28 de dez de 2010

Lula dará asilo e cidadania ao terrorista Cesare Battisti

BRASIL – ITÁLIA
Lula dará asilo e cidadania ao terrorista Cesare Battisti
O presidente disse que vai decidir, antes de sair, sobre o destino do terrorista italiano. Afirmou que seguirá o parecer da Advocacia-Geral da União (AGU). Não quis deixar para a companheira Dilma, a tarefa de decidir sobre o destino de um terrorista, o que poderia não cair bem, devido a biografia da nova presidente

Fotos: Arquivos

Batistti, Lula e Dilma - Reparando bem, ao proteger o terrorista italiano, Lula está sendo coerente: por alguma paranóia, o presidente tem uma queda por terroristas, vejam que escolheu para sucedê-lo na presidência da república.

Postado por Toinho de Passira
Fontes: UPI, Coluna do Claudio Humberto, Portal Terra, RAI, Tiscali, Agência Brasil

Ao se despedir de jornalistas setoristas da presidência da República, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou a afirmar que seguirá o parecer da Advocacia-Geral da União (AGU) quando for decidir, nos próximos dias, o destino do assassino e terrorista italiano Cesare Battisti.

Battisti, preso no Brasil e condenado à revelia pelo governo da Itália por quatro assassinatos, teve seu caso analisado em 2009 pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Na ocasião, os magistrados decidiram que cabe ao chefe do Executivo a decisão final sobre a concessão de refúgio político a Battisti. O então ministro da Justiça, Tarso Genro, reconheceu essa condição ao italiano, mas o caso havia sido questionado pelo governo da Itália em um pedido de extradição.

Ex-integrante da organização de extrema-esquerda PAC (Proletários Armados pelo Comunismo), ele foi condenado pela Justiça de seu país à prisão perpétua por quatro assassinatos, ocorridos no final da década de 1970. Depois de preso, fugiu e se refugiou na França e na América Latina.

A se considerar a promessa de Lula - que nesta segunda afirmou que "prontamente" seguirá o parecer do advogado-geral, Luís Inácio Adams -, Cesar Battisti deve se tornar refugiado político, considerando que pela lei brasileira, devido a prazos legais, os crimes já estariam prescritos, o que pode ser bastante questionável.

O governo Lula quer transformar os crimes de Battisti em assassinatos políticos, embora as vítimas do italiano fossem pessoas comuns que tiveram o azar de passar no caminho do frio assassino italiano.

Foram quatro vítimas, um açougueiro e um joalheiro foram mortos por vingança, por terem reagido, anteriormente, a assaltos de Battisti. O bandido também é responsável pelo assassinato do seu ex-carcereiro, isto por mera vingança: quando cumpria pena por roubo e ainda não estava filiado ao grupo subversivo com o qual ele se desentendeu no presídio. A última vítima foi um policial. Executado por ter prendido alguns integrantes do grupo de Battisti.

O colunista Claudio Humberto antecipou “que “além de “asilo humanitário” Lula deve conceder ao terrorista italiano Cesare Battisti a cidadania brasileira. Lula vai alegar que os crimes do frio assassino do grupo extremista “Proletários Armados pelo Comunismo” já estariam prescritos pela lei brasileira, muito embora tenham sido cometidos na Itália. Só falta indenização de “anistiado” para o bandido”.

Acrescentamos: podiam também arranjar uma vaguinha de ministro para o novo brasileiro.


Nenhum comentário: