30 de jul de 2012

Mulher de Cachoeira tentou chantagear juiz

BRASIL – Corrupção
Mulher de Cachoeira tentou chantagear juiz
O juiz federal Alderico Rocha Santos, responsável pelo processo de Carlinhos Cachoeira em Góias, afirmou ter sido chantageado por Andressa Mendonça, mulher do contraventor. Segundo o magistrado, Andressa o procurou na quinta-feira (26) afirmando que evitaria que informações comprometedoras, a seu respeito, fossem publicadas pela revista Veja. Em troca ele teria que libertar e absolver o seu marido.

Foto: Sebastião Nogueira/O Popular

MULHER DE BANDIDO - Andressa Mendonça, perdendo o status de musa

Postado por Toinho de Passira
Fontes: G1 - Goiás, O Globo, Veja, Jornal do Brasil, Radar Online,/

Andressa Mendonça, mulher do contraventor Carlinhos Cachoeira, tentou chantagear o juiz federal Alderico Rocha Santos, da 11ª Vara Federal de Goiânia.

Segundo o magistrado, Andressa Mendonça, teria lhe informado que tinha condições de evitar que um dossiê com informações desfavoráveis, ao seu respeito, fosse publicado pelo jornalista Policarpo Júnior na revista Veja. Em troca queria que o juiz concedesse liberdade ao seu marido, Carlinhos Cachoeira e o absolvesse das acusações ofertadas pelo Ministério Público.

O conteúdo da suposta corrupção ativa praticada pela mulher de Cachoeira consta na decisão do juiz federal Mark Yshida Brandão, diretor do Foro da Seção Judiciária de Goiás, em resposta à representação encaminhada pelo Ministério Público Federal. Baseado na denúncia do juiz Alderico Rocha, o MPF entrou com pedido de mandados de condução coercitiva para Andressa e de busca e apreensão em sua casa, além de medidas cautelares pessoais contra a companheira do bicheiro.

Entre as determinações, Andressa está proibida de acessar ou frequentar o prédio da Justiça Federal de Goiás; de manter qualquer contato, pessoal, telefônico ou por qualquer outro meio, ainda que por outra pessoa, com o juiz Alderico; de manter contato com qualquer um dos réus investigados pela Operação Monte Carlo.

Na decisão, publicada na página da Justiça Federal de Goiás, o diretor do Foro destacou trecho do ofício enviado por Alderico Rocha, onde relata que "a referida senhora continuou a insistir para que este juiz revogasse a prisão do seu marido Carlos Augusto, argumentando que o referido dossiê iria, também, constranger o juiz Wilson Dias, afirmando que o mesmo é compadre deste juiz e que sabia da convivência familiar existente". (?)

"A gravidade dos fatos noticiados, decorrente da ousadia e destemor demonstrados pela requerida ao tentar intimidar e chantagear o juiz federal encarregado da condução do processo pertinente a Operação Monte Carlo, por si só, exige a imediata aplicação de medida capaz de obstar novas incursões da requerida e proteger o juiz federal Alderico Rocha Santos de qualquer tentativa de intimidação, a fim de que possa desempenhar o seu mister", escreveu Brandão.

Hoje pela manhã, Andressa foi levada para a Delegacia da Superintendência da Polícia Federal de Goiânia, onde deveria prestar esclarecimentos sobre a suposta chantagem feita ao juiz Alderico, mas instruída por um advogado ficou em silêncio. A Justiça decidiu que ela terá três dias para pagar uma fiança estipulada em R$ 100 mil, como forma de garantir o cumprimento das medidas cautelares impostas e assegurar o seu comparecimento ao Juízo Federal todas as vezes que for intimida.

"Ela poderá ser presa em caso de descumprimento de uma das determinações cautelares determinadas pela Justiça. Ela está proibida de entrar em contato, inclusive por telefone, com qualquer um dos investigados pela Operação Monte Carlo", explicou o delegado.

Se for indiciada e condenada por corrupção ativa, Andressa poderá pegar de dois a 12 anos de prisão, além de pagar multa. Na casa onde vive a mulher de Cachoeira foram apreendidos dois computadores e dois tablets que serão periciados.

Foto: Diomício Gomes/O Popular/Agência Estado

A Andressa que saiu hoje da Polícia Federal, estava “desglamurisada” e arredia com a imprensa, muito diferente daquela musa sorridente de outras ocasiões.

Andressa vem se enredando no caso. Começa-se a suspeitar que ela era, na quadrilha, muito mais, que simplesmente a mulher do bandido Carlinhos Cachoeira.

Na última quarta-feira, o Ministério Público Federal já havia pediu à Polícia Federal que abrisse inquérito para apurar o suposto uso de Andressa como laranja de Cachoeira. Documentos apreendidos na Operação Monte Carlo indicam que Cachoeira negociou a compra de uma fazenda de R$ 20 milhões entre Luziânia e Santa Maria, a 100 quilômetros de Brasília, e passou para o nome da namorada.

A CPI do Cachoeira também já marcou a data para o depoimento da atual mulher do bicheiro Carlinhos Cachoeira e da ex-esposa do contraventor, Andréa Aprígio, na comissão que investiga as relações de Carlos Augusto Ramos com políticos e empresários.

Aparentemente Andressa não teria dificuldades em pagar os R$ 100 mil de fiança, mas o problema vai ser conseguir um valor tão alto, em tão pouco tempo, e que tenha uma origem legal, sob o risco dela se enredar ainda mais.

No seu radar Online, Lauro Jardim comenta, nesta segunda, que na “lista das fortunas em nome de integrantes do bando do bicheiro Carlinhos Cachoeira, o que chama atenção é o patrimônio “franciscano” do próprio bicheiro: 1,5 milhão de reais resumido em um terreno em Goiânia.

A ex-mulher de Cachoeira Andrea Aprigio tem 16,3 milhões de reais em patrimônios, e a atual mulher, Andressa Mendonça, tem 20 milhões de reais resumidos em uma fazenda. Já os três irmãos “Almeida Ramos” de Cachoeira, tem fortunas distribuídas em quantias bem diferentes: Paulo (8,1 milhões de reais), Marco Antonio (2,7 milhões de reais) e Reginaldo (17,1 milhões de reais).

Adriano Aprigio, ex-cunhado de Cachoeira fecha a lista das maiores fortunas com 9,4 milhões de reais.

O patrimônio completo do bando de Cachoeira, segundo a PF apurou, envolve 36 fazendas e chácaras, 58 apartamentos, treze casas, dezoito prédios e salas comerciais, 74 terrenos, 51 veículos de passeio, 32 motos, quatro caminhões, 21 empresas e 3 415 cabeças de gado. O valor estimado de todos esses bens somados é de cerca de 167 milhões de reais.

Dessa contabilidade vão ter que abater R$ 15 milhões para pagar o advogado Márcio Thomaz Bastos, e R$ 100 mil para pagar a fiança de Andressa.

Espera-se que revista Veja, nesta terça-feira, se pronuncie sobre o fato de ter sido mencionada por Andressa, como parte da chantagem.


Nenhum comentário: