19/07/2012

O video pornô da CPMI do Cachoeira

BRASIL
O video pornô da CPMI do Cachoeira
A bela assistente parlamentar, a advogada, Denise Leitão Rocha, era a alegria da Comissão Parlamentar de Inquérito do Carlinhos Cachoeira. Sua chegada iluminava o ambiente e fazia jornalistas e parlamentares comportarem-se com idiotas. Romário que o diga. Semana passada, o mundo da moça desabou: um antigo vídeo dela com um parceiro sexual, foi disseminado no Congresso, como o rastilho de pólvora. Virou um incomodo. Perdeu o emprego e está deprimida. A única notícia boa, é que a revista playboy quer estampá-la na capa da próxima edição.


Postado por Toinho de Passira
Fontes: O Globo, Blog do Noblat, Extra, Extra

A assessora parlamentar Denise Rocha, que causou comoção na CPI do Cachoeira em função de seus atributos físicos, foi demitida do gabinete do senador Ciro Nogueira. O motivo foi um o vazamento de um vídeo caseiro com cenas de sexo. Há três semanas, nenhum tema é tão comentado na CPI quanto as imagens que passaram de celular em celular, de pendrive em pendrive, de tablet em tablet.

Como a CPMI está muito chata e produz pouca notícia interessante, a visão de Danise Rocha, 29 anos, alvoroçou a turma que cobre a comissão no congresso, logo nas primeiras sessões.

A jovem advogada chama a atenção por seu corpo, com formas exageradamente volumosas, um monumento de silicone e musculação.

Pessoas que dedicam tanto tempo ao próprio corpo sente uma necessidade permanente de exibi-lo orgulhosamente, pois ele é resultado de muito esforço e dedicação.

O Facebook de Denise é repleto de fotos dela em trajes de banhos exibindo o corpão ornado com caprichadas tatuagens.

A cautela de que se tratava de um “suposto” vídeo de sexo com a assessora parlamenta, foi deixada de lado, quando se comparou as tatuagens das imagens da gravação com as das fotos de biquínis publicadas por ela no Facebook. Uma enorme tatuagem nas costas e pegadas de cãezinhos partindo da virilha, não deixaram dúvidas; Foi condenada sumariamente, sem direito de defesa. Pelo andar da carruagem, ela foi a primeira o será a única pessoa punida na CMPI do Cachoeira.

- É uma situação complicada, não vejo condições de ela desempenhar o trabalho dela depois disso. Porque ela trabalha nas comissões, não é dentro do gabinete - explicou o senador Ciro Nogueira (PP-PI) justificando a demissão da moça, que trabalhava com ele desde 15 de fevereiro de 2011, quando foi nomeada para o cargo de assistente parlamentar – AP-03 com salário de R$ 4.084,29 (Quatro mil, oitenta e quatro reais e vinte nove centavos).

Neste fim de semana a revista Veja numa nota na sessão Gente da dizia que ela havia saído chorando de uma sessão da CPMI do Cachoeira, porque devido ao tal vídeo de sexo, ela fora aconselhada a abandonar o recinto porque os senadores não queriam que ela fosse fotografada na sala da comissão e não queriam registros fotográficos deles ao lado dela. A nota falava ainda que a assistente é bem relacionada na casa.

“Denise tem entre seus contatos o deputado federal Romário (PSB-RJ).Os dois já se cruzaram em um hotel em Teresina, em maio. “Não tivemos nada porque ele namorava um delegado. Ela é do bem.” - disse Romário a Veja.

O jornal EXTRA disse, porém, que apesar da negativas tanto de Romário, quanto de Denise as evidencias dizem o contrário: “Denise chegou ao hotel, em Teresina, no carro do artilheiro e subiu junto com ele no elevador, carregando seu paletó”- afirma a matéria, do Extra. Romário tinha ido a capital do Piauí participar de um jogo festivo.

Fofocas a parte, Denise Rocha, agora está desempregada, humilhada e com a vida marcada para sempre por esse desagradável incidente.

Resta-lhe a opção de ganhar um grana saindo nas páginas da revista Playboy. A revista já a havia procurado no passado, assim que ela virou notícia, e ainda não era escândalo, na instalação da CPMI. Noticia-se que os contatos retornaram com mais voracidade, pressa e chances de serem aceitos.

O jornal O Globo, diz que ela está sendo aconselhada amigos para aceitar a proposta como oportunidade de saltar para a fama.

No ano passado ela teria sido convidada para participar da prova "Afogando o Ganso" do programa Pânico da TV, mas rejeitou justamente pela incompatibilidade com o cargo que ocupava.

Na terça-feira, em entrevista, Denise prometeu processar os autores do vazamento do vídeo:

- Não sei o que é esse vídeo. Não vi. Estou tomando medidas judiciais. É o meu trabalho. Eu estou ali para advogar, não estou para palhaçada - reagiu Denise, que tem um escritório de advocacia em Brasília.




A tatuagem do Facebook e a vídeo, a identificou

Nós vimos o vídeo. Não se trará de nenhuma aberração. E apenas um ato sexual, até meio insosso, entre um homem e uma mulher. Há imagens do seu rosto e de do parceiro, e closes da sua genitália. Estão lá as tatuagens das pegadas de bichinhos na virilha e a da fênix nas suas costas. Ela e o rapaz conversam durante a transa, os diálogos são em função da preocupação deles se a cena está sendo filmada.


As últimas notícias são de que Romário nega-se a fazer comentários sobre Denise. Ela estaria deprimida: não retorna telefonemas, nem dos amigos, saiu da casa do pai, onde reside e está em local desconhecido. A imprensa sensacionalista está toda ao seu encalço.


Nenhum comentário: