31 de dez de 2010

Lula, nunca mais

BRASIL
Lula, nunca mais
O presidente Lula num acesso de pânico tentou fugir com a faixa presidencial nesta manhã. Corria e gritava que ninguém ia lhe tirar a faixa. Seu paradeiro é desconhecido, mas, o mais provável é que ele esteja rumando para o ostracismo. Esperamos que essa defectível figura burlesca jamais retorne como protagonista, do cenário político da vida brasileira.

Fotomontagem de Toinho de Passira sobre foto da Associated Press

Lula em fuga. Pega...!

Postado por Toinho de Passira

Lula não estava preparado para ser presidente da republica e muito menos para ser ex-presidente. Ninguém sabe o que ele fará quando não sair no Jornal Nacional dois meses seguidos. Quando disser frases polêmicas e ninguém ligar. Quando ligar para a Dilma e ela não atender.

Quando desonerar seu mundo de cartões corporativos, batalhões de puxa sacos, assessores para tudo.

Quando suas piadas e tiradas humorísticas não causem mais risos descontrolados dos baba-ovos de plantão.

Quando não tiver mais o Aerolula para curtir, dormindo numa cama, uma ressaca homérica, enquanto cruza o Atlântico.

Quando não for recebido por guardas de honras nem tocarem o Hino Nacional na sua chegada.

Quando 99,9% dos amigos e aliados atuais, até os petistas, desaparecerem permanentemente. Quando restar apenas dona Marisa, assim mesmo, piorada e irreconhecível, após todas as plásticas.

Quando viajar para o exterior e não ser recebido pelo presidente, pelo primeiro ministro ou por alguma rainha ou rei. No aeroporto um enfadonho embaixador brasileiro e um funcionário da diplomacia local.

Quando sem agenda oficial, não saberá o que fazer. Os dias ficarão cada vez mais longos. O governo Dilma parecerá interminável.

Quando se dispuser a dá entrevistas e ninguém aparecer para entrevistá-lo. Quando seu nome migrar das primeiras páginas dos jornais, para as paginas internas até sumir de vez. Lula sentirá saudades de quando falavam mal dele nas manchetes principais.

Previsivelmente acabará tendo como companhia uma garrafa de destilado. A embriaguez, porém, tra-lhe-rá nova frustração: por mais que beba e dê vexame, ninguém se ocupará em noticiar, nem mesmo o “The New York Times”.


2 comentários:

Paloma disse...

Ô, meu Deus! Quanta alegria, quanto alívio para mim!
Vade retro, imundo!

Professora Sunamita Oliveira disse...

Infelizmente, o Brasil tem gente de todo tipo, inclusive seres desprezíveis e asquerosos, como você!Uma lástima!