24 de set de 2014

Edison Lobão, cadê você?

BRASIL - Desaparecimento
Edison Lobão, cadê você?
Por que o Ministro das Minas e energia tirou férias e sumiu de circulação num momento em que tanto se precisaria dele?

M
Edison Lobão, um lobo estepe?

Postado por Toinho de Passira
Fontes: Blog do Noblat, ”thepassiranews”, Folha de S. Paulo, Blog do Rodrigo Constantino

Quem souber do paradeiro do advogado Edison Lobão, 78 anos, ex-jornalista, casado com a pernambucana Nice Lobão, deputada federal pelo estado do Maranhão, com quem tem três filhos e atual Ministro das Minas e Energia do Governo Dilma, deve informar imediatamente para o povo brasileiro.

Lobão entrou para a vida pública em 1962, num cargo comissionado, Assessor do Ministério de Viação e Obras Públicas (1962), do governo do Distrito Federal (1964/1968) e não largou mais as tetas dos cofres púbicos.

Foi eleito deputado federal pela ARENA e a seguir pelo PDS em 1978 e 1982, ingressando no PFL em atenção à liderança política de José Sarney, que manteve o controle da seção maranhense da legenda, embora filiado ao PMDB desde a sua candidatura a vice-presidente de Tancredo Neves.

Eleito em 1986 para o seu primeiro mandato de senador e em 1990 venceu as eleições para governador do Maranhão sob a tutela de Sarney. Em 1995 voltou ao senado sendo desde então sido reeleito sucessiva e initerruptamente.

Nomeado ministro de Minas e Energia pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva em 21 de janeiro de 2008, passou a vaga no senado para o seu filho, Edison Lobão Filho, também conhecido como Edinho, seu primeiro suplente.

Após ter sido reeleito novamente senador, em 2011 foi reconduzido à pasta de Minas e Energia pela presidente Dilma Rousseff, onde está até hoje. Está?

Desde o começo do mês, quando o Ministro Lobão, apareceu na lista dos políticos citados como beneficiários do esquema de corrupção da Petrobras, tornou-se um lobo desaparecido na estepe do silêncio.

A história diz que Lobão já escapou de outras acusações cabeludas, no passado recente, usando a mesma tática da invisibilidade de ausência.

Seriamos capazes de apostar, que desta vez, o plano não funcionaria, devido o momento delicado do processo eleitoral acirrado. Mas o lobo mau, maranhense escafedeu-se, com a cumplicidade da presidenta Dilma Rousseff, a candidata que não responde, e até agora assiste a tudo aboletado nas montanhas da impunidade presumida.

Temerosa de ser arrastada para o mesmo redemoinho onde está o seu importante Ministro, Dilma, conivente, em pleno 7 de setembro concede-lhe convenientes férias. A urgência e o descaramento, não lhe deixaram avaliar que seria visto como um simulacro de fuga, esse repouso remunerado intempestivo.

Até agora, inclusive, Lobão mereceu um tratamento VIP, por parte da Presidenta, que não o incluiu no pacote de aviso prévio, num próximo eventual governo, como fez impiedosamente com o Guido Mantega. O que nos faz supor que Lobão poderá sim, sobreviver a tempestade e continuar sentado, durante um próximo mandado de Dilma - que Deus nos livre - na quase vitalícia vaga, no Ministério das Minas e Energia.


Um estranho lobo anda uivando lá pros lados da Ilha de Curupu, no Maranhão

Da única vez que foi questionada pela imprensa sobre a situação de Lobão, Dilma reagiu como uma mãe ofendida pelas calúnias de que seu “filho” estaria sendo vítima: "Ele (Lobão) não sabe nem do que está sendo acusado, a revista (Veja) não diz. Vocês sabem?".

O repórter preferiu silenciar, mas se fora agudo teria dito: “Presidenta ele e a senhora sabem do que a revista está falando. Não se faça de sonsa. É sobre aqueles milhões em dólares que estão em contas numeradas em paraísos fiscais”.

Desde então até a imprensa esqueceu Lobão, até que ontem Noblat, no seu Blog conclamou a sociedade:

”Roga-se aos bons corações que informem o paradeiro de Edison Lobão, ministro das Minas e Energia de Dilma Rousseff, desaparecido desde que seu nome foi citado por Paulo Roberto Costa, ex-diretor da Petrobras, como envolvido no escândalo de corrupção que abalou a empresa e o governo”.

Por pura presunção fornecemos uma pista ao IBAMA: procurem inicialmente debaixo dos bigodes de Sarney: tem sido ouvido em noites de lua, um uivo sinistro lá para os lados da Ilha de Curupu, na Baía de São Marcos, no município de Raposa, no estado do Maranhão. Coincidentemente, a ilha privada e indevassável, abriga as mansões da família José Sarney.

Nenhum comentário: