8 de dez de 2010

WIKILEAKS: A polêmica prisão de Julian Assange em Londres

WIKILEAKS
A polêmica prisão de Julian Assange em Londres
O fundador do portal WikiLeaks está preso em Londres acusado de crimes sexuais na Suécia. O blog “Biscoito Fino e a Massa” sugere que ele é o primeiro preso político global da internet: “Assange teve todos os seus direitos mais elementares suspensos globalmente, de tal forma que tornou-se o sujeito mundialmente “inospedável”, o primeiro, salvo engano, a experimentar essa condição só por ter feito algo na internet”.

Foto: Getty Images

Julian Assange apresentou-se diante do juiz inglês, admitindo ter tido envolvimento sexual com as acusadas, mas de forma consentida. Depois que lhe foi negada a fiança para responder a acusação em liberdade, expressou sua intenção de lutar contra a extradição para a Suécia

Postado por Toinho de Passira
Fontes: Expressen, Affär Svärlden, Portal Terra, O Globo, Estadão, “Biscoito Fino e a Massa”, Evening Standard , EPA, Correio 24 Horas

O fundador do WikiLeaks, Julian Assange, entregou-se ontem, as autoridades inglesas e encontra-se preso a disposição do tribunal londrino de extradição da Corte de Magistrados de Westminster. Pesam contra ele quatro acusações de agressão sexual, contra duas mulheres, voluntarias suecas do WikiLeaks. A promotoria da Suécia pede que ele seja extraditado, para responder ao processo, no local onde cometeu o delito, em Estocolmo.

A advogada Gemma Lindfield, representante legal das autoridades suecas no processo, disse perante o juiz Howard Riddle que uma mulher identificada como "Miss A." acusou Assange de "coerção ilegal" na noite de 14 de agosto.

A mulher argumentou que o fundador do Wikileaks utilizou o peso de seu corpo para imobilizá-la com intenção sexual.

A segunda acusação diz que Assange "abusou sexualmente" da mesma "Miss A." ao praticar sexo sem preservativo, sem respeitar pedido da suposta vítima.

A terceira acusação é de que, no dia 18 de agosto, o suspeito "abusou deliberadamente" da mesma pessoa "violando sua integridade sexual". A quarta e última acusação se refere a uma segunda mulher, identificada como "Miss W.", que o acusa de ter mantido relações sexuais sem preservativo e enquanto ela dormia, na casa da vítima, em Estocolmo.

Foto: Getty Images

A mídia do mundo inteiro aglomerava-se diante da Corte de Magistrados de Westminster, querendo colher notícias do julgamento de Julian Assange

O juiz não aceitou o pedido de liberdade sob o pagamento de fiança, devido ao risco de fuga do réu, e ordenou que Julian permanecesse em prisão preventiva até a próxima audiência, marcada para 14 de dezembro.

Os seguidores e admiradores de Assange reagiram a prisão atacando online o site ao Ministério Público sueco, a portal do advogado sueco, Claes Borgstrom, que representa as mulheres que o acusam de crimes sexuais e o site corporativo da empresa de cartão de crédito MasterCard, retaliando pelo fato da companhia ter bloqueado as doações ao site WikiLeaks.

Foto: Getty Images

Na Bulgária um protesto solitário e singelo pela libertação de Assange

Mark Stephens, advogado britânico do fundador do WikiLeaks, Julian Assange, sustenta que "poderes obscuros" perseguem seu cliente e que existe uma conspiração para prendê-lo, em declarações no jornal londrino “Evening Standard”.

"Nesta terça-feira vimos os sorrisinhos dos políticos americanos. A armadilha deu certo” – disse o advogado referindo-se as declarações do Secretário de Defesa, EUA, Robert Gates, que considerou como "boa notícia" a prisão de Assange.

Julian Assange e seu advogado temem que uma extradição para a Suécia, pode ser o começo de extraditá-lo para os Estados Unidos, onde se examina a possibilidade de processá-lo por espionagem, com penas que podem chegar à prisão perpetua ou pena de morte.

Foto: Getty Images

Por outro lado o advogado das duas suecas supostamente vítimas de Assange, Claes Borgstrom, diz que as acusações são coerentes, reais e verossímeis e “o caso não tem nada a ver com o WikiLeaks ou a CIA."

Enquanto isso, Julian Assange continua inspirando emoções fortes, de ódio, principalmente das autoridades americanas e de solidariedade, daqueles que carregam bandeiras de liberdade de expressão. Organizações não-governamentais russas estão pensando, por exemplo, como forma de fortalecê-lo, indicar, Julian Assange, ao Premio Nobel da Paz, declarou uma fonte do Kremlin a agencias de Moscou.

Foto: Reuters

O tradicional presépio do artista plástico Gennaro Di Virgilio, em Nápoles, todo ano escolhe uma figura contemporânea para participar da cena do nascimento de Cristo na manjedoura. Como não poderia deixar de ser, neste ano, colocou Julian Assange na companhia de Jesus, Maria, José e os Reis Magos.

Veja tudo que foi publicado sobre Julian Assange e WikiLeaks, no “thepassiranews”


Nenhum comentário: