10 de dez de 2010

WIKILEAKS – BRASIL: Embaixador USA informou sobre vida bandida de Dilma

WIKILEAKS – BRASIL
Embaixador USA informou sobre vida bandida de Dilma
A Diplomacia americana não tem dúvidas de que a nossa futura presidenta, quando participou da luta armada, ao lado de José Dirceu e Capitão Lamarca, planejou assaltos a bancos e ao Cofre de Ademar de Barros, segundo documentos de posse do site WikiLeaks. Não se sabe se essa experiência enriquecedora vai ajudá-la a governar o país.

Fotomontagem Toinho de Passira

A guerrilheira Dilma nos tempos da clandestinidade, as atividades criminosas do passado não passaram desapercebidas pela diplomacia americana

Postado por Toinho de Passira
Fontes: Folha Online

Na Folha de ao Paulo de hoje, numa matéria de Fernando Rodrigues e Matheus Leitão, afirmam que a “diplomacia dos EUA afirmou em telegrama confidencial de 2005 que Dilma Rousseff, então recém-nomeada para a Casa Civil, "organizou três assaltos a bancos" e "planejou o legendário assalto popularmente conhecido como "roubo ao cofre do Adhemar" durante os governos militares no Brasil.

“O telegrama faz parte de um lote de nove documentos obtidos pela ONG WikiLeaks aos quais a Folha teve acesso. Não há nenhuma menção à fonte da informação a respeito da atuação atribuída à presidente eleita”.

Dilma nega ter participado de ações armadas quando militou em organizações de esquerda, nos anos 60, mas nunca disse direito o que fazia exatamente no Comando de Libertação Nacional (Colina) e depois Vanguarda Armada Revolucionária Palmares (VAR-Palmares). Lembrar que essas duas organizações guerrilheiro-terroristas, foram responsáveis pela morte de pelo menos 16 pessoas.

O processo sobre ela na Justiça Militar relata que ela "Chefiou greves, assessorou assaltos a bancos", mas não foi acusada de "organizar" ou "planejar" assaltos, sua condenação acabou sendo por subversão. A acusação de assalto pode não ter acontecido por não haver provas suficientes de sua participação, ou por recompensa por ela ter colaborado delatado companheiros de guerrilha que acabaram presos.

O telegrama do embaixador americano, John Danilovich, que dá o título de assaltante de banco a nossa presidenta, já havia sido obtido em 2008 pelo jornal "Valor Econômico".

O embaixador dos EUA em Brasília, Thomas Shannon, disse agora à Folha, depois de saber as informações publicadas no WIKILEAKS que "O governo dos EUA não tem informação que confirme essas alegações”. Estranho se ele afirmasse o contrário. No momento, os americanos estão preparando uma vista do Presidente Barack Obama a América do Sul, no próximo ano. Precisam da simpatia de Dilma Rousseff. Estão falando até da vinda de Hillary Cliton a posse de Dilma, apesar de ser no inconveniente dia 1º de janeiro, para demonstrar simpatia pela ex-guerrilheira, agora aboletada no poder.

Por via das dúvidas, por certo, o embaixador atual, vai sugerir a Hillary e a Obama, que quando visitarem Brasília, tenham bastante cuidado com a própria carteira. Mas isso é coisa do WikiLeaks do futuro.

Leia também no “thepassiranews”:
Dilma esconde seu passado de terrorista e assaltante?


Nenhum comentário: