14 de jul de 2012

Chávez comemora "milagre da cura" com eleitores

VENEZUELA - 2012
Chávez comemora "milagre da cura" com eleitores
Chávez mesmo convalescente do tratamento do câncer, saiu em campanha pela Venezuela. Havia rumores que ele não conseguiria fazer comícios, e que seu estado de saúde delicado, o afastaria do corpo a corpo com os eleitores. Mesmo mais comedido e visivelmente exaurido ele faz o que pode para animar e arrastar as multidões de seguidores, disposto a lutar pela reeleição a qualquer custo.

Foto: Carlos Garcia Rawlins/Reuters

O presidente e candidato à reeleição, Hugo Chávez, em carreata pelas ruas de Barcelona, Venezuela

Postado por Toinho de Passira
Fontes: Terra, El Universal, El Tiempo

Mesmo que esteja curado do cancer, todo mundo sabe que o tratamento deixa sequelas e limita fisicamente o paciente. Mas Hugo Chávez em plena disputa eleitoral não pode se dar o luxo de convalecer. Dentro do possível vai as ruas pedir votos para se reeleger. As pesquisas o mostram ainda como vitorioso, em outubro, mas a oposição tem subido nas pesquisas.

Elogiando a sua recuperação do câncer como um "milagre" e alegrando seus partidários com uma retórica espiritual, o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, caiu na estrada para fazer campanha para a reeleição em outubro.

Há poucos dias rebatendo a oposição que insinuava que ele não tinha mais a mesma energia, tanto que não estava fazendo campanha, como sempre fez, Hugo Chávez disse que não estava nas ruas, nem em comícios, porque estava sem tempo, cuidado da Venezuela e dos venezuelanos, insinuando que seu opositor Henrique Capriles é um desocupado.

Mas como as pesquisas começaram a se movimentar, mesmo que timidamente, na direçãodo opositor, Chávez foi para a estrada. Para pedir votos e para demonstrar que está “saudável”.

Iniciou uma série de comícios iniciados pela cidade de Barcelona, no leste do país, procurando mostrar que a sua saúde está boa e para aproveitar a conexão emocional com os pobres da Venezuela, que apoiam seu regime, não recuou, nem quando uma tempestade caiu sobre a multidão em delírio.

Foto: Carlos Garcia Rawlins/Reuters

A multidão o acompanhava em cortejo, na noite fria e chuvoso, antes e depois do comício

"Estou na rua novamente, graças a Deus, depois de tudo o que aconteceu no ano passado. É um milagre!", bradou ele a dezenas de milhares de partidários na noite de quinta-feira na primeira de uma série de aparições planejadas ao redor do país.

"O furacão bolivariano está de volta!", acrescentou Chávez a aplausos calorosos, referindo-se ao herói da independência sul-americana Simon Bolivar cujos ideais - e persona - ele procura adotar.

Embora Chávez tenha dito que está completamente curado do câncer depois de três cirurgias em Cuba durante o ano passado para remover dois tumores malignos na região pélvica, as dúvidas persistem. Os médicos dizem que é impossível ser declarado livre do câncer até que dois anos se passem sem reincidência. Mas muitos disseram no passado, que ele nem estaria vivo para tentar se reeleger.

Embora o líder de 57 anos esteja claramente desfrutando de um surto de energia, ele está longe de seu estilo famoso da política de rua, onde ele mergulhara na multidão, praticava esporte nas aldeias, e infinitamente abraçava mães e crianças.

No comício de quinta à noite, Chávez subiu em um caminhão, mandando beijos e colocando a mão no coração, em vez de andar por entre a multidão. Ele caminhou devagar no palco e pareceu visivelmente cansado no final de um discurso de campanha de duas horas.

Foto: Carlos Garcia Rawlins/Reuters

Para os partidários, simplesmente vê-lo ao vivo é suficiente

Muitos esperaram sob a chuva para a sua aparição triunfal em cima de um veículo decorado com as cores do partido e estampado com seu slogan: "Chávez, o coração da minha pátria".

Ele disse a frase repetidas vezes durante seu discurso. "Quando eu vejo vocês, eu me sinto me tornando vocês. Vocês também são Chávez, cada jovem venezuelano, cada trabalhador, cada avô. Vocês são todos Chávez."

Chávez enfrenta agora talvez o mais difícil desafio eleitoral até agora, uma vez que partidos de oposição da Venezuela se juntaram para apoiar um jovem ex-governador de Estado, Henrique Capriles, de 40 anos, que também vêm atraindo multidões pelo país. Chávez lidera a maioria das pesquisas em dois dígitos, mas assessores de Capriles afirmam que sua turnê "de casa em casa" renderá frutos em breve.

Chávez fará tudo que for necessário para impedir.


Nenhum comentário: