1 de mai de 2012

Brizola Neto vai surfar no Ministério do Trabalho

BRASIL - MINISTÉRIOS
Brizola Neto vai surfar no Ministério do Trabalho
Depois de quase cinco meses, após de ter dado o bilhete azul a Carlos Lupi, por corrupção, Dilma anunciou o deputado Brizola Neto, como o novo Ministro do Trabalho. O PDT, partido do velho e do novo ministro, sentiu-se desprestigiado, por falta de consultas. O PDT esperneia sem muita razão: como levar a sério um partido que deixa Lupi, assumir a presidência da legenda, após ter sido posto para fora do ministério sob a pecha de corrupto? O avô do futuro Ministro, o gaúcho Leonel Brizola é o fundado do PDT.

Foto: Antonio Cruz/ABr

O JOVEM - Em seu blog, Brizola Neto, que é surfista, diz que a pouca idade não é incompatível com o “equilíbrio”, não se sabe se ele está falando de política ou de surf.

Postado por Toinho de Passira
Fontes: G1, Blog do Josias de Souza, G1, Agencia Brasil, Correio do Brasil, Blog do Lobo

O Palácio do Planalto anunciou nesta segunda-feira (30) que o deputado Brizola Neto(PDT-RJ), 33, será o novo ministro do Trabalho. Ele está no segundo mandato de deputado federal e é Neto do fundador do PDT, o ex-governador do Rio de Janeiro, Leonel Brizola, falecido em 2004. Quando tomar posse se tornará o mais jovem ministro do governo Dilma.

O novo ministro começou a vida política como vereador do Rio de Janeiro em 2004 e foi Secretário de Trabalho e Renda do estado. Em 2006, foi eleito deputado federal e assumiu a liderança do PDT na Câmara em 2009, aos 30 anos.

Há mais cinco meses, o PDT vinha pressionando a presidente Dilma Rousseff para reassumir o comando do ministério do Trabalho, que se tornou cota do partido desde o governo Lula. O presidente do PDT, Carlos Lupi, ficou no cargo por mais de quatro anos. Saiu em dezembro de 2011, depois do desgaste provocado por denúncias de corrupção no ministério.

Brizola Neto não era o preferido do PDT, foi uma escolha pessoal da presidente Dilma e Lupi só foi comunicado da indicação, poucas horas antes do anúncio, em uma conversa com a presidente Dilma. Saiu sem comentar a escolha de Brizola Neto.

O PDT tem 26 deputados federais e cinco senadores, que se dividem entre os que apóiam e os que pregam independência ao governo.

As resistências no partido levaram Brizola Neto a cancelar a tradicional entrevista coletiva à imprensa. Segundo a assessoria, o novo ministro precisa de mais tempo para conversar dentro do PDT.

Em entrevista ao repórter da Globo News, Gerson Camarotti, Brizola Neto admitiu essas dificuldades: “Às vezes existe uma resistência ou outra, mas nada que não seja passivo da gente superar. O Lupi é fundamental para esse processo de unidade partidária”.

A coisa parece mais séria que o imaginado por Brizola Neto. O vice-presidente do PDT e líder da legenda na Câmara, André Figueiredo (CE), não se negou a comentar a decisão sem a participação do partido:

“O ministro Gilberto Carvalho [Secretaria-Geral da Presidência] ligou depois da decisão tomada, para nos comunicar. Coloquei a insatisfação de nunca ter sido chamado, nos últimos cinco meses, para conversar.”

O ex-líder na Câmara, Giovani Queiroz (PA), completou: “A presidente está mal assessorada. Se a assessoria tivesse dito a ela que ele não tem a simpatia, nem tem trânsito nem na bancada nem na Executiva, ela não teria indicado. Ideli [Salvatti, ministra de Relações Institucionais]. Se ele (Brizola Neto) tem o apoio das centrais, a presidente nomeou o ministro da Força Sindical, não do PDT.”

E acrescentou:

“Brizola Neto não conseguiu ganhar a confiança da bancada. […] Ele é o queridinho da presidente, não é nosso. Se [Leonel] Brizola estivesse vivo, ele teria levado umas palmadas, apesar da lei. Ele trai princípios partidários do PDT. No Ministério fará o jogo da presidente não o de interesse do partido.”

A insatisfação estende-se ao secretário-geral do PDT, Manoel Dias:

“O partido não avaliou. O partido está perplexo, porque ela [Dilma] fez uma indicação pessoal dela. Ela comunicou a escolha do ministro. Os partidos todos são ouvidos. Ao PDT, ela comunicou.”

Josias de Souza no seu Blog comenta:

”... se o objetivo não era obter a simpatia do PDT e garantir os votos da legenda no Congresso, por que diabos Dilma não acomodou na poltrona de ministro do Trabalho alguém do ramo, apartidário, realmente talhado para o cargo?

Foto: Fedoca Lima/Blog do Lobo

SURFANDO EM MAR AGITADO - Brizola Neto (PDT) é mais que um surfista de fim de semana, no ano passado, venceu o Osklen Surfing Arpoador Clássico, categoria Open. A habilidade no mar poderá ser útil para enfrentar as ondas adversas dentro do próprio partido? Como uma “Back door” (Parte da onda que quebra da direita para a esquerda), ou uma “Back Wash”(onda que vem ao contrário, da direção da areia

Nenhum comentário: