16 de jan de 2012

Big Brother: Acusação de estupro elimina participante

BRASIL
Caso de estupro no BBB12 elimina participante
Acusado de ter estuprado uma companheira no BBB12, o modelo Daniel Echaniz, foi expulso nesta tarde. A vítima foi a estudante Monique Amin, que teria sido molestada pelo participante, por estar inconsciente após ter ingerido bebidas alcoólica durante uma festa do programa. Independente da expulsão do programa a polícia já investiga o caso e Daniel deverá ser processado.

Foto: TV Globo/Divulgação

Daniel foi um dos quatro participantes que entraram por último na casa. Sai da casa, com a carreira de modelo encerrada, acusado de estupro e com contas a acertar com a polícia.

Postado por Toinho de Passira
Fontes:O Globo, Terra, UOL, Terra, BBB 12, Folha de São Paulo, Veja

O modelo Daniel Echaniz, 31, foi expulso do "BBB12" após ter supostamente estuprado a estudante Monique Amin. O blog da jornalista Patrícia Kogut, do jornal "O Globo", foi a primeira a noticiar a eliminação do candidato da casa, ainda na tarde desta segunda-feira, quando já havia muita especulação.

Na madrugada de sábado para domingo (15), Daniel e Monique dormiram na mesma cama, após terem participado de uma das festas do BBB. Foi possível observar uma movimentação intensa de Daniel, debaixo do edredom, em circunstancia que fazia supor um ato sexual, enquanto a estudante, Monique, parecia dormir.

O vídeo que mostra a cena, foi postado inúmeras vezes por assinantes do pay-per-view do Big Brother na TV a cabo, mas tem sido retirado do ar quase que automaticamente, com um aviso que há um pedido da Globo alegando direitos autorais.

O site da Veja diz que durante sete minutos a jovem, completamente inerte, sofreu o ataque sexual de Daniel.

Nesta segunda, a participante Monique foi chamada ao confessionário para esclarecer pela segunda vez - ela já havia feito isso poucas horas depois do ocorrido - o que aconteceu entre ela e Daniel.

Poucos minutos depois do retorno de Monique, todos os participantes foram chamados para dentro da casa e recolheram algumas roupas do armário e colocaram em uma mala. Possivelmente os pertences de Daniel, que já havia saído da casa.

Os participantes escutaram com apreensão as ordens da produção, mas quando o áudio da casa foi aberto não se ouviu comentário sobre a saída de Daniel.

Segundo a jornalista Patrícia Kogut, do jornal "O Globo", a decisão foi tomada pela direção depois que a Polícia Civil esteve no Projac para investigar o caso.

O delegado Antonio Ricardo, titular da 32ª DP (Taquara), instaurou inquérito para apurar o caso e segundo as últimas notícias ouviu pessoalmente os envolvidos do suposto crime, dentro do Projac , cidade cenográfica da Globo no Rio de Janeiro.

Segundo o advogado Sergio Ribeiro, ouvido pela reportagem do Terra, no caso, como Monique estava embriagada, ou seja, inconsciente, o inquérito policial pode ser aberto na categoria de "estupro de vulnerável" e, desta forma, tanto o Ministério Público quanto o delegado podem determinar sua instauração, mesmo que não haja queixa formal da vítima.

O site da Veja condenou a forma como a produção do programa lidou com o caso, perguntando: “Daniel está expulso do Big Brother Brasil 12. Ou seria eliminado? Afinal, o modelo teve um comportamento inadequado – ou teria sido ele acusado de um crime grave? A edição do BBB12 levada ao ar nesta segunda-feira pela Globo mostrou que o programa pode ter tudo, menos a realidade que dá nome ao seu gênero televisivo.”

Foto: Captura de Tela

Pedro Bial, irreconhecivelmente impreciso, vacilante e dissimulado, informando a eliminação do participante Daniel.

Na boca de Pedro Bial, o inquérito policial aberto pela 32ª DP do Rio para apurar o possível estupro da gaúcha Monique pelo modelo paulista, após a festa de sábado no reality, se transformou em avaliação “cuidadosa” e “sem precipitação” do fato por parte da Globo”.

Pior: Boninho, o diretor do programa, mostrou que segue se colocando acima da lei, pois o caso de Daniel foi tratado como um desrespeito às regras do BBB, e não às leis. Se a Globo entendeu que o modelo agiu mal sob o edredom com uma embriagada Monique, foram antes as leis do país e não as regras do reality que ele desrespeitou”.

“Desde o domingo de manhã, a direção do programa vem avaliando o comportamento do participante Daniel, suspeito de ter infringido as regras do programa”, disse Pedro Bial logo no começo da edição desta segunda.

Mais tarde concluiu dizendo: “O BBB avaliou o comportamento do participante. Sem precipitação, com o máximo de cuidado, avaliamos as imagens que evidenciaram uma infração ao regulamento do programa. A produção entendeu que, sim, o comportamento de Daniel na noite da festa foi motivo de eliminação.”

”E não se falou mais do caso ao longo da edição, nem mesmo para explicar ao telespectador alheio à discussão o que se passou com Daniel, acusado de ter abusado de Monique após a festa de sábado no BBB12. O silêncio sobre o assunto, aliás, impera também no pay-per-view, onde o áudio chegou a ser cortado no início da noite desta segunda, enquanto a produção mandava Daniel fazer as malas e dar o fora da luxuosa casa montada para o reality no Projac. Mesmo depois de restituído o som, não se ouviu os participantes tocarem no assunto. Ao que tudo indica, foram orientados a evitar o tema”.

O caso não vai acabar por aí, como sonha a Rede Globo. Vai ser muito difícil a polícia e o Ministério Público, provar legalmente que houve estupro. As imagens dizem da possibilidade, mas no mundo legal as provas podem ser insuficientes para uma condenação. Um exame de corpo de delito na moça não acrescentará nada, pois não houve violência física e as marcas e resíduos do possível estupro já sumiram depois de tanto tempo da ocorrência do evento.

Os advogados dele vão alegar que ele também havia bebido, que as condições de confinado na casa alterou sua capacidade de censura, de autocontrole, e, por fim, vão falar mal da vítima, sem nenhuma piedade. Depois o que vai acontecer é previsível, o eliminado Daniel Echaniz vai processar a Rede Globo e pedir uma indenização milionária, por ter sido acusado de estuprador e a justiça ter “reconhecido a sua inocência.”

Foto: TV Globo/Divulgação
A estudante Monique Amin, em conversa com os brothers, contou que estava embriagada na noite da balada, que pediu diversas vezes para Daniel parar de agarrá-la e que considera que ele foi "muito mau caráter" se fez sexo enquanto ela estava dormindo.

Não se sabe o que se passa na cabeça da estudante Monique Amin, assediada sexualmente enquanto dormia, diante de milhões de telespectadores. Mas ao final, quando sair, possivelmente também deverá acionar a Globo e o BBB, pedindo uma indenização milionária e merecida.

Espera-se que em paralelo a justiça condene também a produção do programa, por ter assistido impassível os fatos criminosos acontecerem. Que enquadre o temperamental Boninho que a princípio, inclusive, saiu em defesa do estuprador dizendo que não houve o crime e que as pessoas estavam sendo racista.

Por causa disso é que o sempre eloquente Pedro Bial foi tão econômico e lacônico em comentar os fatos.

Infelizmente esse evento vai fazer o programa, que apresentava uma audiência aquém do padrão global, aumente o número de espectadores.


Nenhum comentário: