20 de set de 2013

SWAT de Arkansas, alega legítima defesa, ao metralhar velhinho de 107 anos

ESTADOS UNIDOS – Violência Policial
SWAT de Arkansas, alega legítima defesa,
depois de metralhar velhinho de 107 anos
Monroe além de centenário tinha problemas auditivos e estava praticamente cego. Foi cercado pela polícia no seu quarto devido à queixa de outros moradores da residência onde alugará um quarto. Como não se entregou pacificamente e ameaçava os policiais com disparos, acabou morto, a tiros, dentro do seu dormitório. Nenhum policial resultou ferido.

Foto: Arquivo familiar

PERIGOSO? - Monroe Isadore no dia do seu aniversário de 105 anos, dois anos atrás

Postado por Toinho de Passira
Fontes: Daily Mail, Huffington Post, Ozarks First , Mirror, Everyjoe

Na pequena comunidade de Pine Bluff, Arkansas, EUA, Monroe Isadore, um homem de 107 anos de idade, foi morto, atingido por vários disparos, por membros de uma equipe da SWAT, no sábado, 7 de setembro. As autoridades insistem em que os policiais agiram em legítima defesa e que o homem atirou primeiro e estava tentando acertar os polícias, no momento da ação extemada.

Membros da comunidade, estranham a versão, uma vez que o ancião um cidadão pacto, nunca representou perigo, e um pouco mais de paciência e habilidade para lidar com a situação poderiam ter evitado a tragédia. Destacam, inclusive, que Monroe, como era de se esperar, devido a idade, tinha grande dificuldades de audição e era praticamente cego.

Tudo começou quando a polícia foi chamada a casa onde ele morava, em Pine Bluff, Arkansas, por dois outros moradores que alegaram terem sido ameaçados, pelo velhinho armado, quando a dona da casa, outra anciã, Pauline Lewis, de 80 anos, senhoria de Monroe, pediu que ele desocupasse o quarto, onde moravam há um mês.

Ao receber a informação de que deveria procurar outro lugar para morar, o centenário velhinho, teria se tornado violento e de posse de uma pistola, trancou-se no quarto, avisando, para a velhinha: ' Se você quer viver é melhor você ficar longe dessa porta.

Sentindo-se ameaçada, ela chamou a polícia local. A polícia de Pine Bluff, não conseguiu fazer o velhinho se entregar pacificamente, apesar das tentativas de negociações, encerradas quando ele disparou pela janela.

Seguindo o protocolo, os policiais locais convocaram a Swat, a polícia que socorre policiais em dificuldades.

Foto: Danny Johnston/AP

CENA DO CRIME – A casa em Pine Bluff, Arkansas, onde tudo aconteceu, Isadore ameaçava atirar em qualquer um que se aproximasse da porta do seu quarto

O pessoal da Swat montou todo circo, tentou negociar, introduziu uma câmera robô no quarto onde o velhinho estava entrincheirado, para constatar sua localização e se ele estava realmente armado. Ele estava armado com uma pistola, que segundo se apurou depois, havia comprado há poucos dias.

Depois de horas de tentativas perdendo a paciência com o velho ranzinza decidiram invadir o quarto. Antecipadamente lançaram bombas de gás arrobaram a porta e foram recebidos à bala pelo velhinho. No tiroteio subsequente Monroe Isadore acabou morto, com uma saraivada de tiros (não foi divulgado ainda quantos), há vizinhos que falam que aconteceram mais de trinta tiros durante o ataque.

Agora o ministério público investiga se houve exagero, falta de perícia, ou violência injustificada para um contingente da Swat, bem armados e treinados, não terem conseguido a não ser eliminando, deter um velhinho de 107 anos.

Na cerimonia fúnebre na Igreja Batista Missionária, frequentada por Monroe, o pastor Anthony Craig, disse que estavam reunidos não para discutir como ele havia morrido, mas para celebrar a sua vida, enfatizando que a comunidade de Pine Bluff, havia perdido um tesouro. Um dos amigos lembrou o permanente bom humor de Monroe, dizendo que a forma violenta como ele morreu não reflete de forma alguma a forma de como viveu.

Monroe Isadore deixa três filhos, sete filhas, 27 netos e 66 bisnetos.

Nenhum comentário: