16 de dez de 2010

Dirceu, o quadrilheiro que nunca saiu do Planalto

BRASÍLIA
Dirceu, o quadrilheiro que nunca saiu do Planalto
Lula fez uma reunião de despedida, no Palácio da Alvorada, com todos os ministros e ex-ministros, dos seus oito anos de governo, inclusive aqueles que saíram açoitados por corrupção. Cinicamente todos compareceram, mas a estrela do show foi José Dirceu, citado duas vezes pelo presidente, merecedor de aplausos e aclamação, como se fora um pop star criminoso numa reunião de mafiosos. Parece-nos estranho, suspeito e assustador que Lula e Dilma façam questão de demonstrar publicamente tanta intimidade com José Dirceu

Foto: Ricardo Stuckert/PR

A VOLTA DOS MORTOS VIVOS - Essa imagem é de 23.03.2005, Palocci, Dirceu e Lula confabulando, parece que foi ontem

Postado por Toinho de Passira
Fontes: Blog do Noblat, Estadão

Cínico, desinibido e sorridente, com a cara de pau de sempre, José Dirceu foi o ex-ministro mais requisitado na cerimônia em que o presidente Lula apresentou a prestação de contas de seus dois mandatos, quando reuniu todos os seus ministros e ex-ministros.

Ao invés de freqüentar reuniões palacianas, Dirceu que é réu de um processo do Supremo Tribunal Federal onde é acusado ser o chefe da sofisticada organização criminosa do mensalão, deveria estar enfurnado nas páginas negras da história política desse país, aguardando o dia de ser julgado e posto num cárcere, para pagar os seus crimes contra a democracia.

Jogando os seus pecados contra os adversários, Lula diz sempre que o mensalão foi uma tentativa de golpe, que a oposição queria tirá-lo do poder. Na realidade o mensalão foi um golpe do governo Lula: enquanto compravam deputados eliminavam um dos poderes da república. O poder legislativo funcionava como anexo da Casa Civil, então chefiada pelo quadrilheiro José Dirceu.

Sob o ponto de vista de Lula, José Dirceu merece mesmo muitas homenagens. Como bom bandido agüentou o tranco de ser escorraçando no lugar de Lula, o verdadeiro chefe da quadrilha, sem chiar. Verdade que, depois disso, virou lobista de alta periculosidade, com poderes mágicos de ajudar seus clientes, em causas perdidas na esplanada dos ministérios.

Ficou milionário, mas como é vaidoso quer também ser poderoso. Ao que parece Dilma está disposta a lhe dá esse espaço. Mas mesmo que não consiga uma vaga na cota dos mafiosos, o fato de desfrutar de tanto explícito prestígio, o transforma num upperlobistas, com chances estratosféricas de engendrar e facilitar bem sucedidos negócios escusos.

Tudo parece promissor e alvissareiro para o ex-terrorista e guerrilheiro José Dirceu: neste ano, é previsível sua absolvição pelo Supremo Tribunal Federal, no processo do mensalão, numa corte com esmagadora maioria de ministros nomeados durante o governo Lula, alguns deles, com ligações políticas e dívidas de gratidão para com o réu.

O Globo registrou que “depois da solenidade, Dirceu foi um dos poucos que subiram para o terceiro andar com Lula e a presidente eleita, Dilma Rousseff. Perguntado sobre como se sentia ao estar voltando ao Planalto, deu uma grande gargalhada e respondeu:

— Mas eu nunca saí daqui!”


Nenhum comentário: