13 de set de 2014

Avião que levava Eduardo Campos tinha apólice de seguro de US$ 50 milhões. Atingidos sem indenizações

BRASIL - Tragédia
Avião que levava Eduardo Campos tinha apólice de seguro de US$ 50 milhões. Atingidos ainda sem indenizações.
Irmão do ex-governador protocolou ofício no MPF para pedir à Cessna, fabricante do avião, e ao Bradesco que cumpram os termos da apólice

Foto: Futura Press

Local da queda de aeronave em Santos, no litoral paulista

Postado por Toinho de Passira
Reportagem de Mariana Zylberkan
Fonte:  Veja

Um mês após a queda do avião que matou Eduardo Campos, o irmão do ex-governador de Pernambuco, o advogado Antonio Campos, negocia para indenizar as famílias que tiveram suas casas destruídas no acidente. Nesta sexta-feira, ele protocolou ofício no Ministério Público Federal para pedir à Cessna, fabricante do avião, e ao Bradesco para confirmar a vigência de uma apólice de seguro com prêmio de 50 milhões de dólares para danos a terceiros.

O documento chegou às mãos de Campos nesta semana por meio da família do comandante Marcos Martins, que morreu na tragédia. Na apólice, a empresa AF Andrade como segurada. A validade se estende até dezembro deste ano e está condicionada à presença do comandante Martins e de Geraldo Magela, o copiloto, na aeronave.

No ofício, Campos pede que o valor do seguro seja revertido de imediato ao ressarcimento de danos sofridos pelas vítimas. Em nota, o advogado defendeu a divulgação, mesmo que inicial, das investigações sobre as causas do acidente. “É o que aguardam e pedem as famílias enlutadas e a sociedade brasileira”, diz o advogado em nota.

A advogada Wanda Maria Bittencourt, dona da casa onde o avião caiu, abrindo uma cratera no quintal, reclama de descaso do partido.

“O PSB não tem nos atendido. Está faltando boa fé, estão muito preocupados com as eleições”, diz. Ela estima que irá gastar até 600.000 reais só com material para reconstruir parte do imóvel que foi destruído. Procurado, o PSB afirmou que tem interesse em indenizar as vítimas e diz já ter contratado um escritório de advocacia para intermediar as negociações.

Apólice de seguro da aeronave é válida até fim de 2014
Na 7ª DP de Santos, há 56 boletins de ocorrência registrados por moradores afetados. Eles formaram uma espécie de associação que tem orientação jurídica de advogados que defenderam as vítimas do acidente da TAM, em 2007. Ao menos sete imóveis – três apartamentos e quatro casas – terão que ser parcialmente reconstruídos, entre eles, a academia do empresário Benedito Juarez Camara, destruída pela queda dos destroços.

O empresário diz que aguarda fim do prazo de 15 dias concedido pelo procurador-geral eleitoral Rodrigo Janot para o PSB comprovar as movimentações financeiras para a utilização da aeronave. Segundo levantamento prévio realizado pelos proprietários, estima-se que os valores das indenizações cheguem a 2 milhões de reais.

Nesta semana, os empresários João Carlos Lyra Pessoa Monteiro de Mello Filho e Apolo Santana Vieira, que arrendaram a aeronave da empresa AF Andrade, também se ofereceram a indenizar as vítimas.

INVESTIGAÇÃO

Procedimento administrativo aberto pelo Ministério Público Federal de Santos tem acompanhado as investigações sobre a causa do acidente, capitaneadas pela Polícia Federal e pelo Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos.

Segundo pessoas ligadas à apuração, técnicos da Cessna e da Pratt & Whitney, empresa canadense fabricante do motor da aeronave, têm divergido sobre as possíveis causas do acidente e passaram a atuar separadamente.

O principal mistério a ser desvendado pelos técnicos é o fato de a caixa-preta não ter registrado as informações de voz dos pilotos no dia do acidente. Há registro de gravações somente até a véspera da tragédia.

A família de Campos tem acompanhado as investigações de perto e estuda questionar judicialmente a União pelo fato de o comando da Base Aérea de Santos ter autorizado o pouso da aeronave em condições climáticas altamente desfavoráveis. Segundo especialistas, a visibilidade dos pilotos no dia era de 250 metros.

Nenhum comentário: