20 de nov de 2010

Papa aceita uso de preservativo para evitar HIV

VATICANO
Papa aceita uso de preservativo para evitar HIV
Numa reviravolta de opinião o Papa Bento 16 admite o uso de camisinha, para “reduzir o risco de infecção por HIV.” Há cinco anos atrás, o Vaticano vetou a participação da cantora baiana Daniela Mercury num Show em homenagem ao Papa, pois ela participara de uma campanha de uso de preservativo no carnaval da Bahia.

Foto: Arquivo – Getty Images

O papa, que agora libera a camisinha, proibiu, em 2005, Daniela Mercury, por defender o uso de preservativos

Postado por Toinho de Passira
Fontes: Yahoo - Notícia, Estadão , Folha Online, Portal Terra, O Globo, Aciprensa, Radio Vaticano

O papa Bento XVI disse que o uso de preservativos é aceitável "em certos casos", principalmente "para reduzir o risco de infecção por HIV". A afirmação consta no livro que será lançado nesta terça-feira, aparentemente abrandando sua firme oposição contra o contraceptivo.

Em uma série de entrevistas publicadas na Alemanha, sua terra natal, o papa de 83 anos foi questionado se "a Igreja Católica não é fundamentalmente contra o uso de preservativos". O papa respondeu que a "Igreja não vê o preservativo como uma solução real e moral, mas, em certos casos, onde a intenção é reduzir o risco de infecção, ele pode ser utilizado como um primeiro passo para outro, mais sexualmente humano", disse o papa.

O novo volume, cujo título é "Luz do Mundo: o Papa, a Igreja e os Sinais dos Tempos", é baseado em 20 horas de entrevistas conduzidas pelo jornalista alemão, Peter Seewald.

Essa é uma mudança radical de opinião, no ano de 2005, o Vaticano cancelou a participação da cantora Daniela Mercury, no concerto de Natal, com a presença do papa Bento 16, que contou com artistas de vários países.

A época o porta voz da Igreja informou que a decisão foi tomada por conta da participação de Daniela em uma campanha anti-Aids, do Ministério da Saúde, no Carnaval, em que ela defendeu o uso de preservativos.

Em nota, a cantora, embaixadora do UNICEF (Fundo das Nações Unidas para a Infância) e do Unaids (programa da ONU para HIV/Aids), se declarou católica e disse acreditar que o uso de preservativos "é um instrumento de proteção à vida".


Camisinhas também fez o Vaticano barrar Sandy e Jr.
Nem a defesa, do então, Presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e Primaz do Brasil, o Cardeal-arcebispo de Salvador, Geraldo Majella Agnelo, consegui convencer o Vaticano a permitir Daniela no show.

Nos bastidores, o sacerdote jesuíta, Giuseppe Belucci , um dos encarregados da montagem do show, afirmou para a imprensa que “o Vaticano decidiu excluir Daniela Mercury do elenco “por suas convicções sobre os contraceptivos“ e porque ela “havia anunciado que no concerto promoveria abertamente o uso dos preservativos”.  Falou-se, na ocasião, que a cantora pretendia entregar uma camisinha ao Papa.

Mas a baiana não foi à única punida por defender o uso de camisinha: quando da visita do Papa ao Brasil em 2007. A inocente dupla dos irmãos Sandy & Júnior também foram vetados no show oferecido ao Papa, durante sua visita ao Brasil em 2007. Sandy e Júnior haviam participado de uma campanha governamental defendendo o uso de preservativos.

Nenhum comentário: