31 de mai de 2012

Demóstenes não fala e deputado pernambucano arma barraco

BRASIL - CPMI
Demóstenes silencia e deputado arma barraco
O senador Demóstenes Torres, na CPMI de Cachoeira, ao comunicar que usaria direito previsto na Constituição de 'permanecer calado' despertou um transe de baixaria no deputado pernambucano Sílvio Costa (PTB), que enfurecido começou a esbravejar e humilhar o interrogado. O senador Pedro Taques (PDT-MT) que o interrompeu pedindo respeito ao direito constitucional do depoente, acabou também sendo xingado pelo descontrolado Silvio que o chamou de “merda e filho da puta!”

Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil

O senador Demóstenes Torres (sem partido-GO) anunciando a intenção de usar o direito constitucional de não responder às perguntas feitas pelos parlamentares na sessão à Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) do Cachoeira.

Postado por Toinho de Passira
Fontes: Agência Brasil, Folha de São Paulo, Estadão, G1

O presidente da CPI do Cachoeira, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB), decidiu encerrar a sessão de depoimento do senador Demóstenes Torres (sem partido-GO) nesta quinta-feira (31) após a recusa dele em falar aos integrantes da comissão e depois de um bate-boca entre parlamentares - um a favor e outro contrário ao direito de Demóstenes ficar calado.

Demóstenes é suspeito de ter utilizado o mandato para beneficiar os negócios do contraventor Carlinhos Cachoeira. Em depoimento no Conselho de Ética do Senado na terça, ele negou a acusação.

Demóstenes ao chegar a sessão, nesta quinta-feira, 30, comunicou que não responderia a perguntas e permaneceria em silêncio durante a sessão, usando a "faculdade prevista na Constituição Federal de permanecer calado".

Assim que Demóstenes manifestou a intenção de não falar, o presidente da CPI, Vital do Rêgo (PMDB-PB), anunciou que o pedido de Demóstenes seria respeitado, assim como feito com outros depoentes que recorreram ao preceito constitucional de permanecerem calados na comissão.

Então o deputado Silvio Costa (PTB-PE) pediu a palavra e começou a questionar a postura do colega, chamando-o, aos gritos, de "hipócrita" e "mentiroso".

"O senhor passou cinco horas no Conselho de Ética e não conseguiu se explicar. Mas, aqui, com cinco minutos, o senhor explicou tudo. O seu silêncio é a mais prefeita tradução da sua culpa", ressaltou o deputado Silvio Costa. "O senhor apelou para Deus, se disse carola, mas o senhor não vai para o céu porque o céu não é lugar para mentiroso, não é lugar de gente hipócrita", disse o deputado se dirigindo a Demóstenes.

Diante da exaltação do parlamentar, o senador Pedro Taques (PDT-MT) reagiu: “Todos aqui, enquanto parlamentares, devem obedecer à Constituição Federal, que afirma que o cidadão, seja lá quem for, merece respeito. Fui procurador da República por mais de 15 anos e tenho a convicção de que um parlamentar não pode tratar quem quer que seja com indignidade". "A Constituição diz que devemos tratar a todos com urbanidade. Não cabe a qualquer parlamentar expor o outro, mesmo em se tratando de CPI", argumentou Pedro Taques.

Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil

O deputado Sílvio Costa (PTB-PE) recebendo um caboclo xingador durante reunião da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) do Cachoeira.

O aparte de Taques enfureceu ainda mais Silvio Costa que voltou a criticar Demóstenes.

"Vou lhe chamar agora de ex-futuro senador porque esse seu silêncio... Você vai ter 80 votos a favor da sua cassação. Você é um hipócrita, você trabalhou contra o país, você é um demagogo!", bradou Costa.

Com o clima quente, o presidente da CPI, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB), encerrou a sessão e autorizou Demóstenes Torres a deixar a sala.

De pé e com dedo em riste, Costa disse a Taques: "Você é um merda. Filho da puta. Você é um merda!" O xingamento foi presenciado pelos integrantes da comissão e por jornalistas presentes à sessão.

Costa deixou a sala aos gritos e, em entrevista, criticou Taques. "Ele é metido a paladino da ética. Ele tem que assumir: foi defender Demóstenes. Ele é um dos defensores do Demóstenes. Ele hoje tirou a máscara", disse.

No mesmo momento, Taques foi cercado por colegas da CPI, que o defenderam. "Isso é um abuso de autoridade parlamentar. Nenhum cidadão pode ser humilhado", afirmou o deputado Miro Teixeira (PDT-RJ). "Os líderes podem falar, mas tem que ser com elegância. Está errado o que o Silvio fez", disse o deputado Vanderlei Macris (PSDB-SP).

Indagado em entrevista se proporia uma representação contra o deputado por quebra de decoro, Taques afirmou: "Vou analisar o que será feito. Agora, você não pode representar por ofensa ao decoro contra quem não tem decoro". Ele disse ainda que não faz parte da "chacrinha" de Silvio Costa e que "desabafos se fazem em boteco, não em CPI".

SILÊNCIO
No início de sua fala, após dizer que iria ficar calado, Demóstenes informou que iria encaminhar à comissão as notas taquigráficas e a degravação do depoimento que deu na última terça (29) ao Conselho de Ética do Senado onde responde a processo por quebra de decoro parlamentar.

"Comunicamos que nós permaneceremos calados, uma vez que nosso advogado está providenciando junto ao Conselho de Ética a degravação desse depoimento que eu fiz, bem como as notas taquigráficas da sessão para que sejam encaminhadas a essa CPI", afirmou.

Nesta terça, Demóstenes falou por mais de cinco horas no Conselho de Ética do Senado, que o investiga por quebra de decoro parlamentar.


Nenhum comentário: