27 de ago de 2010

Garotinho, mais um chefe de quadrilha apoiando Dilma

ELEIÇÕES 2010
Garotinho, mais um chefe de quadrilha apoiando Dilma
Deve aumentar as afinidades entre o ex-governador do Rio e a candidata Dilma Rousseff, depois que procuradores federais acusam Garotinho de chefiar quadrilha armada. José Dirceu está morrendo de inveja e cheio de ciúmes

Foto: Blog do Bastos

FARINHAS DO MESMO SACO:Dilma, a ex-guerrilheira, toda sorrisos com seu aliado, o quadrilheiro, Garotinho

Toinho de Passira
Fontes: Folha de São Paulo, O Globo, Blog do Bastos, Blog do Garotinho

Enquanto o ex-governador do Rio, Anthony Garotinho, candidato a deputado Federal e aliado de Dilma Rousseff, esperneia por ter sido condenado pela Justiça Federal do Rio a dois anos e seis meses de reclusão por formação de quadrilha, dizendo-se perseguido, os procuradores federais estão entrando com um recurso pedindo para aumentar a pena.

Para os Procuradores da República o ex-governador e ex-secretário de Segurança Anthony Garotinho, deixou de ser condenado por formação de quadrilha armada, agravante que pode dobrar a pena de dois anos e seis meses por formação de quadrilha a que o político foi sentenciado.

A Procuradoria da República havia denunciado o ex-governador em maio de 2008 por "garantir politicamente a manutenção" de um grupo na chefia da Polícia Civil que não reprimia jogos de caça-níqueis no Rio, além de promover corrupção e lavagem de dinheiro.

Esse grupo era comandado, segundo a Procuradoria, pelo ex-chefe da Polícia Civil Álvaro Lins, condenado a 28 anos de prisão por corrupção, lavagem de dinheiro e também formação de quadrilha.

Lins esteve à frente do cargo na administração de Garotinho, entre o fim de 2000 e início de 2002, e na gestão de Rosinha Garotinho (2003 a 2006), mulher do ex-governador. Em 2006, ele foi eleito deputado estadual, mas acabou cassado em 2008 devido às acusações.

A pena do ex-governador foi transformada em duas punições: prestação de serviço à comunidade, ainda a ser definido, e proibição de exercer cargo público e mandato eletivo. Cabe recurso.

A Procuradoria informa ainda que foram condenados os ex-policiais civis Alcides Campos Sodré Ferreira (cinco anos e nove meses), Daniel Goulart (dois anos), Fábio Menezes de Leão (quatro anos e seis meses), Mario Franklin Leite de Carvalho (11 anos e três meses) e Ricardo Hallak (sete anos e nove meses). Eles teriam sido colocados em cargos da polícia para beneficiar a máfia de caça-níqueis.

Mas no entendimento do procurador Leonardo Cardoso de Freitas, se Garotinho e o ex-chefe da Polícia Civil Álvaro Lins dividiam o comando da quadrilha , não faz sentido que apenas Lins tenha sido condenado por formação de quadrilha armada:

Caso a Justiça aceite a tese do Ministério Público Federal (MPF), as penas de Garotinho, Ricardo Hallak - sucessor de Lins na chefia de Polícia Civil -, do ex-delegado Daniel Goulart e dos ex-inspetores Alcides Campos Ferreira, Fábio Menezes de Leão, o Fabinho, e Mário Franklin de Carvalho, o Marinho, podem aumentar em até três anos.

Como se vê entre os aliados de Dilma proliferam chefes de quadrilhas, Garotinho, José Dirceu e por aí vai.

Quadrilheiros e guerrilheiras são muito sem vergonhas

Imagem captada diretamente do Blog do Garotinho

O texto está ainda lá, cheio de malícia e deboches contra Dilma, sua atual aliada.
Nós não temos porque não acreditamos nele.

Garotinho nem sempre morreu de amores por Dilma, a quem chama hoje de antiga companheira do PDT. No dia 23 de dezembro de 2008, uma nota em seu blog contava alguns casos sobre um passado de Dilma que ele considerava, bastante sombrio, com uma imagem da ficha guerrilheira da atual companheira. Diz até que ela iria precisar de ” muito mais do que uma plástica para alcançar o seu objetivo de chegar à presidência”.

Veja que quem está dizendo isso é uma aliado de Dilma.

É bem verdade, que época, Garotinho ainda estava no PMDB e pensava na presidência da República. Agora batalha para ser Duputado Federal, da linhagem dos fichas sujas. Hoje, esqueceu tudo e foi perdoado por ela, podemos dizer que ele são por assim dizer dois sem-vergonhas.

Veja a Nota de Garotinho sem tirar nem por:

Ano novo, vida nova

Em 1969, a guerrilheira Estela, da organização VAR – PALMARES, de Carlos Lamarca participou do assalto ao cofre do ex-governador paulista Adhemar de Barros, no Rio de Janeiro, de onde foram levados US$ 2,5 milhões. Não acreditava em Deus e estava na luta armada.

Em 2009, portanto 40 anos depois, vai surgir uma nova Estela, na verdade a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff. Este ano Dilma aposentou os óculos e passou a usar lentes de contato. Por orientação do presidente Lula, agora está mais sorridente e até diz que crer ou não em Deus é uma questão filosófica.

Mas se preparem para a nova Dilma, que só deve aparecer em público nos primeiros dias de 2009. No fim-de-semana, sem fazer alarde, a ministra Dilma Rousseff (a guerrilheira Estela) se internou na clínica mais cara de cirurgia-plástica de Porto Alegre e o bisturi entrou em ação.

Fez plástica no rosto e no pescoço para ficar com aparência mais jovial. Seguiu os passos de seu antecessor no cargo de ministro da Casa Civil, o “comandante Daniel”, codinome do companheiro José Dirceu na época da ditadura, que também quis ficar mais jovem e fez implante de cabelo.

Mas é bom não esquecer que vai precisar muito mais do que uma plástica para alcançar o seu objetivo de chegar à presidência.



Nenhum comentário: