12 de nov de 2010

Topless contra visita de Putin a Kiev

UCRÂNIA
Topless contra visita de Putin a Kiev
As meninas do movimento feminista FEMEN puseram o peito à mostra e acabaram presas, no fim do mês passado, para protestarem contra a visita do primeiro-ministro russo, Vladimir Putin, à Ucrânia

Foto: Reuters

“Peito ao léu contra visita de Putin a Kiev” – dizia a manchete do jornal português Expresso

Postado por Toinho de Passira
Fontes: El Correo Web, AFP, G1, RTP, FEMEN, Censor Net, Kyiv Post, Expresso, Ucrania Moçambique, Clica Piaui

As principais lideranças do grupo feminista ucraniano FEMEM reuniram-se no centro da capital ucraniana, primeiro diante da estatua de Stalin depois numa sacada, protestando contra a política de aproximação do governo do seu país com os russos.

Foto: Reuters

A polícia ucraniana apareceu e mais uma vez as meninas acabaram dormindo na cadeia, acusadas de conduta desrespeitosa e desacato contra as autoridades policiais, por desobediência, as ordens de se vestirem, e para encerrarem a manifestação não autorizada, em espaço público.

Apesar do sensacionalismo e bom humor do protesto, a causa tem origens justas e preocupantes.

Parte dos políticos ucranianos comungam das preocupações das meninas do FEMEN receando que os acordos assinados anteriormente pelo presidente russo, Dmitry Medvedev e agora pelo presidente Putin e as autoridades ucranianas, o primeiro ministro ucraniano, Nikolai Azarov, e o presidente Viktor Yanukovich ameaçam “o futuro da democracia ucraniana” no que eles chamam a “russificação” do país.

Foto: Getty Images

Num dos cartazes, não sabemos qual, podia ler-se: "Não nos deitaremos com os anões do Kremlin", uma referência à baixa estatura de Putin e do presidente russo, Dimitri Medvedev.

O FEMEN compara os recentes acordos com a Rússia, ao casamento “no estilo asiático”, sendo os russos o “marido rico” e a Ucrânia a mulher submissa sujeita a um papel apenas decorativo na relação.

Há também suspeitas de um clima de golpismo totalitário do dirigente ucraniano, Viktor Yanukovich, fortemente apoiado por Moscou, após vitória nas eleições presidenciais no começo deste ano.

Foto: Portal FEMEN

Após sair da cadeia, a integrante do FEMEN mostra que os idéias continuam gravados no peito.

Veja o que foi publicado, no “thepassiranews” sobre o FEMAN

Permalink


Um comentário:

Ajuricaba disse...

Deveriam incentivar esse tipo de protesto por aqui. Eu compro os pincéis.