30 de jan de 2012

Fidel não morreu, ainda

CUBA
Fidel não morreu, ainda
A mídia estatal cubana, através do website “Cubadebate, acusou os exilados, através de redes sociais e do Twitter a espalhar rumores que Fidel Castro teria morrido. Chamou os boateiros de "contrarrevolucionários necrófilos”. O boato da morte de Fidel chegou a ficar em quarto lugar, entre os assuntos mais comentados, na internet, nos primeiros dias deste mês de janeiro.

Foto: Reuters

ATRAÇÃO TURISTICA PARA CHEFE DE ESTADO: - A última aparição pública de Fidel Castro foi ao lado do presidente iraniano Mahmoud Ahmadinejad, que visitava Havana, 12 de janeiro de 2012

Postado por Toinho de Passira
Fontes:BBC Brasil, Cuba Debate

AA mídia oficial cubana, não gostou nada do boato da morte de Fidel que invadiu a internet, no começo desse mês. O website “Cuba Debate”, um publicação que tem o lema “contra el terrorismo mediático”, especializado em “desmentir e desmistificar”, o que aparece na imprensa, fora da Ilha, sobre Cuba, publicou um texto, que começava comentando que o Guinness, o livro dos recordes, havia registrado que Fidel Castro é a pessoa que mais vezes se tentou matar, no planeta.

Segundo eles, o livro também poderia incluir, os inimigos da Revolução Cubana como os mais frustrados assassinos da história.

Para o Cuba Debate, a frustação do mundo real, tem levado alguns a experimentar no mundo virtual, a possibilidade de conseguir, o que foi tentado durante meio século de tentativas criminosas.

Para eles, o site de microblog Twitter e cubanos exilados são os responsáveis pelos rumores que inundou a internet, no começo do mês, de que Fidel Castro teria morrido.

Chamam os expatriados cubanos residentes na Flórida de "contrarrevolucionários necrófilos" e diz que o Twitter intensificou os boatos, que acabou pondo #FidelCastro um dos assuntos mais comentados, na rede, chegando ao quarto lugar entre os trending topics.

O artigo intitulado "Nova mentira contra #FidelCastro fracassa no Twitter" também afirmou que um internauta em particular, chamado Naroh, teria dado início aos rumores.

O dono da conta @Naroh, que diz que seu nome é David Fernandez, que tem 20 anos e vive na Espanha, se disse surpreso com a acusação do website cubano.

Ele publicou no Twitter: "Cuba me culpa por começar o boato sobre a morte de Fidel Castro".

"Eles deveriam checar suas 'informações' antes de culpar alguém sem razão alguma. Eu escrevi sobre isso quando o assunto já estava na lista de mais populares e meus tuítes eram piadas em sua maioria. Eu não comecei nada", afirmou Naroh.

Fidel Castro, de 85 anos, passou o poder a seu irmão Raúl em 2006, após ficar gravemente doente, mas ainda, supostamente, publica colunas de opinião ocasionalmente.

Boatos sobre sua suposta morte na internet não são novidade. Em agosto de 2011, uma foto alterada circulou na rede mostrando o líder cubano em um caixão.

No momento, Fidel Castro, que teima em ficar vivo, virou uma atração turística empalhada, para Chefes de Estado. Todas as vezes que um presidente ou primeiro ministro visita a Ilha, Dilma também irá avistá-lo, empanturram-no de remédios e o fazem posar para fotos, ao lado do visitante, por alguns minutos, como se estivessem novinho em folha. Nestas imagens, sempre feita por fotógrafos oficiais, Fidel aparece, porém, tão recauchutado, quanto aqueles cadillacs que circulam pelas ruas de Havana.


Cadillac cubano, múmia automobilistica, digna de estar sepultada em algum ferro velho, tal qual o ditador Fidel.


Nenhum comentário: