27 de jun de 2013

Lula sai da toca para criar o caos

BRASIL – Povo nas Ruas
Lula sai da toca para criar o caos
Lula convocou os líderes de movimentos sociais, do seu curral e mandou que eles fossem para rua protestar. O ex-presidente adotou discurso de líder de massa. Poucos têm dúvidas que ele é candidatíssimo a presidente em 2014. Sua estratégia é tentar pegar o trem dos protestos em movimento e criar uma crise ainda maior. Dilma vai fritar em fogo brando, e ele apareceria como o salvador da Pátria idolatrada. Só não combinou ainda com o povo.

Foto: Ivan Pacheco/Veja

Lula movimenta-se mafiosamente para usar as manifestações populares em beneficio do seu palanque de 2014

Postado por Toinho de Passira
Baseado na reportagem de Tatiana Farah, para O Glono
Fonte: O Globo

Surpreendido pelas manifestações que tomaram conta do país, o ex-presidente Luiz Inácio Lula tem reunido os movimentos sociais mais próximos do PT para tratar dos protestos. O tom de Lula impressionou os jovens de grupos como o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), a União da Juventude Socialista (UJS), o Levante Popular da Juventude e o Conselho Nacional da Juventude (Conjuve).

Em vez de pedir conciliação para acalmar a crise no governo, Lula disse que o momento é de “ir para a rua”.

Convidados pelo ex-presidente, cerca de quinze lideranças participaram do encontro anteontem, na sede do Instituto Lula, no bairro do Ipiranga, em São Paulo. Estopim para a onda de protestos, o Movimento Passe Livre (MPL) não foi convidado.

— Ele chamou os movimentos de que tem mais proximidade, queria ouvir, saber a impressão. Colocou que é hora de trabalhador e juventude irem para a rua para aprofundar as mudanças. Enfrentar (politicamente) a direita e empurrar o governo para a esquerda. Ele agiu muito mais como um líder de massa do que como governo.

Não usou essas palavras, mas disse algo com “... se a direita quer luta de massas, vamos fazer lutas de massas”— disse um líder de um dos movimentos sociais.

Da direção nacional da UJS, que conta majoritariamente com militantes do PCdoB, André Pereira Toranski confirmou o tom do encontro:

— O (ex-)presidente queria entender essa onda de protestos e avaliou muito positivamente o que está acontecendo nas ruas.

Da reunião participaram jovens do movimento sindical, negro e de direitos dos homossexuais. Não foram convidados o Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTS) e do MPL, esses recebidos pela presidente Dilma Rousseff.

Lula tem passado os dias reunido com assessores em seu instituto, de onde faz telefonemas a governadores e líderes do partido.

O ex-presidente quer pegar o trem dos protestos em movimento. Mafiosamente pretende criar uma crise ainda maior, enquanto tenta apropriar-se das bandeiras que o povo levou para as ruas, como se fossem suas.

Por sinal, as bandeiras levantadas pelo povo, agora, eram as mesmas levantadas por Lula, quando era oposição.

O diferencial é que ele perdeu o direito a defender essas bandeiras, por que teve dez anos para solucioná-las e não o fez.

Vai ter que encarar o povo gritando na sua frente, pedindo justiça social, educação, saúde, segurança e extinção da corrupção.

Ele vai tentar fingir, cinicamente, que não tem nada com isso, como insinua que a movimentação popular espontânea seja um golpe de “direita”. Vai trazer para o palanque a tese desgastada que os esquerdistas, representados pelo seu grupo, são bonzinhos e gostam do povo e os direitistas, são demônios poderosos que devem ser combatidos em beneficio dos mais pobres.

Conclusão final, Lula resolveu enfrentar a crise, torcendo e contribuindo para ela piorar. Essa é a sua zona de conforto. Está em campanha para ser o candidato a Presidente em 2014. Para tanto vai ter que fritar numa enorme assadeira a companheira Dilma.

Quer um caos desgovernado, inquietante, para que ele possa brotar, como a salvação da lavoura. Só falta combinar com o eleitorado.

Foto: Miguel Schincariol/AFP

Nenhum comentário: