16 de set de 2014

Cardeal do Rio, Dom Orani Tempesta sofre assalto à mão armada ao deixar residência no Sumaré

BRASIL - Violência
Cardeal do Rio, Dom Orani Tempesta sofre assalto
à mão armada ao deixar residência no Sumaré
Um dos homens apontou uma arma para o cardeal. Bandidos levaram cruz e anel do arcebispo. Moradores haviam espalhado cartazes pela região alertando que aquela é uma área de assalto

Foto: Pedro Teixeira / O Globo

Dom Orani foi assaltado por três homens no Sumaré

Postado por Toinho de Passira
Fontes:  O Globo, O Dia, O Globo

O cardeal-arcebispo do Rio, dom Orani Tempesta, foi assaltado por três homens armados na noite desta segunda-feira, quando saía da Residência Assunção, no Sumaré, e ia para um debate na sede da Arquidiocese do Rio, na Glória. Os criminosos levaram o anel cardinalício e a cruz peitoral de dom Orani. Também recolheram um celular, uma máquina fotográfica, caneta, além da mochila e do paletó do motorista. Na ação, um dos bandidos chegou a apontar uma arma para a cabeça do arcebispo, que também foi revistado por um dos bandidos.

No carro, além de dom Orani, estavam um fotógrafo, que trabalha para o bispado, um seminarista, cuja batina também foi roubada, e o motorista. Ninguém se feriu durante a ação, que aconteceu rapidamente.

— Eles estavam de carro quando foram interceptados. O assaltante perguntou a dom Orani se a cruz e o anel eram de ouro. Dom Orani respondeu que não eram e entregou os pertences imediatamente — contou um assessor do bispado, confirmando a informação de que realmente os objetos usados pelo cardeal não eram de ouro.

Ainda de acordo com o assessor, os bandidos pretendiam também roubar o veículo em que dom Orani estava, mas desistiram após um deles reconhecê-lo.

LADRÃO PEDE DESCULPAS

Dom Orani havia acabado de celebrar uma missa no Sumaré, onde estava acontecendo um encontro de bispos eméritos. Segundo uma nota divulgada na página do Facebook do arcebispo, após o assalto, enquanto o cardeal seguia para o próximo compromisso, os outros ocupantes do carro se dirigiram para a 10ª DP (Botafogo), onde o caso foi registrado. O assalto aconteceu por volta das 20h30m.

De acordo com informações de dom Orani a seus assessores, os três assaltantes estavam num carro, que interceptou o veículo onde estava o cardeal, na altura de Santa Teresa. No fim do assalto, um dos bandidos reconheceu dom Orani.

— Ele pediu desculpas, mas levou os pertences assim mesmo — relatou o assessor do religioso.

Após o pedido, Dom Orani disse para o ladrão:

— Vá em paz, meu filho.

Na fuga, os bandidos deixaram pelo caminho quase tudo o que haviam roubado. O material foi recuperado por policiais que saíram à procura dos três assaltantes, em Santa Teresa. Eles conseguiram achar alguns dos pertences roubados, como celular, o anel e a cruz de dom Orani, a mochila e o paletó do motorista e a batina do seminarista. Apenas câmera do fotógrafo não foi encontrada. Ninguém foi preso. A agenda desta terça-feira do religioso não foi alterada.

Foto: - Márcia Foletto / Agência O Globo

Cartazes colocados em postes da Rua Cândido Mendes alertam para o risco de assaltos na área

ZONA DE ASSALTO

Os moradores de Santa Teresa de alguma forma esperam que com o assalto do Cardeal, a região comece a merecer mais atenção das autoridades.

Desde a semana passada na principal via do bairro, a Rua Cândido Mendes, cartazes colados nos postes denunciam a frequência de assaltos na região.

No aviso, um boneco de mãos para o alto e uma arma alerta em inglês e português que trata-se de uma "zona de assaltos". Moradores confirmam o que diz o cartaz.

O síndico de um prédio, em frente a um dos postes, contou que semana passada um assaltante invadiu o condomínio e chegou em um apartamento do 3º andar.

— Aqui está demais. Os assaltos são diários e, às vezes, acontece até tiroteio de assaltante com morador que anda armado — relatou.

— Não tem policiamento nenhum aqui. Agora que assaltaram uma pessoa conhecida, talvez a polícia faça alguma coisa. — comentou.

Os moradores do bairro dizem que não sabem quem colou os avisos espalhados na rua, no entanto, reclamaram da falta de policiamento. O taxista Tiago Henrique de Souza, de 48 anos, contou que foi assaltado na Estrada do Sumaré há três meses:

— Levaram a féria do dia, cerca de R$ 80. Circulo muito pela região e nunca vejo policiamento. Espero que agora, depois do que houve com o arcebispo, isso melhore.

Foto: - Márcia Foletto / Agência O Globo

Moradores de Santa Teresa não sabem quem colocou os cartazes, mas confirmam que a área é realmente perigosa

Nenhum comentário: