11 de ago de 2010

O jogo do Brasil, ontem, beirou a perfeição

SELEÇÃO BRASILEIRA
O jogo do Brasil, ontem, beirou a perfeição
O time brasileiro sob o comando de Mano Menezes, não só venceu indiscutivelmente, a entrosada e respeitável seleção dos Estados Unidos, dentro de casa. Deu um eficiente espetáculo. 2 a 0 não traduz a realidade do domínio brasileiro, poderia no mínimo ter sido 4 a 0, porque tanto Robinho quanto Ganso mandaram bolas nas traves americanas, no segundo tempo. Os americanos foram acuados e tremeram contra os garotos estreantes. Foi lindo!

Fotos: Reuters /Associated Press

Momentos Neymar

Toinho de Passira
Fontes: Portal Terra, Zero Hora, Globo Esporte, A Bola, Estadão, Blog do Juca Kfouri

Fomos ler o blog de Juca Kfouri antes de falar do jogo da Seleção Brasileira contra os Estados Unidos, e o primeiro comentário do jornalista nos deixou sem palavras:

”Não cabem, fique claro desde já, comparações apressadas e nem pisotear sobre o passado recente, até porque com Dunga houve belas apresentações brasileiras contra times mais poderosos.”

Só porque, o mau caráter do Ricardo Teixeira, presidente da CBF, está turvando a imagem de Dunga, para se eximir de culpa da derrota da seleção na Copa, Kfouri, já está ao lado do gaucho, mal-humorado.

Ninguém pode esquecer que foi Ricardo Teixeira pessoalmente quem escalou Dunga para técnico da Seleção Brasileira e o manteve mesmo após aquela convocação...

Mas o jogo do Brasil de ontem, foi de uma alegria há muito esquecida no futebol brasileiro. Os técnicos de outras seleções pelo mundo andarão a se perguntar, onde estava esse time? Como eles fazem para inventar craques novos?

O time americano que chegou cheio de pretensões, acabou tendo que se fechar na defesa, de forma humilhante, para não sofrer uma goleada.

Há muito não assistíamos em com prazer um jogo da seleção brasileira. Estavam lá todos os bichos e craques que o Brasil inteiro pediu: Pato, Ganso e cisne Neymar.

O veterano do time, Robinho foi o capitão da equipe e a responsabilidade lhe fez bem, mesmo sem ter feito gols, chegou a chutar a trave numa jogada magistral, foi uma peça das mais importantes em campo.

Todos os jornalistas esportivos não param de dizer que Neymar foi o melhor jogador em campo.

Pensar que antes do jogo, havia uma série de desculpas prevendo uma derrota da seleção escalada por Mano Menezes: não tinha entrosamento, eram muito jovens, não tinha treinado o suficiente.

Todas as desculpas ficaram arquivadas, o time não precisou delas. Não poderia deixar de destacar a sobriedade e discrição de Mano Menezes o técnico da Seleção brasileira, vestido com um agasalho do time, dando instruções a garotada através de mímicas pré-combinadas como fazem os jogadores de vôlei.

Resumindo a partida, voltamos a Juca Kfouri que a resumiu de forma magistral:

”... depois de um começo nervoso, o time de Mano Menezes tomou conta do jogo e fez três gols — na verdade dois gols e um "touchdown", de Pato, que o árbitro, como era futebol não futebol americano, embora num estádio de futebol americano, resolveu anular.”

E concluiu:

“E diga-se, também, que o placar era o que menos importava neste jogo, até mesmo se viesse uma derrota, o que seria absolutamente normal.”

”Mas tudo saiu quase à perfeição.”


Nenhum comentário: