22 de jun de 2013

Gilese Bündchen, que vale sete vezes Neymar, apoia protestos

BRASIL – Fashion – Economia
Gilese, que vale sete vezes Neymar, apoia protestos
No instante em que apoia as manifestações brasileiras, a pedido da FORBES Brasil, o economista americano Fred Fuld, criador do Índice Gisele Bündchen, calculou o valor da bela na Bolsa de Valores de Nova York caso ela fosse uma empresa listada no mercado de ações. Resultado: descobriu-se que Neymar não amarra a chuteira da nossa über model

Foto: Mario Testino

Diferentemente da Petrobras, Gisele Bündchen Corporation está em alta,
com recomendações ao mercado “de forte compra”

Postado por Toinho de Passira
Fontes: Ego, Forbes, Gisele Intimates, Forbes Brasil, Veja, The Daily Mail

Gisele Bündchen usou o Instagram para falar dos protestos que aconteceram nas ruas de cidades do Brasil durante toda a semana.

"Não são só os vinte centavos. É a corrupção, é a falta de condições na saúde, na educação, na segurança e no transporte. Muita coisa precisa mudar no nosso país. Vamos continuar a lutar civilizadamente pelos nossos direitos, porque todos nós merecemos um Brasil melhor #MudaBrasil #SemViolencia", disse ela.

Lembrar que Gisele sempre esteve antenada com a política nacional e solidária com os problemas sociais brasileiros. No início do governo Lula, acreditando nas boas intenções do Petista, doou o cachê de sua apresentação do Fashion Week 2003, R$ 50 mil, para o programa “Fome Zero”, do governo Federal.

Na época, a primeira decepção, o ministro José Graziano, responsável pelo Fome Zero, levou 40 dias para fazer o depósito do cheque, mesmo assim, só após a imprensa ter denunciado a morosidade. Desde então, decepcionada com os caminhos do governo e do programa a modelo dissociou-se da política federal.

Listada entre as 100 mulheres mais poderosas do mundo, pela revista Forbes, a top brasileira Gisele Bündchen, se fosse uma empresa com ações negociadas na Bolsa de Valores de Nova York (New York Stock Exchange), hoje estaria avaliada entre US$ 250 milhões (R$ 530 milhões) e US$ 450 milhões (R$ 954 milhões), segundo o economista americano Fred Fuld, o criador do Gisele Bündchen Index.

Gisele Bündchen Index é a cotação da modelo brasileira, em relação ao que ela pode agregar as empresas que utilizam sua imagem. Desde 2007, quando foi criado, o Gisele Bündchen Index vem superando, com supremacia, a valorização do Dow Jones, o índice de Wall Street, a bolsa de Nova Iorque. O jornal britânico Daily Mail, publicou que entre 2007 e 2011, por exemplo, o índice Gisele tinha aumentado em 41 por cento, enquanto o índice Dow Jones caiu quatro por cento.

Nos dias atuais, levando em conta seus ativos financeiros e descontados os passivos, Gisele seria uma espécie de blue chip, termo usado para designar as ações de alta capitalização, geralmente as líderes de mercado.

Na prática, isso significa que Gisele equivale, por baixo, a quatro vezes o jogador Neymar, comprado recentemente pelo Barcelona por cerca de R$ 140 milhões. Mas a bela pode chegar a valer sete vezes o passe do craque. Ou seja: a loira de 1,79 m bateria um bolão nas passarelas de Wall Street.

"Se a Gisele fosse uma ação, eu definitivamente a compraria. Minha recomendação seria de forte compra (indica os papéis preferidos pelos analistas)", afirma o economista e consultor econômico Fred Fuld.

Nenhum comentário: