26 de jul de 2012

Globo praticamente fora da cobertura olímpica

INGLATERRA – Olimpíadas de Londres
Globo praticamente fora da cobertura olímpica
Como a Rede Record detém a exclusividade de transmissão das Olimpíadas de Londres, a Globo só pode transmitir por dia, somando todos os noticiários, seis minutos de imagens do evento, três horas após terem acontecido. Galvão Bueno não tem credenciais para circular pela Vila Olímpica, fará uma cobertura light, do evento, para a TV a cabo, pelo canal Sportv


Com exclusividade total, a Record joga pesado com a Globo

Postado por Toinho de Passira
Fontes: G1 – Jornal Nacional, Na telinha - UOL

A rede Record comprou a exclusividade de transmissão das Olimpíadas de Londres 2012. Nenhuma outra TV aberta brasileira, incluindo aí a Rede Globo, vai poder transmitir ao vivo, jogos da competição.

Na TV a cabo os canais da Sportv, ESPN e Bandsports compraram a Record direitos de transmissão.

Essa é a primeira vez que a Globo, não vai transmitir as olimpíadas.

Nesta quarta, tanto no Jornal Nacional quanto no Jornal da Globo, foi anunciado que a cobertura das Olimpíadas pela emissora, serão limitadas por não possuírem direito de transmissão.

No site do Jornal Nacional há uma nota explicativa:

Regras do COI para uso de imagens das Olimpíadas
O JN seguirá as regras do Comitê Olímpico Internacional, que limita o uso de imagens do evento pelos não detentores de direitos de transmissão

A cobertura jornalística da Rede Globo dos Jogos Olímpicos 2012 seguirá dois princípios de que não pode abrir mão: informar os seus telespectadores e respeitar acordos sobre direitos esportivos.

Para isso, a emissora comprou da OBS (Olympic Broadcast Services) o acesso às imagens dos Jogos Olímpicos vendido a não detentores dos direitos de transmissão que aceitam as regras do COI (Comitê Olímpico Internacional) para a utilização jornalística em suas coberturas do evento.

Essas regras determinam que, ao longo do dia, um total de apenas seis minutos de imagens sejam usados por no máximo três programas jornalísticos regulares, sendo que cada um deles poderá usar apenas até dois minutos, não ultrapassando, por evento ou prova, 30 segundos ou 1/3, o que for menor. A OBS produzirá boletins atualizados de 30 minutos sobre as Olimpíadas a cada meia hora, que serão transmitidos via satélite a todos os assinantes do serviço.

Imagens de arquivo de Jogos Olímpicos passados contam nos seis minutos diários e, portanto, nos dois minutos por programa. Outra restrição é que as imagens só poderão ser usadas três horas depois que tiverem sido exibidas pelo detentor dos direitos de transmissão em TV aberta. No momento em que as imagens dos Jogos Olímpicos estiverem sendo mostradas nas reportagens, os assinantes do serviço da OBS se comprometem a creditá-las ao detentor dos direitos de transmissão.

Seguindo a experiência internacional, e sem ferir as regras do COI, fotos serão utilizadas sempre que imagens de um evento não puderem ser exibidas.

São restrições importantes do COI que a TV Globo acata num esforço para bem informar os seus telespectadores.

Como acontece em todo o mundo com os não detentores de direitos de transmissão, o respeito a essas regras implicará, naturalmente, uma cobertura mais limitada do que a que realizamos nos últimos anos, mas suficiente para divulgar as principais notícias sobre os Jogos Olímpicos.

A Record disse hoje, que mesmo assim, os outros canais que não detém os direitos de transmissão, estão sendo mais beneficiados, que nas Olimpíadas anteriores, referindo-se obviamente a ditadura da Rede Globo, quando está com a exclusividade nas mãos.

Acontece que sem a Globo anunciar os acontecimentos das Olimpíadas, o interesse do telespectador brasileiro arrefece e a Record, não consegue a audiência sonhada. Foi assim nos Jogos Pan Americano, dois anos atrás.

Todo monopólio é odioso. Tanto da Record quanto da Globo, mas o pessoal de Roberto Marinho tem mais competência de transformar o evento num espetáculo.

O canal de TV por assinatura Sportv conseguiu levar para Londres, Galvão Bueno para ser sua grande estrela nas transmissões da Olimpíada de Londres. Além de participar de transmissões, Galvão Bueno terá uma coluna diária no Sportv, comentando os resultados do dia nas várias modalidades. Ele também fará dois programas especiais para o "Conexão Sportv".

Porém, o narrador não foi credenciado entre os profissionais da emissora. Por isso, ele não poderá circular nem gravar dentro da vila olímpica. Tudo será feito dentro dos estúdios do Sportv em Londres.

Galvão fará a narração da abertura das Olimpíadas para a Sportv, nesta sexta-feira, 17.


Nenhum comentário: