estratégicas.

Até agora, menos de dois por cento dos postos franceses foram afetados e os principais aeroportos do país ainda têm combustível suficiente para continuar a operar por tempo indeterminado.

Temores de que o principal aeroporto da França, o Roissy Charles de Gaulle, fique sem combustível nas próximas 48 horas foram afastados pelo ministro dos transportes Dominique Bussereau, que disse que o oleoduto que supre o aeroporto continua a funcionar.

Foto: Associetad Press

Mas com todas as refinarias francesas em greve cerca de 350 a 400 postos da empresa francesa Total sofrem com falta de combustível.

A falta de combustível nos postos pode se tornar mais severa se o Sindicato dos caminhoneiros conseguirem parar o transporte rodoviário neste o domingo à noite e na segunda e se manifestantes forem às ruas em peso na terça-feira antes da votação no Senado.

Foto: Getty Images

Os estudantes entraram na luta, contra o projeto de Sarkozy

Se o Senado aprovar a medida, o presidente provavelmente vai receber a lei para sanção já na sexta-feira. A queda de braço Sarkozy sindicatos promete. Enquanto

Fotos: Getty Images

Enquanto um cartaz mostra Sarkozy com 70 anos, o outro fala de Carla Bruni, a mulher do presidente e manda o chefe de estado francês literalmente “sifú”. Fosse aqui Lula diria que era um golpe “daszelites”.


Nenhum comentário: