13 de dez de 2010

Ciro vai usar baton?

GOVERNO DILMA
Ciro vai usar baton?
O cearense paulista Ciro Gomes, mandou seu irmão, o governador reeleito do Ceará, Cid Gomes, dizer a Dilma que quer ser Ministro da Integração Nacional. Sua pretensão cria embaraços e saias justas para o seu partido, o PSB, para o Governador de Pernambuco Eduardo Campos, presidente do Partido e para Dilma, na colocação de peças no tabuleiro de xadrez dos ministérios. Cobra a conta de ter ficado calado, durante a campanha, não atrapalhado a candidatura de Dilma Rousseff

Fotomontagem: Toinho de Passira

Quando Ministro da Integração Nacional, no governo Lula, Ciro Gomes adotou uma barba petista. Provavelmente sob o comando de Dilma, vai usar batom, para combinar com a chefe

Postado por Toinho de Passira
Fontes: Estadão

Como recompensa por ter sido obrigado a desistir de disputar a presidência da República, o ex-ministro e deputado Ciro Gomes (PSB-CE) está cobrando a conta querendo participar do primeiro escalão do governo de Dilma Rousseff. Pelo andar da carruagem, Ciro Gomes, que está em viagem pela Europa, será novamente Ministro da Integração Nacional, voltando ao cargo que ocupou no primeiro governo Lula, entre janeiro de 2003 e março de 2006.

A entrada de Ciro no ministério desarruma a lista de postulantes do PSB, pois o candidata original do cargo era o ex-prefeito de Petrolina Fernando Bezerra Coelho.

Segundo o Estadão “a pedido do presidente nacional do PSB e governador de Pernambuco, Eduardo Campos, Fernando Bezerra desistiu de disputar uma vaga ao Senado para apoiar o recém-eleito senador Humberto Costa, do PT. Na época, teve a promessa de que ocuparia um "cargo importante" em Brasília”.

Para acomodar a situação, como premio de consolação vão enviar o pernambucano Bezerra Coelho para a Secretaria de Portos. O pessoal do PSB sonha que a secretaria seja turbinada, para justificar apaziguar o ocupante, figura de prestígio junto ao governador Eduardo Campos. Fala-se que a secretaria transformar-se-á em um órgão especial de infraestrutura com a inclusão das atividades de aviação civil e até o comando da Infraero.

Desaparecido desde o “fim do segundo turno eleitoral, Ciro Gomes surpreendeu a todos com o pleito de participar do ministério do futuro governo”. Seus companheiros de partido bombardearam a reivindicação de Ciro. Alegam que ele passou todo o tempo desdenhando qualquer cargo no governo e com o discurso de que "queria dar um tempo" na vida pública. "Vão colocar o Ciro no Ministério e dane-se o resto. Crescemos para diminuir", reclamou um integrante do PSB - segundo o Estadão.

Nas últimas eleições, o PSB conquistou seis governos de Estado - Pernambuco, Ceará, Piauí, Paraíba, Amapá, e Espírito Santo -, além de aumentar a bancada na Câmara de 27 para 34 deputados federais.

O interesse de Ciro em participar do futuro governo foi expresso pelo irmão e governador reeleito do Ceará, Cid Gomes. Junto com Campos e o vice-presidente do partido, Roberto Amaral, Cid conversou com Dilma Rousseff na sexta-feira sobre o novo xadrez ministerial.

Além de recompensar Ciro Gomes, Dilma Rousseff também está preocupada em pôr o presidente nacional do PT, José Eduardo Dutra, (um dos seus porquinhos de estimação) no Senado. Dutra é o primeiro suplente do senador Antonio Carlos Valadares (PSB-SE).

O senador nega que tenha sido sondado por Eduardo Campos para assumir o ministério da Micro e Pequena Empresa, que será criado por Dilma. Valadares cobra caro pelo seu passe, externando a vontade de ir para um ministério que pudesse "servir ao Nordeste", algo como o ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) ou o de Desenvolvimento Social (MDS), onde está o Bolsa Família. Não se sabe se Dilma está disposta a pagar o preço.


Nenhum comentário: