18 de jul de 2013

Estados Unidos nega visto a Diego Maradona, impedindo que ele vá a Disney com neto

ARGENTINA – Bizarro
Estados Unidos nega visto a Diego Maradona,
impedindo que ele vá a Disney com neto
O jornal inglês The Sun, que noticiou em primeira mão, diz que o motivo foi político, pela forma antagônica e agressiva que o ex-capitão da seleção argentina refere-se aos EUA, sempre ao lado de notórias figuras políticas antiamericanistas como Castro e Hugo Chávez

Foto: Divulgação

Diego Armando Maradona, visto como inimigo pelos Estados Unidos

Postado por Toinho de Passira
Fontes: The Sun, Uol, O Povo, Terra, Folha de São Paulo, Diario do Grande ABC

O ex-jogador argentino Diego Maradona não é bem-vindo nos EUA. Pelo menos é o que indica a embaixada do país em Dubai, Kuwait, onde o atleta reside atualmente. Maradona foi até a embaixada e solicitou um visto de entrada com intuito de visitar a Disney com seu neto Benjamin, mas teve o pedido recusado por “questões políticas”.

Segundo o jornal inglês The Sun, o permanente antagonismo exibido publicamente pelo jogador contra os EUA, foi o motivo dele ser barrado de entrar no país.

” O relacionamento dele com os Estados Unidos nunca foi bom. A amizade dele com Fidel Castro, com Hugo Chávez e com outros inimigos dos EUA já o impediram de conseguir o visto antes”, declarou uma fonte do jornal inglês.

Maradona tem no ombro uma tatuagem do guerrilheiro argentino Che Guevara e na perna esquerda uma tatuagem de Fidel Castro, a quem visita regularmente, desde que era titular da seleção Argentina.

Maradona programava levar o seu neto, Benjamin, de quatro anos, para os parques da Flórida. Seria acompanhado da namorada Rocio Oliva, de 22 anos, e de sua filha, Dalma, de 26, mãe do garoto. Segundo o jornal inglês, o pedido negado foi um verdadeiro ‘chute no dente’ de Maradona, já que “a família estava ansiosa pela viagem”.

Maradona nunca foi de se esquivar dos assuntos políticos. Admirador confesso de Che Guevara, amigo do cubano Fidel Castro de do ex-presidente venezuelano Hugo Chávez e do boliviano Evo Morales, personagens antiamericanistas da esquerda latino-americana.

Comenta-se que desde que foi flagrado no exame antidoping, com cocaína, na copa do mundo em 1994, por inúmeras vezes os Estados Unidos nega-lhe vistos de entrada.

Pelos problemas com drogas o Japão também não permitiu sua entrada, por mais de uma vez, em 1994, para participar de um jogo beneficente e em 2000, quando pretendia assistir à final do Mundial Interclube, entre Real Madrid e Boca Juniors.

Durante a Copa do Mundo de 2002, o Japão depois de uma recusa inicial, concedeu o documento, devido a forte interferência do governo argentino, ele que havia sido contratado por um canal mexicano como comentarista da Copa, só conseguiu o visto em tempo de assistir a final Brasil e Alemanha, e teve o desprazer de ver o Brasil se tornar penta-campeão do Mundo.

Nenhum comentário: