16 de jan de 2012

Sonda espacial russa caiu próximo a costa chilena

RUSSIA
Sonda espacial russa caiu próximo a costa chilena
Destroços da sonda Fobos-Grunt, que fracassou em sua missão de chegar a Marte, caíram na tarde deste domingo no Oceano Pacífico, próximo à costa do Chile.

Foto: Reuters

A sonda Phobos-Grunt, sendo preparada por cientistas espaciais russo, para uma missão ambiciosa que acabou fracassando

Postado por Toinho de Passira
Fontes:Washington Post, DCI, BBC Brasil, The Europen Union Times

A sonda russa Fobos-Grunt, que fracassou em sua missão de chegar a Marte, caiu fragmentada na tarde deste domingo no Oceano Pacífico, próximo à costa do Chile.

A nave é uma das mais pesadas e mais tóxicas que já caíram na Terra, ainda que a agência espacial russa tenha dito que a maior parte do veículo tenha se incinerando na entrada da atmosfera.

De acordo com agências de notícias russas, os destroços caíram a cerca de 1.250 quilômetros da ilha Wellington, na costa sul do Chile.

Um dos últimos relatórios divulgados pela agência espacial russa antes da queda gerou temores na Argentina, pois dizia que ela poderia cair na cidade de Rosário, a 300 quilômetros da capital Buenos Aires.

Popovkin insinuando que os americanos sabotaram o programa espacial russo.
De acordo com o órgão, o que sobraria da espaçonave ficaria dividido em 20 a 30 pedaços, com um peso total não superior a 200 quilos.

A sonda foi lançada em novembro com o ambicioso objetivo de recolher rochas de uma lua de Marte e trazê-las de volta para a Terra.

No entanto, a Fobos-Grunt teve problemas logo após seu lançamento, a 345 quilômetros de sua base.

Esta é a terceira espaçonave importante a reentrar na atmosfera em quatro meses, após os retornos do satélite americano UARS, em setembro, e do telescópio alemão Rosat em outubro. Ambos caíram no oceano.

Quarta-feira, passada enquanto se especulara a queda da sonda Fobos-Grunt, o chefe do programa espacial russo Vladimir Popovkin, comentando alguns dos recentes fracassos das naves russas, disse que elas poderiam ter sido sabotadas, supostamente culpando os Estados Unidos.

Enquanto isso, um general russo aposentado, Nikolay Rodionov, que comandou o sistema de alerta de mísseis balísticos, disse acreditar que a falha que impediu Phobos-Grunt de realizar a sua missão espacial foi causada por radiação eletromagnética de um radar americano no Alasca.

O general referia-se à frequência do Programa de Pesquisa de Aurora Ativa Alta site (HAARP), localizado na Gakona, Alaska, uma instalação oficialmente de estudo da ionosfera e seu uso para a comunicação.

Mas várias teorias da conspiração dizem que ali está sendo desenvolvida uma super arma com potencial para causar desastres naturais em escala global, incluindo terremotos, mudanças climáticas e inversão dos polos magnéticos.

A Missão Phobos-Grunt pretendia alcançar a lua marciana Fobos, colher uma amostra de seu solo e regressar à Terra, em uma das mais desafiadoras missões interplanetárias não tripuladas, nunca dantes empreendidas. A missão foi interrompida, quando inexplicavelmente seus motores falharam e ela ficou desgovernada circulando em um orbita baixa sobre a terra, até cair.

Baixando um pouco a bola, o cientista russo Popovkin disse que os especialistas ainda não conseguiram determinar por que os motores da sonda não obedeceram aos comandos, mas admitiu que o programa sofreu com a escassez de financiamento que levou a algumas "arriscado soluções tecnológicas."

Nenhum comentário: