8 de out de 2014

PSB de Pernambuco recebe recado do PT em tom de ameaça, tentando impedir apoio a Aécio Neves

BRASIL – Eleição 2014 - 2º turno
PSB de Pernambuco recebe recado do PT em tom de ameaça, tentando impedir apoio a Aécio Neves
Querem que o PSB fique neutro, senão Pernambuco ficará a míngua, caso Dilma ganhe.

Foto: Arquivo

Doce ilusão: o PT imaginar que vai subjugar os pernambucanos usando de intimidação. Ninguém tem dúvidas, que se vivo estivesse, Eduardo Campos, apoiaria Aécio Neves e vice-versa

Postado por Toinho de Passira
Fonte: Blog do Camarotti

O jornalista pernambucano, Gerson Camarotti, da Globo News, afirmou no seu Blog que integrantes do PSB de Pernambuco receberam recados em tom da ameaça de emissários do PT.

Segundo ele, a campanha de Dilma deixou claro que deseja a neutralidade do partido neste segundo turno.

Mas, se o PSB fechar apoio ao tucano Aécio Neves, a administração do governador eleito Paulo Câmara (PSB) receberá tratamento de oposição em caso de reeleição da presidente Dilma Rousseff.

Pela fonte que gerou a notícia, não temos dúvida da sua veracidade. Num tom mais moderado, os petistas fizeram esse mesmo tipo de ameaça quando Eduardo Campos resolveu lançar Geraldo Júlio, pelo PSB, como candidato a Prefeito do Recife, em 2012, confrontando com o ex-vampiro petista Humberto Costa, o provável portador da ameaça atual.

Eduardo não se intimidou, nenhum pouco, e além de ganhar as eleições municipais, deixando o petista em terceiro lugar, ainda se lançou candidato a Presidente da República.

Continuaram com mais pressão achando que o pernambucano não ia levar a candidatura adiante. No meio do tiroteio, mostrando destemor Eduardo disse, afugentou a turma da Dilma, definitivamente, quando carimbou numa entrevista que ela, seria a única presidenta, dos últimos tempos, que “ia deixar o Brasil pior do que encontrou...”

A pressão petista, de agora, como de antes, só vai produzir efeito contrário: se havia alguma dúvida do apoio a Aécio Neves, no 2º turno das eleições, em Pernambuco, agora não há mais.

Nenhum comentário: