27 de out de 2014

Presidenta assinou, na sexta, 24, compra de caças por US$ 5,4 bi. Fatura é US$ 1 bi mais cara que o preço previsto

BRASIL – Corrupção
Presidenta assinou, na sexta, 24, compra de caças por US$ 5,4 bi. Fatura é US$ 1 bi mais cara que o preço previsto
A corrupção não pode esperar. No “after day” da vitória nas urnas, já se pode contabilizar o primeiro escândalo do novo governo Dilma: foi revelado hoje, que a então candidata, como chefe da nação, assinou, em segredo, um contrato bilionário, com cheiro de superfaturamento, dois dias antes das eleições

Foto: AFP

UM BI DE DÓLARES A MAIS - O avião caça sueco Saab Gripen NG, durante vôo, comprado na calada da noite, as vésperas da eleição

Postado por Toinho de Passira
Fonte: Folha de S. Paulo

Reportagem de Igor Gielow, para a Folha de S. Paulo, registra que o governo federal anunciou nesta segunda (27), que havia assinado com a empresa sueca Saab o contrato para a compra de 36 caças multifuncionais Gripen NG. O valor do contrato ficou quase US$ 1 bilhão acima do previsto quando a intenção do negócio foi anunciada, em dezembro de 2013: US$ 5,4 bilhões (R$ 13,7 bilhões no câmbio do começo da manhã, que deve variar bastante ao longo do dia).

Como não há inflação em dólar, tanto a Saab quanto o governo brasileiro terão muito que explica sobre a pressa de assinar o contrato e o motivo do preço maior. Segundo a Folha de S. Paulo, apurou, ambas as partes esperaram o fim da eleição presidencial, vencida por Dilma Rousseff neste domingo (26), para divulgar a assinatura – ocorrida na verdade sexta-feira (24), último dia útil antes da eleição.

Mantido o segredo o tema não foi levado ao último debate entre Dilma e Aécio Neves (PSDB), ocorrido na Rede Globo na noite da sexta. Compras militares, aliás, não foram assunto nesta campanha eleitoral. A ideia que passa é que o contrato foi assinado, para numa eventualidade da vitória de Aécio, o contrato assinado não pudesse mais ser revisto.

Havia um temor entre os suecos que a vitória da oposição pudesse colocar, mais uma vez, o negócio em suspenso. Foi assim em 2001, quando Fernando Henrique Cardoso deixou para Luiz Inácio Lula da Silva a decisão da aquisição, coisa que eles não iriam faze agora, o escolhido havia sido uma versão anterior do mesmo avião sueco.

O pagamento não é imediato, e sim será feito num financiamento que pode durar até 14 anos após a entrega do último avião, em 2024. Os detalhes ainda serão anunciados. O contrato precisa ser ratificado até o fim do ano pelo Congresso, para poder valer já no ano fiscal de 2015.

A assinatura sacramenta o fim de uma história longa, iniciada em discussões nos anos 90 e aberta oficialmente em 2001 na forma da primeira licitação F-X (o F é a designação oficial para caças, o X indica um processo de escolha).

Lula acabou suspendendo o processo e o retomando como F-X2, com forte inclinação para a compra do modelo francês Dassault Rafale. Em 2009, chegou a anunciá-lo como vencedor da disputa, só para recuar após protesto da Aeronáutica, que na avaliação técnica preferia o Gripen NG.

Eleita para o primeiro mandato, Dilma congelou o processo. Tomou a decisão da compra no fim do ano passado. O Gripen NG, que na Suécia já tem o nome oficial de Gripen E/F (a geração atual da aeronave).

O contrato prevê a entrega dos Gripen enter 2019 e 2024. Antes disso, já em 2016, deverão chegar modelos anteriores do avião para funcionar como tampões na defesa do espaço aéreo central do Brasil, hoje cobertos por antigos F-5 modernizados, mas que não são adequados para interceptação.

Difícil mesmo vai ser explicar esse aumento exorbitante do preço e esse contrato feito as escondidas.

Nenhum comentário: