29 de set de 2013

Quem indicou namorada de José Dirceu para cargo comissionado no Senado Federal?

BRASIL - Apadrinhamento
Quem indicou namorada de José Dirceu para
cargo comissionado no Senado Federal?
Apesar de tido como bonitão Dirceu nunca foi exigente no padrão das suas mulheres. Namorou belas e feias na mesma proporção. Parece preferir a diversidade, a qualidade. Oficialmente mantém 11 ex-mulheres harmoniosamente sob a sua proteção a maioria de uma forma ou de outra dependuradas nas tetas do estado. A mais nova, na folha do contribuinte, é Simone Patrícia Tristão, que ganhou um cargo comissionado no Senado, com R$ 12.800 mensais no contracheque. Como ela conseguiu a vaga?

Foto: Cristiano Mariz/Veja

No papel, Simone Patrícia Tristão (foto) obteve o posto, no Senado, por insuspeitadas habilidades em marketing de relacionamento. Na realidade, ela deve a colocação a outro tipo de relacionamento. Simone é a nova namorada do petista acusado de chefiar a quadrilha do mensalão, José Dirceu

Postado por Toinho de Passira
Fontes: Blog do Josias de Souza, Blog Hildegard Angel, IstoÉ, Veja, “Dirceu — A Biografia”

Garantia de estabilidade, altos salários e uma rotina confortável. O serviço público no Brasil é um mundo restrito ao qual só existem duas formas de chegar. A primeira - alternativa da maioria dos brasileiros - requer estudo, sacrifício e dedicação para conseguir uma vaga via concurso público. Já a segunda, aberta a poucos privilegiados, exige apenas ter os amigos certos nos lugares certos.

A recepcionista Simone Patrícia Tristão Pereira chegou perto disso justamente por essa segunda via. Dona de competências profissionais desconhecidas, ela conquistou um emprego invejável: desde último dia 8 de agosto ocupa o cargo de especialista em marketing de relacionamento no Instituto Legislativo Brasileiro (ILB), órgão de capacitação do Senado Federal.

Com salário de 12 800 reais, horário flexível e pouco ou quase nada para fazer, a moça não precisou se esforçar muito para chegar lá.

Bastou acionar as pessoas certas - ou, no caso dela, a pessoa certa: o ex-ministro José Dirceu, réu condenado a dez anos e dez meses de prisão por corrupção ativa e formação de quadrilha no escândalo do mensalão. O casal assumiu meses atrás um namoro que começou há alguns anos.

Foto: Agência Brasil

Renan também enrolado com mulheres compreende muito bem os problemas de Dirceu

Em notícia veiculada por Veja, os repórteres Robson Bonin e Adriano Ceolin contam que, no primeiro dia de trabalho, Simone foi apresentada aos novos colegas por ninguém menos que o diretor-geral do Senado, Helder Rebouças, homem de confiança do presidente da Casa, Renan Calheiros, amigo do peito do namorado da contratada. Tantos relacionamentos garantiram à nova funcionária a um horário maleável, uma rotina de trabalho flexível e virtual.

O expediente normal, para os outros mortais, começa às 8h. Mas Simone costuma chegar por volta de 11h. Ao meio-dia, sai para o almoço. Retorna habitualmente às 15h30. Deveria voltar para casa às 18h. Mas prefere sair um pouco antes, às 17h. Entre chegadas e saídas, a namorada de Dirceu preenche o tempo trocando mensagens pelo celular e realizando passeios virtuais pela internet.

Ou seja, gasta o tempo tediosamente usando o celular na repartição esperando a chegada da hora de ir embora.

Perguntou-se a Simone se o namorado a indicou para o emprego. E ela: “Conheço o Zé Dirceu tem muito tempo. Procura na internet que você vai ver [quem indicou]. Já trabalhei na Câmara, no governo do Tocantins. Se estou todo esse tempo [em cargos de confiança], é tudo via ele? Imagina!”

Depois de ter sido abordada, Simone foi ao gabinete do presidente do Senado. Chamando-a pelo nome, Renan Calheiros pediu que aguardasse, Recebeu-a na sequência. O teor da conversa é desconhecido. Foi Dirceu quem a indicou?, perguntou-se a Renan. “Não sei quem foi. Mas vou procurar descobrir”, ele respondeu naquele estilo próprio de quem vai tomar providencias que nunca chegaram a acontecer.

Submetido à mesma indagação, o diretor-geral Helder Rebouças, aquele que apresentara Simone aos colegas, fingiu-se de morto: “Não sei nada sobre isso. Nem sei quem é ela.” Quer dizer: a recepcionista Simone, namorada de Dirceu, amigo de Renan, superior hierárquico de Helder foi à folha do Senado sem concurso por obra e acaso.

Junto com essa notícia de indicação da namorada de Dirceu, na sua cota de prestigio no senado federal, oficializa-se que o ex-ministro mudou de mulher outra vez. Até pelo menos dezembro do ano passado, a titular do cargo era a Sra. Evanise Santos, mais conhecida por Eva, que estava com ele desde 2003. Com alguma idas e vindas.

Foto: Hildegard Angel

Integrantes do clube das ex-mulheres de Dirceu, Angela Saragoça e Evanise Santos, reunidas na casa dele. Como ele consegue?

Mas o clube de ex-de-Dirceu é grande, e deve ter até carteirinha. Num desses últimos dias de julgamento do mensalão, a colunista, Hildegard Angel, amiga de Dirceu, registrou que ele assistiu a sessão do Supremo, no salão de festas do seu prédio com amigos, entre os presentes três ex-mulheres de Dirceu: Evanise Santos, Marcia Ramos e Angela Saragoça. Ainda fez questão de anotar que a ex mais antiga, Clara Becker, não veio, mais telefonou de Cruzeiro do Oeste.

Basta lembrar o caso de Maria Ângela Saragoça – uma das que estava com ele assistindo o julgamento – conseguiu, nos tempos do mensalão, através de Marcos Valério, em 2003, um empréstimo camarada junto ao Banco Rural para que ela pudesse comprar um apartamento no bairro de Perdizes, em São Paulo. Usando sua influência, o publicitário mineiro ainda arrumou um emprego no banco BMG para ajudá-la a pagar as prestações do imóvel, onde ela vive até hoje.

Basta lembrar o caso de Maria Ângela Saragoça – uma das que estava com ele assistindo o julgamento – conseguiu, nos tempos do mensalão, através de Marcos Valério, em 2003, um empréstimo camarada junto ao Banco Rural para que ela pudesse comprar um apartamento no bairro de Perdizes, em São Paulo. Usando sua influência, o publicitário mineiro ainda arrumou um emprego no banco BMG para ajudá-la a pagar as prestações do imóvel, onde ela vive até hoje.


"Dirceu - A Biografia"
- O livro de Otávio Cabral
No livro “Dirceu — A Biografia”, do jornalista Otávio Cabral, há uma lista oficial, incompleta, de 11 ex-mulheres de Dirceu:

01. Maria Aparecida Sá de Castelo Branco, uma dançarina chinesa;
02. Iara Iavelberg (que achava Dirceu inculto e, depois, apaixonou-se por Carlos Lamarca);
03. a dançarina espanhola Ivone;
04. “Maçã Dourada” (a agente do Dops Heloísa Helena Magalhães);
05. Silvia;
06.Clara Becker (com quem ficou casado durante anos, sem revelar que era o Dirceu guerrilheiro; adotou outro nome, Carlos Henrique Gouveia de Melo, e iludia o povo da cidade de Cruzeiro do Oeste, Paraná);
07. Suzana Lisboa;
0 8. Miriam Botassi;
09. Maria Ângela da Silva Saragoça, que era casada quando começou o caso com ele;
10. Maria Rita Garcia de Andrade,
11. Evanise Santos;
até se chegar na atual, Simone Patrícia Tristão Pereira, que quando for trocada será a décima segunda.

Afora algumas que passaram meteoricamente pela sua vida, como uma importantíssima autoridade do poder executivo, atual.

Ter muitas ex-mulheres e administrá-las seria um problema privado de Zé Dirceu, se ele caridoso com o bolso alheio, não procurasse sempre pendurar num cargo público, numa empresa privada com interesse na coisa pública, o rebanho feminino a ele incorporado.

Em resumo: somos nós que pagamos as pensões alimentícias das mulheres de Dirceu.

Nenhum comentário: