18 de jan de 2011

Delubio: “PT aqui me tens de regresso!”

BRASIL - CORRUPÇÃO
Delubio: “PT aqui me tens de regresso !”
O homem que cuidava do dinheiro da organização criminosa petista, conhecida por mensalão, foi expulso pelo partido durante a investigação, para simular que eles não apoiavam o método usado pelo tesoureiro. Acabou sendo o único punido pelo PT. O mesmo não aconteceu com seus companheiros de falcatruas, José Dirceu e José Genoino, por exemplo, continuaram desfrutando de prestígio e privilégios, na legenda e no governo. Visto sob esse ponto de vista, é mais do que coerente que os petistas abram as portas para o seu retorno. Bem vindo de volta ao covil!

Fotos: Arquivos

COERÊNCIA CORRUPTA - Delubio merece o mesmo tratamento que Genoino e Dirceu. Justiça seja feita, o partido dos trabalhadores, com a volta de Delúbio, estará restabelece o equilíbrio e a equidade, assegurando tratamento igual para todos os corruptos do partido.

Postado por Toinho de Passira
Fontes: Folha Online

A Folha revelou que há dentro do Partido dos Trabalhadores um movimento pela volta de Delúbio. Ou seja, José Dirceu, aproveita o seu prestígio atual, e promove a volta triunfal do obediente subordinado da organização criminosa, que chefiava, aos quadros do Partido dos Trabalhadores. Para a sociedade já acostumada a ver o partido ser o lar de trambiqueiros, mafiosos e indiciados, será apenas mais um ato formal, de interesse intramuros da banda podre petista.

Seguindo o roteiro traçado, nesta segunda-feira, o líder do governo na Câmara dos Deputados, Cândido Vaccarezza (PT-SP), defendeu a reintegração do ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares ao partido, dizendo que o ex-companheiro já foi punido demais, para o “deslize que cometeu”. Não sem antes comentar que o governo Dilma, não tem nada a ver com isso, que será uma decisão puramente partidária.

Pivô do escândalo do mensalão, Delúbio Soares foi expulso do PT em 2005, quando o congresso investigava o caso. O gesto da direção do Partido, naquele instante, era simular uma desaprovação aos atos praticados pelo tesoureiro, que movimentava milhões, com dinheiro de origem duvidosa e que, entre outras reprováveis atividades, corrompia parlamentares, para aprovar projetos de interesse do governo.

Seu requerimento de refiliação será examinado pela executiva nacional do Partido, que poderá simplesmente anular o ato de sua expulsão ou aceitá-lo de volta como se fora novo integrante dentro do partido. Anote-se que nesse período, nenhum fato novo inocentou Delúbio, ou qualquer daqueles 40 companheiros envolvidos na falcatrua. O único fato novo foi desabonador: o Supremo Tribunal Federal transformou todos em réus, acatando a denuncia do Procurador Geral da República, que chamou o grupo, do qual ele era importante integrante, de “sofisticada organização criminosa”.

Em 2009, Delúbio tentou voltar ao partido. Foi desaconselhado a recuar sob pressão do Presidente Lula, que achava que sua candidata podia ser prejudicada, e a sinalização de alguns petistas que sinalisaram desaprovação.

Mas os tempos agora são outros e alvissareiros para Delúbio. À época, sua panelinha petista Campo Majoritário - hoje rebatizada de Construindo um Novo Brasil (CNB) , território do quadrilheiro José Dirceu - controlava 42% das cadeiras do Diretório Nacional do PT. Hoje essa facção, detém 60%, o que garante de cara a aprovação da reabilitação interna do mafioso.

Todo esse movimento pró Delúbio é uma precaução de Dirceu, com respeito à possibilidade de acontecer no final desse ano, o julgamento do processo do mensalão pelo Supremo Tribunal Federal.

O processo com 91 volumes e 50 mil páginas está nas mãos do relator da ação penal, ministro Joaquim Barbosa, que mesmo enfrentando problemas de saúde, está elaborando o relatório e o voto que servirão de base para o julgamento no tribunal.

Nas entrelinhas os comparsas temem Delúbio Soares, como arquivo vivo, da mais espetacular e escandalosa corrupção da história recente do país e querem afagá-lo, para evitar sua insatisfação. Temem os estragos que ele pode proporcionar a José Genoino, por exemplo, candidato a Ministro da Defesa, do governo Dilma, que era presidente do partido a época do mensalão e tecnicamente cúmplice de Delúbio. Esse enredo mal ajambrado demonstra claramente a que foi reduzido o Partido dos Trabalhadores, que pregava como principio fundamental a ética e a honestidade, contida no seu programa partidário.

Na verdade ninguém do mensalão foi ainda punido, diferentemente do que quer fazer parecer o líder Cândido Vaccarezza. Nenhum deles passou pelos menos alguns dias na cadeia, nenhum deles perdeu patrimônio para pagar o tamanho do prejuízo que causou aos cofres públicos, nenhum deles foi punido por atentar contra a democracia, corrompendo o legislativo.

Delúbio, o mais castigado, está apenas afastado da vida partidária, mas vive nababescamente, não se sabe com que recursos, num sítio em Goiás. Em breve estará entre os seus iguais, compondo a fauna de corruptos e trambiqueiros dos manguezais apodrecidos do Partido dos Trabalhadores. Não estranharemos se ele vier a assumir, de novo, o cargo de tesoureiro. Bem vindo de volta ao covil!


Nenhum comentário: