17 de out de 2014

Ex-diretor da Petrobras, operador do Petrolão, foi convidado e recusou ser ministro do governo Dilma, poucos dias antes de ser preso

BRASIL – Corrupção
Ex-diretor da Petrobras, Roberto Costa, pouco antes da prisão, foi convidado a ser ministro do governo Dilma
Mensagens interceptadas pela Polícia Federal revelaram que o ex-diretor da Petrobras, o homem bomba da delação premiada, se quisesse teria sido Ministro das Cidades. Recusou o convite poucos dias antes de ser preso na "Operação Lava a Jato", da Polícia Federal

Foto: Ivonaldo Alexandre/ Gazeta do Povo

ESNOBOU - Paulo Roberto Costa, ex-diretor da Petrobras, sendo conduzido preso pela PF, era ligado ao PP, partido que comanda o Ministério das Cidades

Postado por Toinho de Passira
Fontes: Diário do Poder, Estadão, Gazeta do Povo

O ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa teria sido convidado para assumir o Ministério das Cidades em março deste ano, poucos dias antes de ser preso pela Polícia Federal (PF) na Operação Lava Jato.

A informação consta de uma troca de mensagens entre o doleiro Alberto Youssef e o deputado federal Luiz Argôlo (SD-BA) de 13 março – mesmo dia em que foi anunciada a substituição de seis ministros, entre eles o das Cidades, pela presidente Dilma Rousseff (PT).

A conversa foi interceptada pela Polícia Federal.

Na primeira mensagem, enviada às 19h34, Argôlo pergunta para Youssef: “Vc sabia q chamaram PR pra assumir o Ministério?? E ele n quis. Aguinaldo [Ribeiro, o ministro] saiu hoje” (sic). Segundo as investigações, a sigla PR era usada para citar Paulo Roberto Costa.

Youssef responde: “Sabia. Ele já tinha me contado”. E em seguida completa: “Foi a melhor coisa q ele fez [não ter aceitado]” (sic).

A Presidência da República negou “com veemência” que Paulo Roberto Costa tenha sido convidado para o cargo, mas eram conhecidas as relações muito próximas entre ele e a presidente Dilma.

Além de fotografia em que ele autografa um blusão da Petrobras que ela vestia, durante visita a uma plataforma da Petrobras, Paulo Roberto Costa foi um dos poucos convidados ao casamento da filha de Dilma, em Porto Alegre. Na ocasião, nem mesmo o chefe imediato dele, Sergio Gabrielli, que presidia a estatal, recebeu convite para a cerimônia.

Foto: Presidência da República

INTIMIDADE - Paulo Roberto (à dir.) autografando as costas do macacão de Dilma

Nenhum comentário: