8 de out de 2010

CHINA: Dissidente chinês, preso ganha o Nobel da Paz

CHINA
Dissidente chinês, preso, ganha o Nobel da Paz
Liu Xiaobo, o dissidente chinês pró-democracia, que está preso, por defender liberdade de expressão no seu país, ganhou nesta sexta-feira o Prêmio Nobel da Paz por sua luta não violenta em prol dos direitos humanos. O governo da China torceu contra, pressionou para ele não ganhar e não gostou nada da honraria concedida ao professora de literatura

Postado por Toinho de Passira
Fontes: Reuters , The New York Times, Portal Terra, Jornal de Negócios, G1

O premio Nobel da Paz, deste ano, foi concedido para o dissidente chinês Liu Xiaobo, um professor de literatura de 54 anos que em dezembro de 2008 promoveu um manifesto, conhecido como a Carta 08, apelando ao respeito pela liberdade de expressão e os direitos humanos e por isso foi condenado a onze anos de prisão.

O governo chinês temia a concessão do prêmio a Liu e, por isso, vinha criticando duramente os responsáveis pela premiação, enquanto autoridades do país manifestavam seu desagrado contra o dissidente.

Chegaram a insinuar que a concessão poderia ser considerado um ato inamistoso e prejudicar as relações comerciais entre Pequim-Oslo, já que o comitê que concede esse prêmio tem sede na Noruega.

O porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros chinês Jiang Yu foi peremptório ao afirma nas vésperas do anuncio do premio declarando que Liu violara a Lei e as suas ações eram totalmente contrárias aos propósitos do Prêmio Nobel da Paz.

Essa pressão toda acabou favorecendo o dissidente chinês. A concessão do Nobel da Paz a Liu põe em evidência a situação dos direitos humanos na China num momento em que o país começa a assumir um papel de mais destaque no cenário mundial, como resultado do poder econômico propiciado por seu crescimento.

O Comitê elogiou Liu por "sua batalha longa e não violenta pelos direitos humanos fundamentais na China" dizendo acreditar "que existe uma estreita conexão entre os direitos humanos e a paz".

Outros dissidentes chineses, entre eles o advogado Teng Biao, que se ocupou da defesa de inúmeros casos de direitos humanos em seu país, disse acreditar que "o prêmio ajudará o desenvolvimento da democracia na China".

O presidente do Comitê, Thorbjoern Jagland, afirmou que a China, a segunda maior economia do mundo, deveria esperar estar sob um maior escrutínio à medida que se torna mais poderosa.

Em uma entrevista coletiva na Turquia, o primeiro-ministro chinês, Wen Jiabao, não respondeu a perguntas de jornalistas depois que o prêmio foi anunciado.

Foto: Getty Images

POLÊMICA - O Prêmio Nobel da Paz sempre causa polêmica. No ano passado o ganhador foi o poderoso presidente americano Barack Obama, muitos acharam injustos, precoce, bajulatório. Neste ano, um prisioneiro chinês, irrita o governo da China, que também não gostou quando o premiado foi o tibetano Dalai Lama em 1989

O Prêmio Nobel da Paz é concedido desde 1901, e é um dos cinco prêmios instituídos em seu testamento pelo químico e industrial sueco Alfred Nobel (1833-1896).

Este é o único Nobel que se decide e se entrega fora da Suécia, concretamente em Oslo (Noruega). Ele é dotado atualmente com dez milhões de coroas suecas (1,3 milhão de dólares), e é outorgado por um comitê de cinco pessoas escolhidas pelo Parlamento norueguês, segundo estipulou Alfred Nobel em seu testamento. Os Prêmios Nobel são destinados a recompensar os benfeitores da humanidade que se distingam a cada ano nos campos da Física, da Química, da Medicina, da Literatura e da Paz. Em 1968 o Banco da Suécia instituiu o prêmio em sua modalidade de Economia.

Alfred Nobel, inventor da dinamite, estava profundamente preocupado pelos horrores da guerra após comprovar os efeitos desse explosivo no conflito franco-prussiano e quis que um de seus prêmios fosse para "a pessoa ou entidade que mais ou melhor tenha contribuído à aproximação dos povos, à supressão ou redução dos exércitos permanentes e à promoção de congressos pela paz".

O prêmio Nobel da Paz é entregue no dia 10 de dezembro, aniversário da morte de Alfred Nobel, em cerimônia em Oslo da qual o rei da Noruega participa.

Foto: Reuters

Liu Xiaobo, o ganhador do premio Nobel da Paz, que está preso, acompanhado de sua esposa Liu Xia, que está sob vigilância

Fica a dúvida quem receberá no fim do ano o premio em nome de Liu Xiaobo que está encarcerado na prisão de Jinzhou, no nordeste da China. A melhor representante seria sua esposa, Liu Xia, a única que pode visitá-lo uma vez por mês, debaixo de severa vigilância. Mas por certo as autoridades chinesas não lhe deixaram representá-lo. Apesar de não está encarcerada Liu, está sob vigilância domiciliar desde que o marido foi detido em dezembro de 2008.


Um comentário:

Anônimo disse...

Mas nao e o Lulla o bebum que ia abocanhar esse premio?